O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Miniconto

Miniconto
Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Caros confrades passageiros. O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando. Caloroso braço. Saudações reflexivas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r
Todos a bordo... A viagem continua...

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Continuo a espera de Godot...

Continuo a espera de Godot...
Saudações dionísicas.

Saudações leitoras.

Saudações leitoras.

Seguidores

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Caloroso abraço

Caros confrades/passageiros!
Jamais esquecerei este caloroso abraço, que me fez lembrar da inesquecível película "Noites Brancas"...
LUZES! CÂMERAS! AÇÃO!

10 comentários:

  1. Estimado Confrade e Ilustre Prof. João Paulo,
    O Detective Pardal passou um dia bem cultural, e de tudo o que fui e gravou com sua camera irá narrar.
    Ao chegar a casa e tendo visto o filme que jamais esquecerá aqui vai o meu abrço amigo, divulgando esta famosa película russa.
    Noites Brancas (em russo: Белые ночи) é uma obra do escritor russo Fiódor Dostoiévski. O livro que mais aproxima Dostoiévski do romantismo, foi escrito em 1848, antes de sua prisão.

    Como personagem central se tem o Sonhador, que em uma das noites brancas da capital São Petersburgo apaixona-se por Nástienka. Nesta obra, diferentemente de outras, em que a preocupação social é a diretriz para o enredo, desta vez encontramos um Dostoiévski romântico, lúdico. O personagem principal, que ao contrário das versões teatrais e cinematográficas, não tem nome, vaga errante pela "noite branca" de São Petersburgo.

    "Noite branca" refere-se a um fenômeno comum na Europa em que, mesmo com o Sol se pondo ele permanece um pouco pouco abaixo da linha do horizonte,deixando a noite clara, causando uma atmosfera onírica. Um encontro casual muda completamente a vida do até então solitário protagonista: conhece a ingênua e também sonhadora Nástienka, que aos prantos, espera aquele a quem um ano antes tivera prometido o seu amor.

    Ao longo das quatro noites seguintes, o protagonista se apaixona pela moça e conhece a sua inusitada história: Nástienka vive atada com um alfinete à saia da avó cega e ao lado da criada surda. Quando um novo inquilino chega a sua casa, ela vê a possibilidade de escapar de sua solidão. O misterioso homem um dia deixa a casa, prometendo que voltaria depois de um ano, quando tivesse condições de casar-se com ela. Quando o protagonista encontra Nástienka na ponte sobre o rio Nieva, estamos exatamente no dia marcado para o reencontro. Mas nenhum dos três personagens pode prever o que o destino preparou para eles. Essa obra teve várias adaptações para o teatro. No Brasil, recentemente , Débora Falabella e Luís Artur, foram dirigidos por Yara de Novaes.

    No cinema, a obra de Dostoiévski recebeu a adaptação do diretor italiano Luchino Visconti, com Marcello Mastroianni e Maria Schell; Le Notti Bianche (1957),que recebeu o Leão de Prata no Festival de Cinema de Veneza, tem trilha sonora assinada por Nino Rota, compositor preferido de Federico Fellini. A São Petersburgo do século 19 é transportada para uma Livorno construída no Teatro 5 de Cinecittá. O roteiro é assinado por Suso Cecchi d'Amico. A TV brasileira também assistiu a uma adaptação da obra de Dostoiévski; Noites Brancas foi exibida como um especial em 1973 na Rede Globo, com Francisco Cuoco e Dina Sfat nos papéis principais, sob a direção de Oduvaldo Viana Filho.

    ResponderExcluir
  2. Caro amigo António Cambeta!
    Mais uma vez o sempre destemido Detetive Pardal nos brindou com um relato pormenorizado deste inesquecível livro do notável escritor russo, bem como sua versão cinematográfica e televisiva!
    Caloroso abraço! Saudações dostoievskianas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  3. Estimado Confrade e Ilustre Prof. João Paulo,
    Embora o dia tinha sido atarefado em visitas culturais, que irei postar em meu parco blog, tenho sempre tempo para assitir a algumas pelicas memoraveis que jamais irei esquecer, graças as seus óptimos préstimos informativos e não só.
    Abraço amigo
    Saudações culturais

    PS - Passe pf. pelo O Mar do poeta e depois verá, os posts da cultura ficam para amanhã.

    ResponderExcluir
  4. Estimado amigo António Cambeta!
    Já visitei o Mar do Poeta! Reitero meus votos de pronto restabelecimento!
    Caloroso abraço! Saudações vigorosas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  5. Eu não diria que se devesse instituir a prática do "abraço", mas já seria acérrimo defensor de um "olá" e um sorriso quando nos cruzássemos na rua com qualquer desconhecido !
    Estamos a caminhar para uma sociedade em que os próprios habitantes de um prédio de apartamentos nem sequer se conhecem ou raramente trocam um cumprimento mais amistoso !
    Habitualmente, não passa de um "Bom-dia" balbuciado, o que é pena ! :((

    Abraço, João Paulo ! :))
    .

    ResponderExcluir
  6. Caro amigo Rui da Bica!
    Resido num prédio de apartamentos e ocorre exatamente o que você relatou.
    Caloroso abraço! Saudações amistosas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  7. Estimado Confrade e Ilustre Prof. João Paulo,
    É bem verdade o que o nosso amigo Rui da Bica afirma, porém por cá é bem diferente, todos se cumprimentam, com o bom dia e simpáticamente muitos perguntas Sek Jó fan mei? já comeu seu arroz! um cumprimento oriental muito amigavel e simpático. Os meus vizinhos e não só quando me vêm dizem Kam Sin Sam (Senhor Cambeta) Chou Sam - Bom dia.
    Costumes e cultura bem diferentes para melhor.
    Abraço amigo

    ResponderExcluir
  8. O nosso Amigo Cambeta já deu conta do cumprimento típico por estas bandas.
    Uma particularidade interessantíssima que me captou a tenção logo que cheguei a Macau.
    Não é curioso?
    Aquele abraço!!

    ResponderExcluir
  9. Caro amigo António Cambeta!
    Que bom saber a respeito deste cumprimento oriental!
    Caloroso abraço! Saudações orientais!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  10. Caro amigo Pedro Coimbra!
    Muito bom saber que vocês vivem num local onde as pessoas são amistosas!
    Caloroso abraço! Saudações amigáveis!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir

Google+ Badge