O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Miniconto

Miniconto
Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Caros confrades passageiros. O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando. Caloroso braço. Saudações reflexivas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r
Todos a bordo... A viagem continua...

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Continuo a espera de Godot...

Continuo a espera de Godot...
Saudações dionísicas.

Saudações leitoras.

Saudações leitoras.

Seguidores

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Epístolas Paulianas - Conversando com a minha amiga, a Dona Miquelina Pinto Pacca

Caros confrades/passageiros!
Foto de 1910.
Fonte:
http://arqtodesca.blogspot.com.br/

Entre tantos incontáveis vieses, trago à baila um:

Epístolas Paulianas

Conversando com a minha amiga, a Dona Miqeulina Pinto Pacca

Meu telefone portátil vibrou! Preciso dizer quem era?!... Claro que era a minha amiga, a Dona Miquelina Pinto Pacca (huhum)!
Ela disse que esta fotografia é do seu acervo familiar e o distinto casal de banhistas, que aparece da direita para a esquerda em primeiro plano, são seus avós maternos.
O avô era o Sr. Nicanor Salgado (1883-1958) e a avó, a Sra. Pureza do Rego Salgado (1886-1965), que na contemporaneidade têm seus despojos mortais depositados no sepulcrário do Paquetá, localizado na cidade paulista de Santos.
Quando eles foram eternizados nesta fotografia na Praia do Gonzaga, na cidade de Santos, a Dona Pureza estava grávida e depois de seis meses nasceu na Santa Casa de Santos, a minha mãe. a Sra. Maria das Angustias do Rego Salgado (1910-1989), que 31 anos depois trouxe-me à luz neste maltratado e fascinante mundo na capital paulista, mais precisamente no Hospital Samaritano.
Também nesta fotografia foi eternizado meu tio avô materno, irmão da minha mãe, o Sr. Juvenal do Rego (1886-1924), que aparece na fotografia segurando uma sombrinha. Como o meu tio não apreciava ostras, mas somente caracóis, conheceu alguém com a mesma predileção, que também foi eternizado nesta fotografia e aparece próximo dele de costa e de braços cruzados, o Sr. Inácio Monteiro (1887-1924). Eles moravam no bairro paulistano do Brás e tiveram suas existências interrompidas de supetão em consequência de uma bomba que foi jogada e explodiu quando eles estavam abraçados sob a égide de Morpheu, em sua morada, num dos sangrentos dias da Revolução de 1924, que ceifou a vida de muitos paulistanos.

Depois de versar sobre seus entes queridos eternizados nesta fotografia, a minha amiga a Dona Miquelina Pinto Pacca, que é uma das milhares de corintianas de carteirinha e, nesta condição, também vibra intensamente para que o Brasil seja Hexacampeão e, amanhã, como faz habitualmente todas às quartas-feiras, no período vespertino, das 14 ás 15h30, irá à Cripta da Catedral da Sé, desfiar o Santo Rosário, rogando fervorosamente a intercessão do poderoso Cacique Tibiriçá e da Nossa Senhora de Guadalupe, com o escopo de implorar de joelhos e mãos postas para que a nossa amada Pátria, que ainda tem palmeiras e sabiás (espero que continue...) ganhe o cobiçadíssimo título futebolístico, nesta modalidade esportiva e, se este auspicioso fato se concretizar, trazer aos meus patrícios momentos deleitantes para que possamos esquecer momentaneamente os cruciantes problemas que nos afligem, como por exemplo, a nefasta corrupção, a má distribuição de renda, o sucateamento dos serviços públicos e a nossa incivilidade.
Caloroso abraço! Saudações miquelinaianas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

PS - Esqueci de dizer que a Dona Miquelina mandou lembranças para a minha caríssima amiga
Nivia Andres e não vê a hora de recebê-la para o chá das cinco na sua suntuosa morada, localizada na Serra da Cantareira, onde a espera as apetitosas e suculentas rosquinhas da copeira Hermenegilda!
Aproveitou também para dizer que a copeira Hermenegilda, quando finalmente resolver casar com o bombeiro Godofredo (eles estão noivos desde o ano de 1999),
a convidará para madrinha de casamento. Nem preciso dizer que a Hermê, como carinhosamente a Nivia chama a Hermenegilda contrairá dengue, digo, núpcias na Catedral da Sé.

7 comentários:

  1. Vou de férias.
    Estarei de volta lá para meio de Julho.
    Aquele abraço!

    ResponderExcluir
  2. Estimado Confrade e Ilustre Prof. João Paulo,
    O Inspector Pardal ao ler mais esta imperdivel Epístola Pauliana, abrir seu secreto arquivo e confirmou tudo que Dona Miquelina relata, cópias dessas belas e memorávais fotos o Pardal encontrou, por certo Dona Miquelina a~s não quis expor devido à nudez de seus avós, nessa bela praia do Gonzaga.
    Sua avó Pureza do Rego Salgado, tinha sim muito de salgado, e quem o confirmou foi seu adorado esposo Nicanor Salgado, de pureza tinha pouco, e parece que esse gene chegou intácto a Dona Miquelina, através de sua mãe que sem Angustias no Rego Salgado, deu à luz no Samaritano Hospital essa grande senhora que antes de ter possuir o apelido de Pinco Pacca, e como adorava comer caracois daqueles farfalhudos, teve em seu prato belos manjares que palitos os iam marmamdo e foram cinco daqueles de encher o rego, já que de ostras, tal como seu familiar Juvenal, e por não gostar de ostras, igualmente apreciou os ditos caracois que em molho de tomate eram uma belaza.
    O Pardal ficou admirado com o procedimento da Dona Miquelina, ao ter ido à Cripta da Sé Catedral desfiar o Santo Rosário, rogando fervorosamente a intercessão do poderoso Cacique Tibiriçá e da Nossa Senhora de Guadalupe, com o escopo de implorar de joelhos e mãos postas para que a nossa amada Pátria, que ainda tem palmeiras e sabiás (espero que continue...) ganhe o cobiçadíssimo título futebolístico, nesta modalidade esportiva e, se este auspicioso fato se concretizar, trazer aos meus patrícios momentos deleitantes para que possamos esquecer momentaneamente os cruciantes problemas que nos afligem, como por exemplo, a nefasta corrupção, a má distribuição de renda, o sucateamento dos serviços públicos e a nossa incivilidade.
    Qaundo devia ir ao sepulcrário do Paquetá em Santos e levar um pouco de alpista para dar sorte à turma Canarinha, já que o poderoso Cacique nunca foi amigo de futebol, tão pouco Nossa Senhora de Guadalupe, mas enfim, aguardemos o desfiar do rosário.
    Quanto ao convite para Dona Nívia Andres ser madrinha de casamento da copeira Hermenegilda que andou a entregar suas belas rosquinhas ao Inspector Pardal, por certo o convidará igualmente para ser padrinho de casamento, mas à espanhola, e isso não se importará o bombeiro Godofredo, que anda com sua mangueira avarida faz algum tempo, devido a ter usado noutros incêndios fora de serviço.
    O Pardal irá ter um conversa bem afiada, tipo Lambisgóia com a Dona Miquela, e veremos se se esqueceu dos préstimos cá do Pardal que não precisa de alpitas para entrar no Convento das redentoras Humilhadas e delogar-se com as rosquinhas da irmã Gyconda ferro Salgado.
    Abração amigo, votos de ótimos passeios à beira mar.

    ResponderExcluir
  3. Caro Amigo Pedro Coimbra!
    Desejo-lhe ótimas férias!
    Caloroso abraço! Saudações viajantes!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

    ResponderExcluir
  4. Caro Amigo António Cambeta!
    Reitero que aprecio sobremaneira seus comentários circunstanciados, que enriquecem as Epístolas Paulianas de minha lavra.
    Tenho certeza que a copeira Hermenegilda ficará honrada em ter o Detetive Pardal como padrinho, quando num dia incerto e não sabido resolver contrair sarna, digo, núpcias com o bombeiro Godofredo!
    Nem quero ver o bafafá que dará a hora que a Hermenegilda descobrir que a possante e roliça mangueira do seu eterno novo andou a apagar outros incêndios.
    Caloroso abraço! Saudações hermenegildaianas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

    PS - Peço-lhe a gentileza de publicar o comentário que me brindou também na minha página do facebook.

    ResponderExcluir
  5. Uma fotografia incrível! Aparece tudo tão nítido e cheio de sol e vida.
    um beijinho
    Gábi

    ResponderExcluir
  6. Caro confrade Gábi!
    Folgo saber que gostou da fotografia.
    Caloroso abraço! Saudações fotogênicas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

    ResponderExcluir
  7. Caro Prof
    O que podemos contar com uma fotografia na mão!
    Gostei de conhecer os seus avós,de saudosa memória!
    Apesar de ser a preto e branco,está um óptimo trabalho!
    Um abraço
    Beatriz

    ResponderExcluir

Google+ Badge