O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Miniconto

Miniconto
Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Caros confrades passageiros. O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando. Caloroso braço. Saudações reflexivas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r
Todos a bordo... A viagem continua...

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Continuo a espera de Godot...

Continuo a espera de Godot...
Saudações dionísicas.

Saudações leitoras.

Saudações leitoras.

Seguidores

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Película inesquecível: "Ryan's Daughter" entre nós "A filha de Ryan"









Caros(as) confrades!
Sempre fico propenso a refletir até que ponto pode chegar a intolerância e o preconceito ao lembrar ou rever a inquietante película "Ryan's Daughter" entre nós "A filha de Ryan", que o cineasta David Lean nos brindou em 1970. Infelizmente não está disponível para incorporação no YOUTUBE a tocante e inesquecível cena final... Enfim, uma película para ser vista e revista sempre!!!!!
Daqui a pouco teremos uma resenha circunstanciada que virá à luz graças a brilhante pena do nosso incansável detetive Columbo, digo, nosso estimado confrade e amigo António Cambeta!!!!

6 comentários:

  1. Junta-se David Lean e Robert Mitchum e o resultado tem que ser mágico.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. Caro confrade Pedro Coimbra!
    A trilha sonora ou como vocês dizem a banda sonora desta película é enternecedora!!!
    Caloroso abraço! Saudações leaninas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  3. Filha de Ryan é um filme, do género dramático, de 1970 dirigido por David Lean. O filme, ambientado em 1916, conta a história de uma mulher irlandesa casada que tem um caso com um oficial britânico durante a Primeira Guerra Mundial, apesar da oposição de seus vizinhos.

    O filme é uma adaptação muito livre de romance de Gustave Flaubert Madame Bovary, concebido pelo realizador David Lean, que realizou os famosos filmes Lawrence da Arábia e o Doutor Chigavo.

    O filme se passa na aldeia isolada de Kirrary na Península de Dingle, na Irlanda, durante a Primeira Guerra Mundial, Ryan Rosy (Sarah Miles) está aborrecida com sua vida monótona que levava, sonhava pois com fantasias sobre o mundo exterior - para desgosto do padre local, Padre Hugh Collins (Trevor Howard), uma pessoa velha, perspicaz e altamente influente que conhece tudo o que se passa na aldeia.
    Ryan Rosy (Sarah Miles) é a filha do estalajadeiro em uma pequena cidade na costa da Irlanda durante a Primeira Guerra Mundial. O país é ocupada pelo exército britânico, a população irlandesa não poupa forças para lutar contra os ocupantes.

    Como Madame Bovary, Rosy é uma garota romântica que anseia por uma paixão amorosa, ter como companheiro um jovem bem educado, porém seu sonho é quase impossível de se realizar, visto na pequena aldeia, não havia esse seu principe encantado. A única pessoa que ela considerava com bom nível social é um professor, Charles Shaughnessy (Robert Mitchum), um homem comum, um viúvo, que é alguns anos mais velho que ela. Rosy acredita que ele o seu principe encantado e por ele se apaixona, acabando por se casar com ele, volvido pouco tempo chegou à conclusão que ele não se interessa pelo sexo e não se sente feliz nem realizada.
    Entretanto chega à aldeia o Major Randolph Doryan (Christopher Jones) para assumir o comando da base militar local. Um veterano da I Guerra Mundial, que tinha sido condecorado com a Cruz de Victoria, mas vem ferido e com traumatismos da guerra. Rosy ao vê-lo instantaneamente se apaixona por ele. O Major teve uma recaída e é consolado por Rosy. Os dois beijam apaixonadamente, até que são interrompidos pela chegada de Ryan e os habitantes da cidade.
    Charles, seu esposo, começa a suspeitar de Rosy, mas mantém os seus pensamentos para si mesmo. Durante uma viagem à praia com seus alunos, ele encontra pegadas Rosy e Doryan na areia e trilhas-los para uma caverna e, mais tarde, ele encontra uma concha no Rosy é cômoda, mas se recusa a confrontá-la sobre isso. Michael também viu os dois amantes, no entanto, e tendo improvisou um uniforme de oficial britânico, ele dicas fora os habitantes da cidade sobre o caso. As pessoas da cidade ligue Rosy, ridicularizando-a como "prostituta do oficial britânico.
    Não dá para comentar mais, visto ser longo.
    Mas aqui fica uma pequena sincope da enternecedora película.
    Saudações Columbianas

    ResponderExcluir
  4. Nao me recordo se vi este filme embora conheca o titulo. Outro para ser visto.

    ResponderExcluir
  5. Estimado confrade e amigo António Cambeta!
    O inesquecível detetive Columbo ficaria orgulhoso em saber que tem um assecla do seu gabarito!!!!
    Agradeço sua deferência em nos brindar com mais esta resenha circunstanciada!
    Caloroso abraço! Saudações investigativas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  6. Cara confrade Catarina!
    Se você realmente ainda não assistiu esta imperdível película tenho certeza que a apreciará sobremaneira quando assisti-la!
    Caloroso abraço! Saudações cinéfilas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir

Google+ Badge