O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Miniconto

Miniconto
Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Caros confrades passageiros. O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando. Caloroso braço. Saudações reflexivas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r
Todos a bordo... A viagem continua...

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Continuo a espera de Godot...

Continuo a espera de Godot...
Saudações dionísicas.

Saudações leitoras.

Saudações leitoras.

Seguidores

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Vida após a morte: "Um conto de fadas para pessoas que têm medo do escuro" Stephen Hawking








Caros(as) confrades!
Ontem, como faço todos os domingos, tive a gratíssima satisfação de ler a coluna do renomado cientista Marcelo Gleiser, publicada no prestigioso periódico Folha de São Paulo!!! Que refrigério ter a prerrogativa de ler, sob o título "Sobre a vida após a morte", que desvela sem titubear o viés científico, que confirma: a vida após a morte não faz sentido!!!!! O nobilíssimo cientista Stephen Hawking afirma que vida após a morte é "Um conto de fadas para pessoas que têm medo do escuro"!!! A maioria dos membros da espécie Homo Sapiens dá sentido as suas vidas tentando explicar o inexplicável através dos mitos, na falsa esperança que existe algo mais, após o término das nossas existências...
Apesar de já ter apresentado neste vagão do Expresso do Oriente, o imperdível e inquietante curta-metragem "Morte", considero de bom alvitre trazê-lo novamente à baila, porque no meu viés ilustra com perfeição a única certeza que temos na vida, que é: um dia deixaremos de existir...
Como diz a personagem da Laura Cardoso, Ela:
- O que a gente faz enquanto ela não vem?
O personagem do Paulo José, Ele, responde:
- Este é o problema.
Enquanto ela não vem me refugio na fascinante Arte das Imagens em Movimento!!!!
Max!!!!!!!!!!!!!!! Traga meus sais centuplicado, porque o "Show deve continuar" até o dia que as cortinas da minha insulsa existência fechem para sempre...



















8 comentários:

  1. Caro Prof. João Paulo Oliveira,
    O ilustre pensador que era Agostinho da Silva, quando confrontado com a pergunta - "o que é que pensa acerca da morte?" - respondeu de uma maneira excelente.
    "Não penso nada. Ainda não morri, como é que eu havia de pensar alguma coisa?
    Se, depois de morrer, puder cá voltar, como sou seu amigo, eu digo-lhe o que é que penso. Agora não. "
    Abraço amigo

    ResponderExcluir
  2. Caro confrade Pedro Coimbra!
    Como disse o nobilíssimo físico Marcelo Gleiser:
    "O que importa é o que fazemos com a vida que temos, curta que seja. Após ela, o que persiste são as memórias naqueles que continuam vivos".
    Caloroso abraço! Saudações racionais!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  3. Meu caro amigo João Paulo !!
    O seu blog está ficando "demais".
    Gostei muito, saudoso das entradas das produções cinematográficas.
    Quanto à morte, um pequeno poema de Lucrécio(98-55a.C.):
    Algumas espécies crescem, outras
    diminuem; em breve tempo as gerações se substituem e
    assim como os corredores, transmitem a chama da existência.
    Calorosas saudações microbianas
    Todesca

    ResponderExcluir
  4. Estimado confrade Sergio Todeschini Aves!
    Agradeço sobremaneira sua atenção em trazer à baila o irretocável e inquietante poema de Lucrécio!!!!
    Sinto-me honrado em saber que um passageiro tão requintado e erudito, como você, embarca sempre neste vagão do Expresso do Oriente!!!
    A lambisgóia da Agrado está sôfrega para oferecer-lhe os agrados da Agrado, que são conhecidos até nos confins do deserto de Gobbi!!!!
    O Show deve continuar!!!!!!!!!!
    Max!!!!!!!!!! Traga meus sais centuplicado!
    Caloroso abraço! Saudações darwinianas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  5. Estimado Confrade e Ilustre Prof. João Paulo de Oliveira.
    Li com muita atenção este pertinente artigo e vi alguns dos videos.
    Não sou filosofo para poder responder a esta pergunta, mas como praticante do budismo, e segundo as suas crenças, a vida depois da morte depende do nosso comportamento vivido cá na terra, mais, reencarnaremos, em animais ou pessoas, segundo os nossos méritos.
    Em alguns mosteiros tailandeses, os fiés entram em urnas para orar, praticando este acto, os fiéis ficam com a sensação da morte e da ressurreirão, acto este visto in loco por este Confrade, que escreveu um artigo sobre o assunto, segue o link, e é pena que algumas das fotos, tenham sido retiradas pela Google.

    http://cambetabangkokmacau.blogspot.com/2009/03/orando-dentro-de-urnas.html

    Um abraço amigo

    ResponderExcluir
  6. Estimado confrade e amigo António Cambeta!
    O que me fascina neste maltratado e fascinante mundo é o fato de estarmos num processo permanente de aprendizagem!!!
    Caloroso abraço! Saudações socráticas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  7. Você continua se superando a cada postagem!
    Fernando Pessoa define bem a morte:

    " Somos parte de tudo e tudo parte de nós. Nada passou. Nada se passou a não ser um arrepio... De vida, de morte. Sossega, criança. Você morreu tantas vezes que já deveria estar acostumada.

    A morte é a curva da estrada.
    Morrer é só não ser visto."

    E eu, como paciente que fui do renomado Dr. Livio Pincherle, pioneiro em psicoterapia de vidas passadas, posso dizer que nada termina aqui, outras vidas virão... assim como outras se foram...
    Em duas regressões, me vi companheira do Chico que vc bem conhece de "ouvir falar", nosso amor não é de agora, vem de outras vidas e eu não aprendi até agora!!! rsrs continuo chorando a sua partida ha mais de 20 anos! Um dia, nos reencontraremos no andar de cima e se puder, juro, eu te conto o mistério da morte! rsrs
    Beijos, beijos
    Glorinha Policano

    ResponderExcluir
  8. Estimada amiga Glorinha Policano!
    No meu viés depois que cessar nossa existência ficaremos na memória daqueles que ficaram...
    Caloroso abraço! Saudações incrédulas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir

Google+ Badge