O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Miniconto

Miniconto
Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Caros confrades passageiros. O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando. Caloroso braço. Saudações reflexivas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r
Todos a bordo... A viagem continua...

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Continuo a espera de Godot...

Continuo a espera de Godot...
Saudações dionísicas.

Saudações leitoras.

Saudações leitoras.

Seguidores

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Epístola Natalícia




Caros confrades/passageiros!
Tenho a grata satisfação de publicar neste vagão do Expresso do Oriente, sob meu comando, a Epístola Natalícia da lavra do meu estimado amigo António Cambeta!

O Inspector Pardal, estava vendo o maravilhoso filme Hobbit, quando seu telefone tocou, não foi preciso perguntar quem era, era mais nem menos o Max seu companheiro na artes investigativas, telefonando da cidade de Diadema, informando que o Coronel Epanimondas Albuquerque Pinto Pacca irei fazer uma festa de arromba, uma consoada como nunca se viu, por aquelas paragens e a mesma se iria realizar no famoso Vagão do Expresso do Oriente, cujo  Ilustre Comandante, Professor João Paulo mandou iluminar com todo o requinte.
O Inspector Pardal que se encontrava bem perto do aeroporto, telefonou ao comandante de seu avião particular para se preparar, já que teria por missão voar até S. Paulo, e, dentro de poucos minutos levantava voo do Aeroporto Internacional de Macau.
.
Dez horas depois aterrava mo Aeroporto de Congonhas onde seu ajudante Max o aguardava mum enorme e modernissimo Cadillac Limousine DST, na qual seguiu para além do Inspector Pardal, o Comandante do avião e dois lindas e belas hospedeiras, companheiras de ofício do Pardal, seguindo para a gare onde o Expresso do Oriente estaca estacionado, durante a viagem eram muitos os mirones olhando pasmados para a limousine.


Chegado perto da gare a limousine foi rodeada pela multidão, ao mesmo tempo que se ouvia a romântica musica Samba em Perlúdio magnificamente interpretada pelo quarteto Os Seresteiros de Diadema, ficando o Pardal imensamente impressionado com a majestosa recepção, tendo vindo recebê-lo o Coronel Epaminondas Albuquerque Pinto Paccao acompanhada  pela sua devota esposa Dona Miquelina, tendo seguido para o vagão, sempre aplaudidos pela vasta multldão.
Estava já tudo a posto quando o Inspector Pardal e sua comitiva chegaram, mas faltava ainda duas horas para que a consoada tivesse o seu início. As companheiras do Pardal foram interpeladas pela lambisgoia do Agrado desejando saber qual delas era a esposa do Pardal e muito espantada ficou quando ambas responderam serem ambas as caras metades do Pardal, a linda e sempre bela Hermenegilda acompanhada estava de seu eterno namorado, tendo ouvido a explicação, mas seu coração palpitava, sempre com os olhos postos no Pardal, o qual com toda a deferência lhe veio beijar a mão, o que causou algum ciume, mas passageiro ao bombeiro Godofredo que respeitosamente o cumprimentou.
Seu estimado Confrade Prof. João Paulo estava super contente por ter ali junto de si seu Confrade Cambeta o qual abraçou com todo o carinho e amizade, tendo-lhe apresentado sua gentil esposa e sua restante família.

A Dona Miquelina se tinha apurado nas compras, tendo ido à Av. Pres. Kennedy e no famoso supermercado Carrefour, comprado os melhores dos produtos alimentares, já que estariam  presentes as mais altas individualidades da urbe, e muitos brinquedos para ofertar aos meninos de rua, tendo igualmente encomendado uma tonelada de alimentos para ofertar ao Banco Alimentar de Diadema, segundo o que lhe tinha recomendado o poderoso Cacique Tibiriçá, quando foi orar na Cripta da Catedral da Sé e orando junto à imagem de Nossa Senhora do Guadalupe, que igualmente lhe sugeriu para ofertar uma boa quantia de dinheiro para a igreja, tendo a Dona Miquelina abrido os cordões da carteira e ofertado uma boa soma de dinheiro que foi enviado para o Reverendo Cardeal Dom Odílio Pedro Scherer.
Em casa de Dona Miquelina a azáfama era imensa, a enorme cozinha estava cheia de ajudantes de cozinheiro e presente estava o famoso chefe Alex Atala que ia confeccionando as melhores iguarias e dando ordens e fiscalizando todos os trabalhos efectudos por seus colaboradores, e pela lambisgoia do Agrado que não perdia pinta de nada do que se estava fazendo e aguardando a oportunidade de tentar saber a receita das famosas rosquinhas, mas seus olhos estavam postos no Chefe Alex que ia preparando com muito esmero o bacalhau, lombo de suíno assando, imensos frangos e preparando uma enorme panela com arroz temperado, entre outros famosos pratos tradicionais.


Na parte da doçaria a esmerada Hermenegilda já tinha preparado as famosas e deliciosas rosquinhas, a lambisgoia do Agrado se quis aproveitar para saber a receita de como se preparavam as famosas e apetitosas rosquinhas, mas teve que ficar confeccionando apenas rabanadas, já que a Hermenegilda tem bem guardada a receita e não deixou que a lambisgoia soubesse.
A famosa Baba ao rum essa foi preparada pela própria Dona Miquelina que desde longa data é conhecida como a mais conhecedora na sua confecção.
Os vinhos esses foram escolhidos pelo Coronel Epaminondas, que mandou encomendar os melhores vinhos das melhores castas franceses e portugueses quer tintos quer brancos e o melhor dos champanhes.

O Inspector Pardal, igualmente um reconhecido enólogo, ia abrindo e provando os tintos, aos quais acompanhava com umas colheradas de caviar e umas lascas de presunto de Parma, já que durante a sua longa e cansativa viagem nada pode comer, passando a viagem dormitando.

As mesas estavam ricamente bem compostas onde nada faltava do melhor que existe.
     
Num vai e vem andava o bombeiro Godofredo e seu ajudante Evaristo Rego Picado, levando em sua espaçosa viatura as iguarias para o Vagão do Expresso do Oriente, que estacionado na gare da urbe, era alvo de todos os olhares.


O Ilustre Comandate do Vagão se mirava ao espelho recordando velhos tempos e contente estava por esta bela consoada que no seu famoso Expresso do Oriente tinha lugar, logo após uns momentos de reflexão andava de lado para lado dando ordens e mandando preparar os vagões 4 e 5 mais requintamente, na gare encontrava-se a fazer ensaios a Orquesta Lira Musical de Diadema, enquanto os Seresteiros de Diadema descansavam nas enormes , requintadas e confortaveis cadeirões no vagão 3 aproveitando para beberem umas caipirinhas bem geladas, já que, e embora fossem apenas 22.00 horas da noite o intenso calor se fazia sentir.
Mais ao longe, na gare se ia preparando, por uma companhia especializada, o fogo de artificio que seria largado logo que os ponteiros do relógio dessem as badalas da meia noite.
O enorme e vistoso presépio já estava instalado desde a tarde e era alvo de visitas de imesas pessoas, agora ainda mais se juntavam, a luz que dele irradiava iluminava toda a gare no seu máximo esplendor.
 
Pouco a pouco iam chegando os convidados, Dona Cristina Fonseca envergando um traje de cerimónia e transportando uma bela reluzente caixa, da qual saía um perfume embriagador, talvez um perfume Channel comprado na sua última ida a Paris,  a seguir Dona Nívia Andres igualmente transportando uma caixinha bem enfeitada, cuja prenda deveria ser valiosa, entradas no luxuoso vagão 4 chegava Dona Gloria Pelicano trazendo consigo algo de belo que tinha adiquirido na Argentina, todas estas formosas e belas damas se apresentam a rigor.
Dois amigos do Estimado Confrade, o Roberto e o Nelson ali estavam presentes sempre muito gentis e prestativos.
Entretando se ouviu a sirene de uma mota da polícia, era o Prefeito de Diadema, Lauro Michels que chegava, tendo o Coronel ido recebê-lo.
Junto ao local onde se iria realizar a queima do fogo de artifício podiam ver-se alguns bombeiros prontos para intervirem em caso de emergência.
A Orquesta Lira Musical de Diadema deu início ao programa executando alguns musicas natalícias.
Após a palestra dada pelo Prefeito de Diadema, seguiram-se algumas palavras de boas vindas e de Feliz Natal, proferidas pela anfitriã, Dona Miquelina, seguindo-se a troca de prendas. Após uns brindes de vivas se deu início à consoada, mesas fartas de iguarias iam sendo saboreadas, para belo prazer de todos os presentes.
Os criados ora iam ora vinham trazendo mais acepipes, a miudagem essa estava no vagão 6 onde a comida igualmente não faltava, e tinham por companhia alguns palhaços do Star Circus que Dona Miquelina tinha contratado, criando um ambiente de alegria e fraternidade.
O Inspector Pardal sempre acompanhado de suas caras metade ia dando ao dente e trocando impressões com seu Confrade e ilustre convidados, tendo a reputada escritora e jornalista lhe solicitado algumas informações sobre a vida que levava.
Dona Gloria Pelicano não parava de dar graças a Deus, tendo ficado encarregada de distribuir as prendas aos imensos miúdos que no vasto jardim iam comendo e bebendo, aguardando a entrega dos presentes.

No vagão 4 o Quartelo Seresteiros de Diadema tocavam e cantavam belas melodias românticas, que indo sendo intercaladas com maravilhosas musicas saidas os instrumentos da Orquesta Lira Musical, o ambiente era maravilhoso.
A lambisgoia ia e vinha, mas passava mais o tempo junto do Chefe Alex, e este com os olhos sempre postos na sopeira Hermenegilda, não lhe passava lá muita pevide.
O momento mais belo da longa consoada foi quando o Ilustre Comandante do Expresso do Oriente subiu a uma das poltronas tendo declamado com toda a magia um maravilhoso poema, da autoria do Pardal, cujo título  diz muito, Amizade.

COSTUMA-SE DIZER QUE NINGUÉM PODE ESCOLHER
A FAMÍLIA EM QUE NASCE.
MAS É POSSIVEL SELECIONAR OS AMIGOS ,
QUE SÃO COMO A EXTENSÃO DA VIDA.
A AMIZADE, UM DOS SENTIMENTOS MAIS NOBRES
QUE EXISTEM, NASCE DE FORMA ESPONTÂNEA,
PURA E SE VAI DESENVOLVENDO ATÉ CHEGAR À MATURIDADE.
CARACTERIZA-SE POR UMA AFINIDADE
MUITO GRANDE COM ALGUÉM,
BASEADA NO AMOR, NO CARINHO,
NA TERNURA,
NO RESPEITO
NA COMPREENSÃO,
NA TROCA E NA AJUDA.
É UM SENTIMENTO MUITO SINCERO,
QUE NÃO DEPENDE DA IDADE,
DE DINHEIRO
OU DE POSIÇÃO SOCIAL.
O AMIGO É UM DOM PRECIOSO,
QUEM ENCONTRA UM AMIGO,
CERTAMENTE ENCONTROU UM TESOURO.
A AMIZADE É UM SENTIMENTO LIMPO,
VERDADEIRO E PROFUNDO.
MAIS QUE UM IRMÃO,
O AMIGO É A OPORTUNIDADE
QUE DEUS NOS DEU
PARA ENCONTRAR A SUA METADE.
COM ELE, A PESSOA PODE-SE REVELAR
VERDADEIRAMENTE, DIZER NÃO, SEM MEDO DE FERIR,
SIM, SEM MEDO DE BALUJAR,
E AS VERDADES, SEM MEDO DE OFENDER.
ISSO PORQUE SE ACREDITA NA AMIZADE,
POR ELA SER INSENTA DE PAIXÃO.
NUM RELACIONAMENTO ASSIM
NÃO EXISTE A INVEJA,
ORGULHO OU RANCOR.
A VERADDEIRA AMIZADE É ETERNA,
COMO O AMOR .
Após lido este poema houve uma enorme e espontanea ovação ao declamador, nesse mesmo preciso momento, o céu de Diadema ficava cheio de luz e cor com o fogo de artifçio largado ali da gare, o estusiasmo de todos os presentes e de todos aqueles que enchiam a vasta gare era enorme.



A miudagem saltava de contentamento e mais contentes ficaram quando Dona Miquelina e Dona Gloria Pelicano lhe fizeram a entrega das prendas, necessário foi conter a multidão que se encontrava na gare, que pretendia, igualmente receberem algo, e Dona Miquelina os não decepcionou, já que junto à porta do vagão 9, ali se encontravam imensos cabazes de Natal e algumas prendas para os mais jovens, este de forma ordeira seguiram para o local e um a um iam recebendo as prendas, gritando bem alto Brigado Dona Miquelina, nossa benfeitora Pai Natal.
Passava já das duas da manhã quando a consoa terminou, alguns dos ilustres convidados se retiraram. A criadagem essa não tinha mãos a medir recolhendo toda a louçaria e ainda alguma da comida que restou.
O Inspector Pardal na companhia de seu Estimado Confrade ali ficaram batento papo, enquanto as suas caras metades se iam conhecendo melhor e trocando impressões, enquanto Dona Miquelina e seu esposo se foram sentar na gare ouvindo ainda mais algumas musicatas.
A lambisgoia do Agrado essa se escondia por detrás de um cortinado tentando ouvir o que diziam as damas, enquanto a famosa jornalista Nivia ia tomando apontamentos para fazer uma reportagem integral da famosa, flauta e inolvidável consoada passada no Expresso do Oriente.
A amiga Cristina  junto do Chefe Alex se encontrava desejosa de saber as receitas das comidas daquele fausto manjar natalício.
O comadante do avião esse após ter comido, o bombeiro Godofredo o acompanhou até à Pousada O Cantinho da Raposa, onde ficou a descansar.
Famosa se tornou a consoada dada por Dona Miquelina, tendo sido muito badalada e saído um reportagem bem fedelina no Diadema Jornal.
Após ter posto a escrita em dia com seu Estimado Confrade, Dona Miquelina, já com um grãozinho na asa e amparada por seu esposo, abriu a carteira e ofertou um relógio Rolex em ouro ao Inspector Pardal e dois aneis de diamantes às esposas do Pardal e igualmente um colar de pérolas à esposa do Confrade João Paulo, a este lhe deu dois beijos e entregou um envelope, cujo conteúdo não foi revelado.
A limousine do Inspector Pardal já se encontrava parcada na gare aguardando pela chegada deste, foi então a altura das despedidas, e com lágrima nos olhos se foi despedindo de todos, incluindo a Lambisgoia a qual beijou.
E foi com um forte abraço cheio de carinho e amizade que se despediu de seu Estimado Confrade e Ilustre Prof. João Paulo, promentendo que brevemente, de novo o iria visitar.
Dali seguiu com suas caras metades e  seu ajudante o Max para a Pousada O Cantinho da Raposa onde iriam passar o resto dia, seguindo nessa mesma noite rumo a terras do Oriente.

15 comentários:

  1. Caros amigos João Paulo de Oliveira e Antonio Cambeta, esta espitola me comoveu.
    Através dela, posso avaliar o grau de afinidade que foi crescendo entre pessoas que não se conhecem realmente, mas que é como se o fosse, dado o nivel de entendimento e sintonia aqui estabelecido.
    É como se vocês já se conhecessem há muito tempo. E talvez o seja.
    Oxalá esse lindo conto e natal se realize um dia... Que as luzes do natal iluminem suas vidas e que possamos nos abraçar e realmente viver o Natal, na sua mais pura e legitima expressão de amor e amizade.
    Caro Antonio Cambeta, indispensavel dizer que você tem uma sensibilidade e uma criatividade, que ultrapassa a dimensão visual...
    Um forte abraço desta amiga sensibilizada...

    ResponderExcluir
  2. Estimados amigos João Paulo e António Cambeta,

    Primeiramente, desejo-lhes Feliz Natal, que este dia de luz tenha sido intensamente comemorado!

    Devo lhes dizer que adorei a Epístola Natalícia, especialmente porque participei dela! Aliás, estou furiosa com o Senhor Cambeta, porque ele tirou-me a reportagem, escrevendo tão bem e detalhando todos os acontecimentos da festa natalina que não deixou-me outra alternativa senão assinar embaixo de sua gloriosa e minudente análise da luxuosa festa de que todos participamos! E até as suas fotos do evento ficaram perfeitas...

    Brincadeiras à parte, adorei a Epístola Natalícia! E estou esperando, pacientemente, que meu queridíssimo amigo, Professor João Paulo, volte a brindar-nos com novas, talentosas e fulgurantes Epístolas Paulianas!

    Grande abraço a todos!

    ResponderExcluir
  3. Estimado Confrade e Ilustre Prof. João Paulo.
    O Detective Pardal faz quase meio século que anda afastado da língua de Camões, mas vai tentando, a seu parco modo relatar algo que em seu pensamento sempre está presente, a amizade, humanidade e fraternidade.
    Grato fico pela deferência de ter postado minhas parcas letras em seu sempre maravilhoso e educativo Expresso do Oriente.
    Peço desculpa pelos erros ortograficos.
    Abraço amigo, saudações amigas.

    ResponderExcluir
  4. Estimada Amiga Cristina Fonseca,
    O meu sincero muito obrigado por suas gentins palavras. É bem verdade que por vezes, e é o caso, encontramos pessoas que nunca vimos mas que mantemos com elas uma amizade forte com esperanças de um dia nos possamos conhever pessoalmente.
    A minha criatividade é como pode ver, porém o meu pertuguês esse deixa muito a desejar, mas feliz fiquei ao saber que gostaram de minha Epistola Natalícia.

    Abraço amigo, votos de continuação de boas festas.

    ResponderExcluir
  5. Estimada Amiga e ilustre Jornalista Nivia Anfres,
    Em primeiro lugar o meu sincero muito obrigado por suas gentins palavras, ao mesmo tempo que peço desculpas pela minha parca escrita.
    O Inspector nunca teve pretensões e nem o sabe fazer reportagens jornalista, como tal fique avontade rsrsr.
    Bem gostaria que o que ficou escrito na Epistola um dia se possa tornar realidade.
    A minha Estimada Amiga bem nosso Estimado Confrade tem uma pena maravilhosa, e por certo Ele irá dar continuidade às suas sempre maravilhosas Epistolas.
    O meu sincro muito obrigado.
    Abraço amigo com votos de continuidade de boas festas.

    ResponderExcluir
  6. Havia um humorista em Portugal, já falecido, Raul Solnado, que dizia que a prima pensava que as epístolas eram as mulheres dos apóstolos :))))
    O que terá o nosso detective a dizer acerca do assunto.
    Continuação de boas festas.
    Aquele abraço

    ResponderExcluir
  7. Estimado Amigo Pedro Coimbra,
    Lá diz o ditado "Não exiete funmo sem fogo" as mulheres quando assim diziam tinha pipas de razão, um tio meu que era Padre Católico tinha nada mais nada menos do que 8 filhos, era o Padre Fontes, e o Pardal é igualmente Fontes e pai de 5 filhos mas por sorte não chegou a ser sacerdote, embora tivesse estudo no Seminário de VIla Viloça e expulso de lá, por uma noite um desses pafecos queria medir ou usar a gaita do Pardal!...
    Abraço amigo

    ResponderExcluir
  8. Cara amiga Cristina Fonseca!
    Também considero-me um felizardo por ser seu amigo não somente virutal!
    Caloroso abraço! Saudações amistosas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  9. Caríssima amiga Nivia Andres!
    Agradeeço e retribuo os auspiciosos votos!
    Preciso superar definitivamente aquele pesadelo com fantoches e continuar a escrever as Epístolas Paulianas!
    Viu como nosso amigo António Cambeta tem uma verve maravilhosa?!...
    Caloroso abraço! Saudações agradecidas
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  10. Estimado amigo António Cambeta!
    A honra é minha em ter a prerrogativa de ser brindado com esta imperdível Epístola Natalícia, que deixou encantados os passageiros/confrades deste vagão do Expresso do Oriente!
    Caloroso abraço! Saudações criativas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  11. Caro amigo Pedro Coimbra!
    Achei hilária a piada sobre a epístola!
    Aprecio sobremaneira a lisura, transparência e a maravilhosa verve do nosso amigo António Cambeta!
    Caloroso abraço! Saudações dionísicas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  12. Caro Prof João Paulo e amigo António Cambeta !...
    Devo-lhes confessar que fiquei pasmado, de boca aberta, ao tomar conhecimento pormenorizado desta extraordinária recepção, mais que merecida, diga-se de passagem, ao incrível e extraordinário Inspector Pardal !!! ...
    ... e quando o amigo João Paulo se mete nestas empreitadas só pode sair "coisa em grande" !!!

    Também de realçar a ilustre presença da Srª D. Cristina Fonseca, que creio, muito valorizou todo este festejo com a sua presença !

    Calculo a enorme satisfação do homenageado ! ...

    Resta-me dar os parabéns ao autor do completíssimo relato do acontecimento e à extraordinária organização do evento !!!

    Certamente que o Vagão do Expresso do Oriente irá ficar nos anais das grandes realizações de eventos de que há memória !!!
    .

    ResponderExcluir
  13. Caro amigo Rui da Bica!
    Viu que verve maravilhosa tem nosso amigo alentejano António Cambeta?!...
    Caloroso abraço! Saudações cambetaianas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  14. Caros amigos.
    Fiquei tão feliz em participar desta epistola que já estou me aprontando para os festejos do encerramento do ano, que serão ainda mais brilhantes e retumbantes.
    Espero que o condutor João Paulo prepare uma festa de arromba , para encerrar com chave de ouro este ano, que me brindou com dignos e ilustres companheiros de viagem.
    Muito bom ter vocês como amigos. Que possamos continuar juntos em 2013.Com muitas e boas fofocas, mexericos , casos coisas e boas pitadas de bom humor e fantasia.
    Um grande e carinhoso abraço a todos..




    ResponderExcluir
  15. Cara amiga Cristina Fonseca!
    Agradeço as gentis palavras!
    Também considero-me um felizardo por ser seu amigo!
    Caloroso abraço! Saudações amistosas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir

Google+ Badge