O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Miniconto

Miniconto
Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Caros confrades passageiros. O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando. Caloroso braço. Saudações reflexivas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r
Todos a bordo... A viagem continua...

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Continuo a espera de Godot...

Continuo a espera de Godot...
Saudações dionísicas.

Saudações leitoras.

Saudações leitoras.

Seguidores

domingo, 9 de dezembro de 2012

Luci dos Reis

Caros confrades/passageiros!
Esta fotografia captou e eternizou uma tarde agradabilíssima do já distante ano de 1968, quando fomos no então cenários externos da telenovela Redenção, que fez sucesso estrondoso e já tinha terminado! Os cenários ficaram, depois transformaram-se na Cidade da Criança, que fica atrás da Companhia Cinematográfica Vera Cruz, em São Bernardo do Campo-SP.
Da esquerda para a direita aparecem no auge da idade primaveril: Maria José, Luci dos Reis (que sorriso encantador!), Márcia, e
ste agora reles escrevinhador outonal e o Horácio Corazza.
Estes jovens estudavam, no período noturno, no então Ginásio Estadual Jardim - Extensão, que funcionava no mesmo prédio do Grupo Escolar Profª Hermínia Lopes Lobo, em Santo André-SP.
Naquela época eu era perdidamente apaixonado pela Luci!!! Ela parecia com a Judy, uma das filhas da família Robison, do seriado televisivo "Perdidos no Espaço" e a chamávamos carinhosamente de Judy! Nunca tive coragem de dizer para a Judy, digo Luci, que era perdidamente apaixonado por ela... O sentimento dela em relação a mim era de amizade e como eu era muito tímido nunca tive coragem de dizer-lhe o grande amor que sentia por ela... Nesta mesma época tive um namorico com a irmã dela, a Magali, mas sempre suspirando pela Luci... Também nunca esqueci que o dia 27 de abril é o aniversário da Luci!
Nunca mais a vi...
Por coincidência, minha irmã Dirce tornou-se amicíssima da Magali, que é vice Presidente do Sindicato dos Condutores Escolares de Santo André-SP, e minha irmã sempre me dava notícias da Luci!
Ela casou, teve duas filhas e no ano passado ficou viúva...
Hoje, recebi uma ligação no meu telefone portátil...
Era minha irmã Dirce, que ligou para comunicar que estava no velório da Luci, lá no Cemitério da Saudade, em Santo André-SP...
Estou sem chão e logo mais irei àquele sepulcrário para da-lher meu último adeus...
Fico cá a divagar como teria sido a minha vida ao lado da Luci...
Adeus, querida Luci, sempre a terei na minha memória com este sorriso encantador...
Naquela época fazia muito sucesso esta inesquecível canção:

2 comentários:

  1. Estimado Confrade e Ilustre Prof. João Paulo,
    Volvidos tantos anos essa maravilhosa telenovela é ainda um sucesso.
    Segundo o Pardal pode apurar a Redenção foi uma telenovela brasileira produzida pela extinta TV Excelsior e exibida de 16 de maio de 1966 a 2 de maio de 1968, sendo até hoje a telenovela que passou mais tempo no ar no Brasil. Foi escrita por Raimundo Lopes e dirigida por Waldemar de Moraes e Reynaldo Boury.
    Ficou a saber imensas coisas, mas não fará como a Lambisgóia, pois se a sua eterna amada Gene soubesse de sua paixão por Judy! Nunca tive coragem de dizer para a Judy, digo Luci, que era perdidamente apaixonado por ela... O sentimento dela em relação a mim era de amizade e como eu era muito tímido nunca tive coragem de dizer-lhe o grande amor que sentia por ela...
    Ok, fiquemos por aqui com esta eterna REDENÇÃO que muito apreciei de ver.
    Abraço amigo









    Trama

    Fernando Silveira, um jovem médico, chega à cidade de Redenção e desperta paixão em três moças: Lola; a malvada Marisa, filha do prefeito Juvenal; e a filha do sapateiro Carlo, Ângela, com quem se casa. Paira uma dúvida: será Fernando mesmo um médico? Depois, com a morte de Ângela, ele passa a conviver com as armações de Marisa.

    Curiosidades
    Redenção mantém ainda hoje, quarenta anos depois, o recorde de novela no ar por mais tempo na televisão brasileira. Foram vinte e quatro meses e dezessete dias, perfazendo 596 capítulos. Há produções que ultrapassaram esse número, como Chiquititas e Malhação, mas não no formato tradicional, ininterrupto, já que as temporadas trocavam os elencos e os enredos, não havendo uma continuidade da trama, caso de Redenção.
    Marcou definitivamente o ator Francisco Cuoco na pele do galã que arrebata o coração das mocinhas mas que pode ter um caráter dúbio, e a aura o acompanharia em trabalhos posteriores.
    Foi em Redenção que se deu o primeiro transplante de coração no Brasil! Dona Marocas morreria na passagem para a segunda fase da novela mas, temendo uma queda na audiência, já que a fofoqueira era uma das mais populares personagens, a direção da emissora resolveu que ela não poderia morrer. Assim, o Dr. Fernando transplanta um coração novo e ela sobrevive[2].
    Redenção teve a primeira cidade cenográfica da teledramaturgia brasileira. No município de São Bernardo do Campo, na área onde hoje fica a Cidade da Criança, a TV Excelsior reproduziu uma cidadezinha do interior.
    Theo De Faria participou do elenco de apoio em Redenção.

    ResponderExcluir
  2. Estimado amigo António Cambeta!
    A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, disse-me que o Hercule Poirot está enciumadíssimo, porque o Detetive Pardal desvela tudo com apenas algumas pistas!
    Caloroso abraço! Saudações saudosas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir

Google+ Badge