O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Miniconto

Miniconto
Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Caros confrades passageiros. O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando. Caloroso braço. Saudações reflexivas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r
Todos a bordo... A viagem continua...

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Continuo a espera de Godot...

Continuo a espera de Godot...
Saudações dionísicas.

Saudações leitoras.

Saudações leitoras.

Seguidores

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

E agora George Taylor o que pretende fazer?!...


11 comentários:

  1. Outro dos grandes filmes (George Taylor, o homem que veio do futuro e encontrou o nosso planeta destruído) ! Fica-nos a dúvida: será que daqui a 2 mil anos este nosso planeta já não seja habitado e os macacos inteligentes resultarão dos humanos ? ...
    Esperemos o comentário enriquecedor do amigo Cambeta ! :))

    Abraço!
    .

    ResponderExcluir
  2. Estimado amigo Rui da Bica!
    Também faço a mesma pergunta.
    Caloroso abraço! Saudações ambientais!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  3. Estimado Confrade e Ilustre Prof. João Paulo,
    Vi a primeira pelicula deste filme a original.
    O Planeta dos Macacos (título no Brasil) ou O Homem que Veio do Futuro (título em Portugal) é um filme estadunidense de ficção científica, baseado no romance de Pierre Boulle, La planète des singes. Estrelado pelo ator Charlton Heston, o enredo se baseia na experiência de um astronauta sobrevivente de uma missão espacial, que aterrissa em um planeta igual à Terra e descobre que uma raça de macacos falantes domina e escraviza seres humanos, que são mudos.

    A cena final do filme é antológica e marcou a história do cinema sendo o filme considerado um libelo anti-Guerra Fria.

    O filme teve quatro sequências, nenhuma alcançou o êxito do filme original.

    Além da franquia cinematográfica, nos anos 70 o filme foi adaptado ainda para a televisão (série televisiva), desenhos animados e quadrinhos.

    Depois de Heston, o grande astro da série foi o ator Roddy McDowall, que interpretou o macaco Cornelius. Depois do primeiro e com exceção do segundo, participou dos outros três filmes (no quarto e quinto, A Conquista do Planeta dos Macacos e a Batalha do Planeta dos Macacos, fez o filho de Cornelius chamado Caesar) e da série de televisão dos anos 70 (interpretou o macaco Galen).

    Foi refilmado em 2001 por Tim Burton, com o conteúdo parcialmente modificado.


    Já irei indagar junto do George Taylor, já que de mometo se encontram 4 naves perto do sol se dirigindo para a terra.
    Abraço amigo

    ResponderExcluir
  4. Estimado Confrade e Ilustre Prof. João Paulo,
    Este belo filme é ficticio mas existem na realidade bem perto de nós algumas naves espacias que segundo os entendidos na matéria da zona 55, local secreto dos americanos perto de Las Vegas, que irem ser atacados em breve.

    Uma nave espacial lançada da Terra viaja à velocidade da luz com quatro tripulantes, voluntários da missão que tenta provar que nessas condições o tempo passaria mais devagar para eles do que para quem ficou no planeta. Ao despertarem de uma hibernação induzida depois de uma viagem de 18 meses de seu tempo, o comandante Taylor comprova que na Terra já teriam se passado dois mil anos e que a teoria estava correta. A nave cai no mar de um planeta desconhecido e os tripulantes tem que abandoná-la às pressas, antes que a mesma afundasse. Agora são apenas três, pois um deles, a astronauta e única mulher do grupo chamada Stewart, morreu devido a um vazamento de ar em sua máquina de hibernação.

    Quando chegam à terra firme, os astronautas à princípio não encontram sinais de vida mas continuam procurando pois só dispõem de comida e água para três dias. Depois de uma longa caminhada, eles encontram os primeiros nativos, homens selvagens que não falam e que roubam seus equipamentos e roupas. Logo depois, os astronautas descobrem outra espécie nativa: violentos macacos que falam, se locomovem usando cavalos e atiram com rifles e não demonstram qualquer piedade ao matarem os humanos que encontram.

    Taylor é ferido na garganta e fica incapaz de falar, enquanto seus dois companheiros não tem melhor sorte: um é morto e o outro desaparece. Taylor é levado para o laboratório da doutora psiquiatra de "animais" Zira que examina o cérebro dos humanos capturados, pois desconfia que os macacos são descendentes dos homens, teoria combatida pelo Doutor Zaius, chefe da religião e da ciência da comunidade símia. Ao se curar do ferimento e conseguir falar, Taylor é perseguido por Zaius que também ataca Zira e seu noivo, o arqueólogo Cornelius. A única forma de se livrarem da perseguição do doutor é provarem que as teorias negadas por ele são verdadeiras e assim Zira, Cornélius e Taylor fogem com a ajuda de outros companheiros e tentam achar provas no sítio arqueológico descoberto antes por Cornélius, que fica na misteriosa "Zona Proibida".

    Abraço amigo

    ResponderExcluir
  5. Estimado Confarde e Ilustre prof. João Paulo,
    O Detective Pardal bem andou buscando o tal George Taylor, mas afinal não o conseguiu encontrar, já que ele George Taylor, ou simplesmente Taylor, é um personagem fictício e protagonista dos dos primeiros filmes da série Planeta dos Macacos. Interpretado por Charlton Heston, Taylor é um astronauta norte-americano. Aparece nos filmes Planet of the Apes e Beneath the Planet of the Apes.
    Provavelmente o Inspector Pardal terá que ir visitar algus Zoos dos EUA afim de o encontrar, depois dará notícias.
    Abraço amigo

    ResponderExcluir
  6. Estimado amigo António Cambeta!
    Reitero meus agradecimentos por nos brindar com o relato pormenorizado desta imperdível película!
    Apreciei sobremaneira este filme quando o assisti na minha já distante adolescência...
    Caloroso abraço! Saudações taylorianas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  7. O final do filme, com Charlton Eston em desespero, é fenomenal, caro Prof. João Paulo de Oliveira.
    Aquele abraço e votos de bom fim de semana

    ResponderExcluir
  8. Ainda meia desaparecida, caro professor, venho convidá-lo a desafiar-se, lá no meu cantinho.:)
    Um grande abraço e cá virei com mais tempo.:)

    ResponderExcluir
  9. P.S: já cá não está o "homem da cadeira":))
    Bem haja!

    ResponderExcluir
  10. Caro amigo Pedro Coimbra!
    Realmente o final desta inquietante película é inesquecível!
    Agradeço e retribuo os votos recebidos!
    Caloroso abraço! Saudações fraternais!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  11. Estimada confrade Nina!
    Que bom vê-la neste vagão do Expresso do Oriente!
    Já respondi o desafio no seu blog... Será que acertei?!...
    Quem é o homem da cadeira?!...
    Caloroso abraço! Saudações especulas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir

Google+ Badge