O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Miniconto

Miniconto
Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Caros confrades passageiros. O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando. Caloroso braço. Saudações reflexivas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r
Todos a bordo... A viagem continua...

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Continuo a espera de Godot...

Continuo a espera de Godot...
Saudações dionísicas.

Saudações leitoras.

Saudações leitoras.

Seguidores

segunda-feira, 2 de março de 2015

João Domingues



 Caros confrades/passageiros!
Tenho em alta estima e consideração meu querido amigo e parceiro de ofício Joao Domingues, marido da também querida amiga e parceira de ofício Celeste Silva Luz.
Além de ser meu querido amigo é também quem conserta minhas máquinas cibernéticas deixando-as - com celeridade - operosas.
Temos muitas afinidades, como por exemplo, somos incrédulos, leitores vorazes, cinéfilos, apreciamos sobremaneira viajar, visitar museus,ir ao teatro...
Como a devida anuência deste sapiente ser vivente, que dignifica a nossa espécie, que também está sempre em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, publico uma supimpa resenha, que sua brilhante pena nos brindou, que discorre - com primor - sobre a imperdível, filosófica e inquietante película de 1982 "Blade Runner", que deixou marcas indeléveis na Fascinante Arte das Imagens em Movimento, bem como tem uma legião de fãs que a cultuam sobremaneira!
O que seria da minha insulsa existência sem as películas?
Max! Traga meus sais centuplicado"
Com vocês meu querido amigo:

 LUZES! CÂMERAS! AÇÃO!



Caloroso abraço! Saudações cinéfilas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus!

"Só de ler esse comentário dá-me ganas de vasculhar na minha cinemateca essa película deveras estupenda. Na época fui assisti-la no no cinema.
Confesso que naquele primeiro momento, eu com 24 anos, não tinha o cabedal filosófico para entender as nuances e a perfeição do roteiro. Eu simplesmente me deliciava com filmes do gênero ficção-científica. Muito antes já me embasbacava com "Star Trekk" (Jornada nas Estrelas) quando muito tenro em idade me imaginava com o Capitão Kirk e Spock indo "onde ninguém jamais esteve". Imagine, se eu eu não possuía maturidade para captar as sutilezas proféticas de Jornada nas Estrelas nos anos "sixties", tampouco as possuía eu no alvorecer da maturidade.
O título "Blade Runner" em seu significado original em tradução livre seria algo como "Correndo Sobre o Fio da Navalha", um título que sugere melhor o enredo do filme, porém, evidentemente soaria demais, aliás soaria "cabeça demais" nos anos 80s e muito mais nos tempos mediocrizantes modernos.
Blade Runner é simplesmente um "monstro" de perfeição à altura de..vou arriscar... "Psicose" de Hitchcock?
Um dos grandes dilemas da nossa espécie, "quem somos?" e consequente , de onde vemos? Para onde Vamos? Essa película, obviamente baseada num grande romance, nos coloca da maneira mais angustiante possível.
Em algum ponto do século XXI os "replicantes", eufemismo para "robôs", os quais não sabem que NÃO são humanos, pois foi-lhes implantada memória artificial de uma suposta infância, são explorados como escravos pelos verdadeiros humanos em colônias distantes. O planeta Terra há muito foi abandonado pela classe dominante, somente ficando aqui a escória, a ralé, todavia o aparelho repressor, os órgãos de segurança também aqui estão. Uma Chuva constante, numa noite eterna em Los Angeles é o cenário punk deste mundo distópico.
O filme começa com o relato da fuga de vários replicantes que aconteceu há poucos dias, e a informação é de que eles descobriram que são androides, com pouco tempo de vida, pois foram "fabricados com tempo de validade", e que por isso mesmo se dirigem à Terra para buscar as seguintes respostas: Quem me criou? Quem é o criador? Pode ele me fornecer mais anos de vida?

No fundo, o filme/romance é uma metáfora de nós mesmos. E a genialidade do enredo é tanta que algumas respostas ficam no ar após o final. Essas lacunas que causaram tanta reflexão serão "respondidas" na provável continuação do filme. Uma tragédia. Concordo com o crítico: Deixem a obra-prima em paz!"

3 comentários:

  1. Blade Runner é um dos meus filmes de culto, Amigo João Paulo de Oliveira
    Inesquecível!!
    E parece que vai ter um sequela
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  2. Caro Amigo Pedro Coimbra!
    Espero que não tenha sequela.
    Caloroso abraço! Saudações cinéfilas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus!

    ResponderExcluir
  3. Ôi Prof. Bom dia! Desta vez cheguei a tempo de embarcar quando o expresso já se movimentava para nova viagem.
    Sabe que tenho sempre prazer em lê-lo ainda que sem postar quaisquer comentários o que desta vez não acontece.
    Este filme é um daqueles que está presente quando se fala: os filmes de uma vida.
    Porque há obras cinematográficas incontornáveis, sobretudo quando a história e as performances dos actores são o que se chama "de encher o olho". (certamente que conhece esta expressão e o seu sentido).
    Deixo-lhe "akele" abraço, grande o suficiente para chegar a Diadema.

    §-se tudo correr de feição encontrar-nos-emos em Monte Real, né?

    ResponderExcluir

Google+ Badge