O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Miniconto

Miniconto
Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Caros confrades passageiros. O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando. Caloroso braço. Saudações reflexivas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r
Todos a bordo... A viagem continua...

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Continuo a espera de Godot...

Continuo a espera de Godot...
Saudações dionísicas.

Saudações leitoras.

Saudações leitoras.

Seguidores

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

As investigações do Detetive Pardal



NSPECTOR PARDAL EM BELO HORIZONTE

O Inspector Pardal acompanhado pelos seus anfitrões Julio Cesar de Morais Leite, Fernandinho Borda-de-Água e pelo Chefe da Polícia Federal do Estado de Espiríto Santo, Alberto Mexias Apolinário, após lhes ter sido entregues os bilhetes, se dirigiram para o balcão do chek-in dos Busines Classe, onde enviaram a pouca bagagem que eram possuidores, recebenco os bordings pass, se dirigiram para o interior do espaçoso e confortável aeroporto Internacional de Salvador, Deputado Luís Eduardo Magalhães, indo até ao salão Vip, da Azul Linhas Aéreas Brasileiras, onde se deleitaram com algumas bebidas, bebidas essas que muito vieram refortalecer o Inspector Pardal, bem como o forte café arábico que bebeu, deixando-o mais desperto.


Dali sairam para a sala de embarque, o vôo Azu-4118, de 2, 20 horas de duração, seria realizado através de uma aeronave Embraer 195, cujo nome de registro era Sonho Azul, vinha mesmo a calhar, pois o Inspector Pardal tinha o sonho de desvendar o assassinato no tren Azul, e para o local seguia.




Confortavelmente sentados nas cómodas cadeiras de busines classe e óptimamente servidos, por uma gentil e linda hospedeira, o vôo foi decorrendo sem ter-mos sentido torbulência alguma, estava um céu de brigadeiro, volvidas as 2.20 horas de vôo, o Embrarer 195 aterrava suavemte no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte - Confins, Trancredo Neves, mais conhecido pelo Aeroporto de Confins.


Saídos ao aeroporto nos aguardava uma limusine que nos conduziu ao Ouro Minas Hotel, onde ficámos alojados em 4 Suíte Presidencial Sênior, um luxo, as mesmas eram assim compostas:


Decoração clássica e vista espetacular para a Serra do Curral.


Menu de travesseiros com 10 opções.


Salas de jantar e estar com som stereo e CD, com mesa para 4 pessoas, sofás, TV, telefone, minibar completo.


Lavabo.


Cômoda, armário com cofre individual, maleiro e minibar completo.


Mesa de trabalho.


Dataport para instalação de fax, computador, impressora e internet.


Controle individual para ar-condicionado central.


Dock para iPhone e iPod.


TV a Cabo com controle remoto, com opção de cine privê e canais internacionais.


Telefone com discagem direta, com facilidades de viva-voz e correio de mensagens.


Área privativa de lazer composta por piscina térmica com hidromassagem, sauna a vapor e cascata, com uma deslumbrante vista para a Serra do Curral.


Luxuoso banheiro com ducha e banheira de hidromassagem, secador de cabelos, telefone, completo kit de amenidades L´Occitane, espelho de aumento e roupão.


Se o Pestana Convento do Carmo era luxuoso esta unidade hoteleira não lhe ficava atrás.


Depois de um duche bem reconfortante, e desejando jantar-mos todos juntos, nos dirigimos para a ampla e luxuosa sala de jantar do Restaurante Internacional Quinto do Ouro, onde o ambiente era delicioso. O Quinto do Ouro nos ofereceu diversas opções de entradas, massas, carnes nobres, carnes brancas e frutos do mar, além das famosas sobremesas.

Os manjares que escolhemos para o jantar foram muitos variados entre um bifão grelhado até um peixe cozido ao vapor, pratos estes bem regados com um tinto reserva alentejano, a refeição foi tomada calmamente e acompanhada por música agradável.


Com a barriga bem cheia e tendo à sua frente uma longa noite, o Inspector Pardal e seus anfitriões se dirigiram até ao Lobby Piano Bar, que ficava próximo do restaurante, onde fomos servidos, à mesa, pessoalmente pelo barman, que nos presentiou com um sortido de coquetéis fantásticos que nos alegrou ainda mais.


A boa disposição continuo, tendo o previlégio de ver e ouvir ao vivo , o famoso pianista Afonso Morato.


Cerca das 22.00 horas, como se tivesse solicitado através de uma varinha de condão, eis que se sentam ao nosso lado quatro gentins moças, tendo uma delas se dirigido ao Inspector Pardal e indagando ser o próprio ou não, vinham mandadas por sua madrinha a Senhora Dona. Beleza dos Reis Aparícia, proprietária do tren Azul, e ali estavam para nos fazer companhia, mais informando que seriam elas as companheiras de viagem que no dia seguinte se iria efectuar entre Belo Horizonte e Vitória-ES, abordo do tren Azul, no qual iria ter a honrada presença de Dona Beleza dos Reis Aparícia, que durante a a viagem nos iria dar mais promenores sobre o assassinato de seu amante, a bordo do tren Azul, na última viagem que o tren tinha efectuado até Vitória, mas que devido ao assassinato de Hilário Proença Mola Piteira, junto à estação de Pedra Corrida, a viagem foi viagem interrompida, tendo regressado a Belo Horizonte, onde a polícia federal tomou conta da ocorrência.


Informados sobre a presença daquelas moças ali naquele local e igualmente postos ao corrente da viagem que nos iria levar pelas mesmos trilhos, onde ocorreu o assassinato, por ali ficaram um pouco mais de tempo, tendo o inspector Pardal escolhido para sua companhia a moça que lhe tinha indagado ser ele em pessoa o famoso inspector,e com ela deu alguns passos de dança.


O bar ia encerrar às 23,00 horas, mas o Chefe da polícia Federal de Espiríto Santo, pediu ao pianista para ficar assim como o barman e por lá ficaram até às tantas da noite.

O inspector Pardal preferiu seguir para sua suite presidencial Sênior, acompanhado da jovem como nome tve conhecimento quando caminhavam sobre os fofos tapetes do corredor que dava para sua suite, a jovem tinha um nome bem giro, Linda Rosa Branca do Espiríto Santo, não terria mais que 25 anos, mas era uma bomba.

Embora ainda abananado da noite anterior, o Inspector Pardal não renunciou aos desejos da Linda Rosa, e com a ajuda de mais uns drinks, estava ali como um jovem, pronto para mais um combate amorso, naquele ringue com colchão à maneira.


A Linda Rosa depois de ter dado uma volta à enorme e luxuosa suite, foi até ao bar, retirando uma garrafa de conhaque de reverva Louis XIII, encheu dois copos, que calmamente foram bebendo, O inspector, mirava de alto a baixo o corpo sinuoso da Linda Rosa, dirigiu-se à sala e pôs a tocar uma música romântica muito de seu agrado, e ao som dessa dessa suave música se foi despindo, assim como a Linda Rosa, deixando à vista uns seios lindissimos e um corpo maravilhoso, muito mais belo do que o da Mary Monroe.

A piscina térmica ficava ali mesmo ao lado e nela mergulharam, entrelançando seus corpos naquela água vibrante que lhes deus ainda mais vida, e nesse encontro corporal, se mergulharam no amor. subindo e descendo ao sabor térmico e do escultural corpo da Linda Rosa, cujas pétalas se iam entregando de uma forma maravilhosa, suave e de seu corpo saindo um perfume ludibriante.


Mais uma noite igual a muitas noites passadas pelo Inspector Pardal em locais exóticos e sempre na companhia de beldades que só perdem por não serem estrelas de Hollywood.

Seria talvez quase cinco da manhã, quando os dois corpos fatigados repousaram na macia cama até ao nascer do sol.


Quando este se ergeu se pode ver ao longe seus raios pairando sobre a serra do Curral, mas o Inspectopr Pardal tinha ao seu lado uma montanha colossal que lhe pedia para ser subida e fazendo o gosto ao desejo houve mais uma secção de alpinista.


Mas tudo o que é acaba depressa, não seria o caso, visto a Linda Rosa lhe iria fazer companhia na viagem até Vitória e nesse percurso, certamente haveria de subir para cima da montanha cujos vales já conhecia.


A Linda Rosa puxou o inspector até à piscaina térmica onde ali com todo o carinho o foi massejando deixando-o de novo reconfortado e pronto para outra noite de combate, mas não foi preciso chegar à noite, visto as massagens lhe terem acendido o pifo de novo, e embalados termicamente o amor recomeçou, só terminando quando o telefone tocou, era a Dona Beleza dos Reis Aparícia comunicando que iria tomar o pequeno almoço com o Inspector Pardal no quarto de sua suite.


A Linda Rosa ao ter conhecimento que Dona Beleza dos Reis Aparícia. informou o Inspector Pardal que ela iria sair da sujite por alguns momentos afim de se preparar um chá à base de Cidrato de Sildenafi, visto que a Dona Beleza desejaria tomar um pequeno almoço com todos, isto é provar e não só, as iguarias do Inspector Pardal.

- Continua.



Inspector Pardal

2 comentários:

  1. Que rico detective que foi arranjar caro Prof. João Paulo Oliveira!! :))

    ResponderExcluir
  2. Caro confrade Pedro Coimbra!
    O detetive Pardal é do mesmo naipe do Hercule Poirot e o detetive Columbo!!!!
    Caloroso abraço! Saudações herculepoirotianas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir

Google+ Badge