O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Miniconto

Miniconto
Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Caros confrades passageiros. O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando. Caloroso braço. Saudações reflexivas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r
Todos a bordo... A viagem continua...

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Continuo a espera de Godot...

Continuo a espera de Godot...
Saudações dionísicas.

Saudações leitoras.

Saudações leitoras.

Seguidores

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Miniconto

Nobilíssimo pintor inglês, Edward Burra (1905-1976).
Obra de arte de 1930.
Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br


Horácio não suportava mais trabalhar naquele café londrino a servir clientes, como por exemplo, a detestável Margareth, que ficava horas sentada no balcão a sorver vagarosamente o café, acompanhado do sanduíche que ele preparava e servia. A detestável jamais poderia supor que aquela seria a última vez que entrou neste estabelecimento comercial, porque ao sair...

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Miniconto

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Estas almas penadas apreciavam sobremaneira selfies até o dia que...

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Variações linguísticas

Caros confrades passageiros.
"Ôxente, bichinho cabo da peste". Aprecio sobremaneira as riquíssimas variações linguísticas da nossa amada Língua Portuguesa.
Caloroso abraço. Saudações variantes.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Firulas da lambisgoia da Agrado


A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, disse que foi escolhida por Noé para ser salva na arca de madeira.
Com certeza Noé estava sob estado etílico.
Max..

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Divanir Bellinghausen

Fotos: Evani Belletato Moraes


Epístolas Paulianas
Conversando com minha querida amiga "batateira" Divanir Bellinghausen.

 
Diadema, minha amada cidade, 23 de fevereiro de 2017.

Caríssima amiga Didi.
Que gozo mor revê-la - ontem - naquela ensolarada e abafada tarde, sempre elegantíssima, na Seção de Pesquisa e Documentação "batateira", que você batizou de Casa da Memória, onde nos reunimos todas as últimas quartas-feiras do mês, das 14h00 às 16h30, desde o ano de 2011, para sermos partícipes da roda "Conversas de Memória", que tem a honra de tê-la como pioneira, onde trazemos à baila a riquíssima memória "batateira".
Seus amigos "batateiros" e forasteiros ficaram jubilosos ao revê-la, recebendo-a efusivamente e de braços abertos.
Você faz a diferença na vida daqueles que a conhecem, sempre a irradiar energia positiva, bem querer e palavra amiga. A Alice não pode estar presente, mas te envia um apertado e afetuoso abraço e disse que adora fazer os quitutes saborosos, preparados por você, reunidos num concorrido livro de receitas de sua lavra.
A vida cultural e social são-bernardense deve muito a sua sapiência, tarimba e tolerância.
A temos em alta estima e consideração e nos sentimos honrados por tê-la como Amiga.
A Divanir Bellinghausen é a maiorial!
Apertado e afetuoso abraço. Saudações fraternais.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.



quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Charles Laughton (1899-1962)

  Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Ator inesquecível.
https://www.youtube.com/watch?v=A8y3B8eBq4k

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Praça Lauro Gomes

Caros confrades passageiros.
Na crônica que escrevi sobre a audição musical na Praça Laura Gomes, publicada na página Memória de hoje, cometi um equívoco, porque afirmei que a lanchonete chamava Culturama, mas o marido da Elexina Medeiros D'Angelo, o Vicente disse que o nome da lanchonete era Xaveco. De tanto minha turma chamar a lanchonete Xaveco de Culturama, ficou na minha memória o nome que minha turma chamava.
Peço-lhes escusas pelo ato falho.
Caloroso abraço. Saudações retificadoras.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Memória carnavalesca

Caros confrades passageiros.
Minhas amadas irmãs Dirce e Judite, bem como meu cunhado Adélio, tiveram a prerrogativa de abrirem a Semana do Carnaval, na página Memória, publicada no periódico Diário do Grande ABC.
Caloroso abraço. Saudações carnavalescas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Miniconto

Air Índia 1946.
Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Enquanto a Comissária de Bordo ou, como dizem no reino distante além-mar, Hospedeira, mantinha um palpitante colóquio com o assanhado Radji, jamais poderia supor que o voo não chegaria ao seu destino, a cidade de Bangladesch, porque se espatifaria na Baia de Bengala...

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Miniconto

Foto 1933
Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

O piloto da máquina voadora, o Delfino Toledo Pisa, era o pai das quatrigêmeas, da esquerda para a direita, Hortência, Margarida, Violeta e Rosa, a mãe delas, a Magnólia, estava a bordo do marido na máquina voadora, mas aquela espetacular apresentação aérea foi um divisor de águas na vida da família Toledo Pisa, porque...

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Saudades do trio Irakitan




Caros confrades passageiros.
A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, disse que a minha amiga e parceira de ofício Marília Sirolli fez o papel da dançarina espanhola nesta película.
Caloroso abraço. Saudações reveladas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira 
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

O sesquicentário da ferrovia

Caros confrades passageiros.
Apreciei sobremaneira a Página Memória do dia em curso, publicada no periódico Diário do Grande ABC, porque o incansável paladino em prol da memória regional, o escritor e jornalista Ademir Medici, publicou um circunstanciada aula ministrada pelo meu amigo e conterrâneo Adalberto Dias Almeida, que é aficionado pela ferrovia, que tanto contribuiu para a pujança do Estado de São Paulo. Meu sapiente conterrâneo também é Presidente do Conselho do Patrimônio do ABC, bem como um atuante memorialista sempre presente nas reuniões preparatórias dos Congressos de História do Grande ABC e, claro, nos palpitantes diuas dos dos Congressos.
Que saudades do alarido das porteiras da Estação de Santo André ao abrirem e fecharem (blem, blem, blem...)
O que nos espera na próxima Estação?
Max, traga meus sais centuplicado diluídos numa xícara de chá de reminiscências.
Caloroso abraço. Saudações ferroviárias.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Outro viés...

 Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br



Prezada Melaine Daniels, quem avisa amigo é, a cartomante mexicana, Dolores do Rego Cansanção, que atende numa quitinete, localizada num edifício decadente, no bairro paulistano do Glicério, quando deitou as cartas, a pedido da lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, que, segundo a do Rego, não mentem jamais, arregalou seus sedutores olhos verdes deu (ela adora o verbo dar, principalmente na 1ª pessoa do presente do indicativo) três gritinhos e disse, que  deves desistir de ir a Bodega Bay para impressionar o Dr. Mitch Brenner, porque sua presença naquela encantadora cidade litorânea do Estado da Califórnia, desencadeará um ataque inexplicável de pássaros, que têm predileção de bicar olhos humanos.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Brechó da Su



Caros confrades passageiros.
Como muita satisfação divulgo - mais uma vez - o Brechó da Su, localizado na Rua Manoel da Nóbrega nº 1561, na pujante cidade de Diadema, de propriedade do meu estimado amigo diademense, o atuante Zé Pedro, que é um empenhado Conselheiro do Conselho do Patrimônio de Diadema, bem como um cidadão crítico e atuante, que deseja - intensamente - que nossa amada cidade floresça cada vez mais. Também tive a grata satisfação de rever meu parceiro de ofício, o jovial
Fernando, que leciona o componente curricular de História na Rede Estadual de Ensino.
Fada Selma D'ouro, Vanda Felix, Marisa De Moura Francelino, Mirtes Petri, Simone Santos Anjos, convido-as a conhecerem o Brechó da Su, porque tenho certeza que encantar-se-ão com objetos do tempo da Maria Cachucha:
https://www.youtube.com/watch?v=r3A3cvF_DY4
Este vosso amigo parvo, não resistiu e comprou, na sexta-feira passada, uma panela de cobre que tem aproximadamente cem anos, quando estávamos sob o domínio da 1ª maldita carnificina do século XX (1914-1918) e a adquiri por um preço módico.
A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, disse que fiz um negócio da China, porque a panela de cobre pertenceu a uma poderosa bruxa, que morava na então exuberante mata atlântica do bairro do Eldorado e fazia poderosos feitiços afrodisíacos, que deixavam aqueles felizardos que ingeriam as poções lascivas a ficarem sob a égide prolongada de Príapro. Também disse que o feitiço afrodisíaco era tão poderoso, mas tão poderoso, que - na contemporaneidade - basta dar um leve lambida na panela de cobre para ficar com aquilo, isto mesmo que pensastes, em riste...
Venham visitar o Brechó da Su.
Caloroso abraço. Saudações brechonianas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e goz
o.

Outro viés...

Cara Margo Channing, quem avisa amigo é, tenha muita, mas muita cautela com a ambiciosa Eve Harrignton, porque a ardilosa é capaz de tudo, mas tudo mesmo, para conseguir ser estrela de 1ª grandeza no teatro.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Repórter sepulcral

Foto; Nelson Pedro da Silva

Caros confrades passageiros.
Fiquei jubiloso quando o meu amigo, o jornalista e escritor Ademir Medici, que é um incansável paladino em prol da memória regional, escreveu - recentemente - na Página Memória, que ele escreve desde o dia 2 de setembro de 1987, no periódico Diário do Grande ABC, que eu sou repórter do sepulcrário de Vila Euclides.
O meu amigo Jorge Magyar disse que sou latifundiário sepulcral.
Aprecio sobremaneira flanar no cemitério-museu, como o Ademir Medici chama o "campo santo", como dizia minha saudosa mãe, a Sra. Matilde Pinheiro de Oliveira (1923-2008), porque fico a divagar o modo de vida daqueles que ali estão sepultados. Sei que um dia incerto e não sabido, que espero que seja bem depois do ano 2060, meus despojos mortais ficarão ali depositados. 

Eu cultuo - por exemplo - à memória do meu bisavô paterno, o Sr. José Pedroso de Oliveira (1846-1906), natural e fundador do bairro, agora diademense, de Piraporinha. Será que meus descendentes manterão a tradição da família de cultuar à memória familiar?
Saudades infindas daquela que já foram, como dizia minha amada e saudosa mãe...
Caloroso abraço. Saudações divagadoras.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

domingo, 12 de fevereiro de 2017

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Freira etílica


Caros confrades passageiros.
Não acreditei, até no setor etílico do supermercado Peralta, na cidade paulista de Guarujá, encontrei a irmã Tolentina do Rego Pinto...
Hummmm, tudo indica que mais tarde terá, isto mesmo o que pensastes, no Convento das Redentoras Humilhadas.
Já para o Convento das Redentoras Humilhadas.
Max, traga meus sais centuplicado diluídos numa dose tripa, digo, tripla, de vodka Smirnoff.
PS - Quero ler o que meu sapiente e deboista amigo Todesca escreverá.
Caloroso abraço. Saudações etílicas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

6ª reunião preparatória do 14º Congresso de História do Grande ABC

Caros confrades passageiros.
Ontem foi um dia memorável, porque fui um dos felizardos partícipes da comitiva de cidadãos abceanos afeitos à memória regional, que se encontraram na Estação Ferroviária de Santo André, com o escopo de se deslocarem até a cidade de Rio Grande da Serra para participarem da 6ª reunião preparatória do 14º Congresso de História do Grande ABC.
A reunião foi profícua e teve como comandante mor chefe, o pertinaz e competente Jorge Magyar, que cumpriu a pauta com desenvoltura.
Tivemos a prerrogativa de contar com a presença de ilustres partícipes, que abrilhantaram e contribuíram para que a reunião cumprisses sua função precípua.
O item final da pauta da reunião foi a visita ao imponente Teatro Municipal da cidade, inaugurado no ano passado, que tem plenas condições de ser a sede do 14º Congresso de História do Grande ABC.
Caloroso abraço. Saudações Rio-Grandense-Da-Serra.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Miniconto


Depois que a sandália disse aquilo, isto mesmo que pensastes, para o sapato, levou uma sapatada...

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Memória

                                                                 Foto: Roberto Nunes Vieira
 
Caros confrades passageiros.
O que seria da minha insulsa existência sem as reminiscências?
Max, traga meus sais centuplicado diluídos numa xícara de chá de fosfosol.
Caloroso abraço. Saudações memorialistas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Musa da dança

 Foto: Nelson Pedro da Silva

Caros confrades passageiros.
O que seria da minha insulsa existência sem a égide da inigualável Terspsícore?
Caloroso abraço. Saudações terspsicoreianas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira 
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Noêmia de Oliveira Fabrini


Caros confrades passageiros.
O dia em curso a saudade vem com intensidade, porque foi neste dia do ano de 2001, que a existência da minha amada e saudosa tia paterna Noêmia de Oliveira Fabrini cessou, para consternação dos seus entes queridos e amigos.
A tia Noêmia nasceu e sempre viveu no bairro diademense de Piraporinha. Ela era uma benzedeira muito conceituada e benzeu gerações de piraporinhenses. Ela teve três filhos que, infelizmente, não estão mais entre nós, mas a descendência continua, porque ela deixou netos, bisnetos e agora, se estivesse entre nós, benzeria seus trinetos.O amor que tenho pela tia Noêmia é tão incondicional que minha filha chama-se Paula Noêmia de Oliveira, em homenagem a inesquecível. Se ela estivesse entre nós teria completado 100 anos no dia 4 de dezembro do ano findo.
Tia Noêmia, até o dia que minha existência cessar, num dia incerto e não sabido, a senhora será lembrada sempre.
A saudade é infinda.
Peço-vos a bênção.
Sempre te amei, amo e amarei.
Saudoso e apertado abraço. Saudações noemianas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Observatório Astronômico de Diadema


Caros confrades memorialistas.

Com muito gozo compartilho a foto que eternizou a visita do atuante, tarimbado e pertinaz astrofísico diademense, Ozimar Pereira, que abrilhantou a reunião do Conselho do Patrimônio de Diadema, ocorrida ontem. Ele foi acompanhado de um também incansável paladino em prol da reativação do Observatório Astronômico de Diadema, que por questões políticas está desativado.
Jamais esquecerei que - no ano letivo de 1996 - levei meus regidos de uma escola estadual, localizada no bairro diademense Promissão, para visitar e ter uma inesquecível aula de astronomia com um astrofísico que minha combalida memória não lembra o nome.
Vamos unir forças e assinar o abaixo-assinado para que o Observatório Astronômico de Diadema volte a cumprir - com primor - sua função precípua? Eu já assinei.
Para assinar o abaixo-assinado entrem no site:
http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx...
Caloroso abraço. Saudações astronômicas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Google+ Badge