O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Miniconto

Miniconto
Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Caros confrades passageiros. O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando. Caloroso braço. Saudações reflexivas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r
Todos a bordo... A viagem continua...

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Continuo a espera de Godot...

Continuo a espera de Godot...
Saudações dionísicas.

Saudações leitoras.

Saudações leitoras.

Seguidores

domingo, 21 de julho de 2013

Divagações


Caros confrades/passageiros!
Ontem, ao observar a imensidão do mar, tendo como ponto de referência a parte inferior do Morro do Maluf, que fica entre as praias das Pitangueiras e Enseada, no município de Guarujá-SP, fiquei cá a divagar como é fascinante ter conhecimento que cataclismos cósmicos e acontecimentos aleatórios possibilitaram que a água nas formas líquida, sólida e gasosa fossem mantidas de maneira abundante no nosso planeta, aliada a outras condições que deram origem a vida na Terra de maneira exuberante, que em determinadas situações catastróficas quase se extinguiu, mas retornou vigorosa possibilitando o surgimento de outras formas de vida devido a evolução.
Na última Idade do Gelo, segundo pesquisas científicas irrefutáveis, era possível aos homens pré-históricos, conhecidos também como caçadores-coletores ou pescadores-coletores, caminharem até a Ilha da Moela.
Por que há existência quando poderia não haver nada?!...

10 comentários:

  1. A resiliência da humanidade…
    Que se passará com o nosso amigo António Cambeta que não tem aparecido?

    ResponderExcluir
  2. Casto confradamigo

    Os mistérios cada vez são menos. O homem, na sua ânsia da descoberta está a chegar a metas que eram impensáveis uns anos atrás. O conhecimento torna-se cada vez mais vertiginoso, acompanhando a comunicação.

    O teu contemplar a imensidão do mar, como dizes, estás a participar na análise da vida, do decorrer do tempo, dos milhões de anos luz a que se encontram outros sistemas estrelares. Outras vidas? Quiçá...

    Bom, umas perguntas comezinhas: e qual o motivo por que deixaste de deslocações à nossa Travessa? Tratei-te mal? Ofendi-te? E quanto ao textículo? E?, e? e?

    Abç

    Henrique

    ResponderExcluir
  3. Cara confrade Catarina!
    Estamos sempre a enfrentar novas situações adaptativas.
    Espero que tudo esteja bem com o nosso estimado amigo António Cambeta!
    Caloroso abraço! Saudações evolutivas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  4. Henriquamigo!
    Deixei de visitar o seu espaço cibernético, porque fiquei sem entender sua atitude em excluir, sem nenhum aviso prévio e explicações, a publicação alusiva ao tributo que prestei a inesquecível Anne Frank. Convém enfatizar que a publicação excluída tinha 20 comentários.
    Caloroso abraço! Saudações constrangidas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  5. Caríssimo Amigo João Paulo

    Fui verificar o que terá passado quanto a essa infeliz ocorrência – e não posso explicar o que terá estado no desaparecimento da tua excelente crónica sobre Anne Frank (o que aliás foi reconhecido e encomiado por diversos comentadores, aos quais, meu querido Amigo, em devida hora respondeste). Vae victis!...

    Como sabes, vivi uma boa parte da minha vida profissional a tentar escrever para os leitores, mas, afinal, muitíssimas vezes que o fiz – foi, desgraçadamente, para a…Censura. Isso implicava, como também sabes, uma situação muito difícil que me levou, inclusive, a ser objecto dos ”carinhos políticos” da PIDE/DGS, a tenebrosa polícia política do chamado ”Estado Novo” do Salazar. Vivia-se então uma ditadura!

    Daí que, natural e obviamente, considere a Censura um crime que impede as pessoas de exercer a sua liberdade de expressão. Não seria eu – a não ser demitindo-me de mim próprio - que iria cortar o que quer que fosse, muito menos um texto que eu publicara. A fazê-lo (o que não fiz), rasgaria a minha própria maneira de ser e tornar-me-ia indigno de quem me lesse, de quem comigo colaborasse e, finalmente de mim mesmo. E seria, em resumo, repudiaria a Liberdade e a Democracia que desde sempre defendi e pratiquei.

    Sem conseguir descortinar a anomalia (e partindo do princípio de que não terei cometido mais uma burrice informática), vou enviar um email ao Blogger exigindo que me deem resposta justificada para o que aconteceu. Assim que a tenha, dar-ta-ei aqui no teu blogue, para que tu – em primeiro lugar – e os que te acompanham – possas então pronunciar-te sobre o que infelizmente terá sucedido. Se acaso não tiver resposta, de igual maneira te informarei,

    É o que posso, de momento, dizer-te. Acentuo e sublinho que nunca, mas nunca cometeria esse crime. E, por fim, mesmo sem me sentir culpado, peço-te desculpa pelo incómodo que te causei. E, com a humildade necessária, também te peço o envio de um novo texto – se o quiseres fazer. Muito obrigado. Vou, ainda, tentar recuperar o original do teu artigo sobre a Anne Frank para o republicar. No entanto, e como homem prevenido vale por dois, solicito-te que me reenvies, se o quiseres e o puderes fazer, desse original, pois… a sorte prega-me (nos) partidas que…

    Grande abraço

    Henrique Antunes Ferreira

    PS – Sendo o motivo deste texto muitíssimo grave, obviamente não utilizei a ironia que tanto gosto de utilizar

    ResponderExcluir
  6. Henriquamigo!
    Também peço-lhe desculpas por não tê-lo informado da exclusão do tributo a Anne Frank logo que constatei o ocorrido. Dei-me conta agora - mais serenamente - que mesmo que inadvertidamente a tenha excluído não foi por dolo.
    Envio-lhe, com muita satisfação, o solicitado.
    Agora vamos aos folguedos:
    Se eu descobrir que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, está envolvida nesta tramoia a jogarei da janela da cabine nº 5, do vagão do Expresso do Oriente sob meu comando.
    Caloroso abraço! Saudações solucionadas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    PS - Aproveito o ensejo para informá-lo que aprecio sobremaneira suas ironias!

    ResponderExcluir
  7. Nada que seria (será??) o que teríamos (teremos) se perdermos a água, se a destruirmos com o estamos a fazer.
    Grande abraço e votos de boa semana!

    ResponderExcluir
  8. Estimado Confrade e Ilustre Prof. João Paulo,
    Adorei essa sua maravilhosa foto olhando o mar e com pensamento muito vasto, o mundo é ainda um grande mistério.
    Quantas noites andando eu embarcado me embebia em pensamentos sobre este mundo maltratado onde vivemos mas nunca cheguei a ter conclusão alguma sobre como tudo acenteceu, só sei que o mundo é be,o e belo é nele irmos vivendo.
    Abraço amigo

    ResponderExcluir
  9. Caro Amigo Pedro Coimbra!
    A nossa relação deletéria com o meio ambiente certamente ocasionará um futuro inóspito para os seres vivos.
    Caloroso abraço! Saudações ambientalistas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  10. Caro Amigo António Cambeta!
    Quanto mais a ciência `tenta desvendar os mistérios cósmicos mais nos damos conta que nada sabemos sobre a vastidão cósmica!
    Caloroso abraço! Saudações existencialistas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir

Google+ Badge