O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Miniconto

Miniconto
Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Caros confrades passageiros. O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando. Caloroso braço. Saudações reflexivas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r
Todos a bordo... A viagem continua...

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Continuo a espera de Godot...

Continuo a espera de Godot...
Saudações dionísicas.

Saudações leitoras.

Saudações leitoras.

Seguidores

domingo, 13 de janeiro de 2013

Edward Hopper (1882-1967) - pintor estadunidense

Caros confrades/passageiros!
Aprecio sobremaneira as obras de arte da lavra do pintor estadunidense Edward Hopper! 
Nosso sempre atuante Detetive Pardal está no reino do Sião! Espero que mesmo assim embarque neste vagão do Expresso do Oriente e nos traga seus sempre primorosos  relatórios investigativos da publicação em foco!

6 comentários:

  1. Não conhecia o pintor nem a sua obra. Fui ver as suas pinturas ao Google e fiz a minha apreciação, após a qual fui ver à Wikipédia o que se dizia dele !
    Curioso, amigo João Paulo ! Senti-me um crítico de Arte ! rsrs
    “Representações realistas da solidão na contemporaneidade”
    “as paisagens urbanas e a solidão urbana, desertas, melancólicas”
    “Expressão de solidão, vazio, desolação e estagnação da vida humana”
    “Pinturas que evocam silêncio”
    "um colorido estranho e esbatido"

    Foi precisamente isto o que me saltou aos olhos ! :))

    ResponderExcluir
  2. Caro amigo Rui da Bica!
    Seu precioso comentário está irretocável!
    Sempre fico com a sensação de solidão quando vejo as obras de arte, deste notável artista, e propenso a incontáveis viéses...
    Caloroso abraço! Saudações hopperianas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  3. Estimado Confrade e Ilutre Prof. João Paulo,
    Cheguei a casa ainda à momentos, sai para ir comprar um Iphone 5 para a minha filha do meio, aproveitei para comprar algo para amanhã fazer uma feijoada à maneira, para o jantar temos pasteis de bacalhau e uma salada, nada mau.
    Quando ao famoso pintor norte americano o Pardal ficou a saber que Edward Hopper nasceu em Nyack, 22 de julho de 1882 e faleceu a 15 de maio de 1967 foi um pintor, artista gráfico e ilustrador norte-americano conhecido por suas misteriosas pinturas de representações realistas da solidão na contemporaneidade. Em ambos os cenários urbanos e rurais, as suas representações de reposição fielmente recriadas reflecte a sua visão pessoal da vida moderna americana.

    A Obra de Edward HopperRealista imaginativo, esse artista retratou com subjetividade a solidão urbana e a estagnação do homem causando ao observador um impacto psicológico. A obra de Hopper sofreu forte influência dos estudos psicológicos de Freud e da teoria intuicionista de Bergson, que buscavam uma compreensão subjetiva do homem e de seus problemas. O tema das pinturas de Hopper são as paisagens urbanas, porém, desertas, melancólicas e iluminadas por uma luz estranha. "Os edifícios, geralmente enormes e vazios, assumem um aspecto inquietante e a cena parece ser dominada por um silêncio perturbador". Obras de estilo realista imaginativo. Arte individualista, embora com temas identificados aos da Ashcan School. Expressão de solidão, vazio, desolação e estagnação da vida humana, expresso pelas figuras anônimas que jamais se comunicam. Pinturas que evocam silêncio, reserva, com um tratamento suave, exercendo freqüentemente forte impacto psicológico. Semelhança com a pintura metafísica.

    Trabalhos A melhor pintura conhecida de Hopper, Aves da Noite (1942), mostra clientes sentados em um balcão de um restaurante. O severo jogo de luz do restaurante mostra a noite pacífica do lado de fora. Os clientes, sentados nos tamboretes ao redor do balcão, aparecem isolados, ou até mesmo detestáveis.

    Outros exemplos são Chop Suey, Automat e Office in a Small City.

    As cenas rurais da Nova Inglaterra de Hopper, como Gasolina (pintura) (1940), não são menos significantes. Em termos de tema, ele pode ser comparado ao contemporâneo, Norman Rockwell, mas enquanto Rockell triunfou na imagem rica de uma pequena cidade dos Estados Unidos, Hopper descreve isto na mesma sensação de solidão abandonada que penetra seu retrato da vida na cidade. Aqui também, o trabalho de Hopper explora vastos espaços vazios, representados por um posto de gasolina perdido montou uma estrada rural vazia e a forma contrasta entre a luz natural do céu, moderado pela floresta exuberante, e a claridade de luz artificial vindo de dentro do posto de gasolina.

    Hopper continuou pintando na sua velhice, dividindo o seu tempo entre a Cidade de Nova Iorque e Truro, Massachusetts. Morreu em 1967, no seu estúdio próximo ao Washington Square Park, na Cidade de Nova Iorque. Sua esposa, a pintora Josephine Nivison, que morreu dez meses depois que Hopper, doou o seu trabalho ao Whitney Museum of American Art. Outros trabalhos importantes de Hopper estão no Museu de Arte Moderna de Nova Iorque, no The Des Moines Art Center, e no Instituto de Arte de Chicago.

    Estive em Nova Iorque por várias vezes, mas não tive tempo de visitar museus, o que lamento imenso.
    Abraço amigo. Saudações do reino dos sorrisos

    ResponderExcluir
  4. Caro amigo António Cambeta!
    Reitero meus agradecimentos pelo relato pormenorizado a respeito deste notável pintor estadunidense!
    Também reitero meus votos de boa estadia no reino do Sião!
    Caloroso abraço! Saudações artísticas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  5. Não tendo grande sensibilidade para a pintura, o realismo é o único género que verdadeiramente me seduz.
    Alguns quadros de pintura abstracta dá-me a ideia que podiam ser pintados por mim :)))
    Aquele abraço e votos de boa semana!

    ResponderExcluir
  6. Caro amigo Pedro Coimbra!
    Este é o fascínio das obras de arte, porque a forma como são vistas pelo apreciador é singular!
    Caloroso abraço! Saudações retocadas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir

Google+ Badge