O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Miniconto

Miniconto
Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Caros confrades passageiros. O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando. Caloroso braço. Saudações reflexivas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r
Todos a bordo... A viagem continua...

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Continuo a espera de Godot...

Continuo a espera de Godot...
Saudações dionísicas.

Saudações leitoras.

Saudações leitoras.

Seguidores

sábado, 19 de janeiro de 2013

Now Voyager - "A Estranha Passageira" - película bettedavisiana de 1942

João Paulo, da próxima fez que se atrever a acender o cigarro da Bette Davis atiçarei os leões da Metro no seu encalço, acompanhados da mulher da Columbia com a tocha acesa...
LUZES! CÂMERAS! AÇÃO!

5 comentários:

  1. Cuidado, João Paulo !... Isso de se relacionar com passageiras estranhas, ... Veja lá se a Gene tem amigas bruxas ! ... Não vá ela saber desse seu gesto gentil, não gostar e além de atiçar os leões da metro e a mulher da Columbia com a tocha, ainda lhe possa lançar um feitiço !
    rsrsrs

    Abraço e bom fim de semana ! :))
    .

    ResponderExcluir
  2. Caro amigo Rui da Bica!
    Oxalá suas considerações não se tornem um fato!
    Caloroso abraço! Saudações antienfeitiçadas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  3. Estimado Confrade e Ilustre Prof. João Paulo,
    Estou de acordo com o nosso amigo Rui da Bica, nunca se sabe por andará a Lambisgoa e como tal teremos que ter cuidado.
    Mas veremos o que consta este dramatico filme.

    Now, Voyager (Estranha Passageira (título no Brasil) ) é um filme norte americano realizado de 1942 do gênero drama, dirigido por Irving Rapper. O roteiro de Casey Robinson adapta a novela homônima de Olive Higgins Prouty, publicada em 1941.

    O título original foi retirado por Prouty de um verso de Walt Whitman, do poema "The Untold Want".

    Em 2007, Now, Voyager foi selecionado para preservação pela Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos. O filme ficou classificado em 23º entre os 100 maiores filmes românticos de uma lista da AFI.


    Charlotte Vale é a solteirona, pouco atraente, reprimida e acima do peso filha caçula de 30 anos de uma mãe dominadora, uma idosa aristocrata de Boston. Com as agressões verbais e emocionais da mãe, Charlotte perde totalmente a autoconfiança e sua irmã Lisa, prevendo um ataque dos nervos, chama o psiquiatra Dr. Jaquith para que esse lhe faça uma visita. Ao perceber a situação, o dr. Jaquith recrimina a mãe mas logo em seguida Charlotte entra em crise e ele recomenda a internação em seu sanatório.

    Longe da mãe repressora, Charlotte se recupera. Ela deixa o sanatório e parte para um cruzeiro de navio à América do Sul. A bordo do navio, ela conhece por acaso o arquiteto casado Jeremiah Duvaux Durrance, que viaja a negócios para o Rio de Janeiro, acompanhado dos amigos Deb e Frank McIntyre. Deb conta a Charlotte sobre a vida familiar complicada de Durrance e o problema de sua filha de 12 anos, Christine ("Tina"), que não se dá bem com a mãe. Depois de um acidente automobilistico no Rio de Janeiro, causado por um motorista italiano desastrado, Charlotte perde o navio e é obrigada a ficar uns dias na cidade com Durrance e os dois se apaixonam. Depois ela pega um avião sozinha e volta ao navio que estava estacionado em Buenos Aires.

    Ao retornar à Boston, Charlotte consegue se livrar da dominação da mãe mas, apesar de cortejada por um viuvo de boa família, ela não esquece Durrance. E, ao passar por uma nova crise familiar ela retorna ao sanatório do Dr. Jaquith, onde conhece Tina, internada ali pelo pai Durrance, por indicação dela.

    Charlotte passa a cuidar da menina, não só porque ela a lembra de si própria, mas também como uma forma de continuar ligada ao homem por quem é apaixonada.
    Assim sendo a sua Amada Gene não terá ciumes, e como tal pode ir acendendo seu isqueiro.
    Abraço amigo, saudações paradalescas

    ResponderExcluir
  4. O poema de Walt Whitman é curto, mas com um sentido bem profundo.
    " The Untold Want, by life and land ne'er granted Now Voyager, sail thou forth, to seek and find".
    Abraço amigo

    ResponderExcluir
  5. Caro amigo António Cambeta!
    Parece que estou assistindo a película através do relatório do Detetive Pardal!
    Caloroso abraço! Saudações cinéfilas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir

Google+ Badge