O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Miniconto

Miniconto
Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Caros confrades passageiros. O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando. Caloroso braço. Saudações reflexivas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r
Todos a bordo... A viagem continua...

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Continuo a espera de Godot...

Continuo a espera de Godot...
Saudações dionísicas.

Saudações leitoras.

Saudações leitoras.

Seguidores

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Santana do Paranaíba-SP

Caros confrades/passageiros!
Faz tempo que não retorno a acolhedora cidade paulista de Santana do Parnaíba.
Esta cidade foi fundada no tempo que éramos colônia do reino distante além-mar e foi ponto de partida dos Bandeirantes para desbravar e tornar letra morta o Tratado de Tordesilhas (1492), todavia ė constrangedor saber que foi a custa de muito sangue, suor e lágrimas, por conta da maldita carnificina que promoveram, dizimando incontáveis nativos, bem como violentando as nativas, que nos tornamos o maior país da América do Sul.
O ganância exacerbada dos colonizadores, alicerçada no mercantilismo, tinha como escopo extrair ao máximo nossas riquezas naturais.
Na contemporaneidade temos as sequelas deste início turbulento da nossa história, sob a égide dos portugueses, que vieram inculcar suas crenças rançosas nos nativos, que viviam aqui a milhares de anos antes da chegada dos portugueses com suas crenças, usos e costumes.
Caloroso abraço! Saudações aprendizes!
Até breve...
João Paulo de Oliveira

Um ser vivente rm busca do conhecimento
LUZES!. CÂMERAS! AÇÃO!

6 comentários:

  1. Estimado Confrade e Ilustre Prof. João Paulo
    É sempre com muita tristeza que sabenmos os feitos maléficos dessas explorações e mantassas, não aconteceu somente por essas paragens, sejamos vejamos.

    Em 1580, Suzana Dias, neta do cacique Tibiriçá, juntamente com seu filho, Capitão André Fernandes, funda uma fazenda à beira do rio Anhembi (atual rio Tietê), a oeste de São Paulo, próximo a cachoeira denominada pelos indígenas de "Parnaíba" (lugar de muitas ilhas).
    Devido a sua posição estratégica no vale do rio Tietê, torna-se ponto de partida das bandeiras que seguiam rumo ao Oeste Paulista e ao Mato Grosso e em 1625 o povoado é elevado à condição de vila, com a correspondente criação do município.
    No século XVIII, a vila entra em decadência devido ao fim das bandeiras. O isolamento geográfico da vila provocado pelas quedas de água do rio Tietê e pelo relevo acidentado de seu território fazem que a vila não figure nas rotas de comércio e colonização que ligam São Paulo às nascentes cidades de Jundiaí, Sorocaba e Itu.
    Tal como Sir Lanka os primeiros europeus a visitarem o Sri Lanka foram os portugueses: Dom Lourenço de Almeida chegou à ilha em 1505 e encontrou-a dividida em sete reinos que guerreavam entre si e que seriam incapazes de derrotar um invasor. Os portugueses ocuparam, primeiro, a cidade de Kotte, mas, devido à insegurança do local, fundaram a cidade de Colombo em 1517 e, gradualmente, estenderam seu controle pelas áreas costeiras. Em 1592, os cingaleses mudaram sua capital para a cidade interior de Kandy, local mais seguro contra o ataque de invasores. Guerras intermitentes prosseguiram durante o século XVI.
    Muitos cingaleses se converteram ao cristianismo, porém a maioria budista odiava os portugueses, apoiando qualquer um que os enfrentasse.
    Port onde passaram os portugas de antão, infelizmente era sempre assim em todos os locais.
    Abraço amigo

    ResponderExcluir
  2. Uma História carregada de morte e sofrimento, Amigo João Paulo de Oliveira.
    Que não adianta tentar reescrever.
    Porque a memória não se apaga, não desaparece.
    Aquele abraço!!

    ResponderExcluir
  3. Caro Prof
    Tem razão! A escravatura e a acção dos Bandeirantes não são motivo de orgulho para mim,como portuguesa!
    O seu texto é uma verdadeira lição de história.Estudei esta parte, no decorrer do mês passado, com a minha neta mais velha.
    Um abraço
    Beatriz

    ResponderExcluir
  4. Caro Amigo António Cambeta!
    Grato por avivar minha combalida memória, porque não lembrava deste fato histórico do Sri Lanka.
    Caloroso abraço! Saudações memorialistas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento

    ResponderExcluir
  5. Caro Amigo Pedro Coimbra!
    Realmente a história deixa marcas indeléveis e é impossível reescrevê-la!
    Caloroso abraço! Saudações históricas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento

    ResponderExcluir
  6. Cara confrade Beatriz de Bragança!
    Sou um dos milhares de descendentes da nativa Bartira com o aventureiro e promíscuo luso João Ramalho (1593-1680), que por motivos não esclarecidos foi degredado da cidade de Vouzela, onde deixou desvalida a sua família.
    Não me considero hábil para julgar meu ascendente distante, porque ele viveu num contexto histórico, onde os usos e costumes nem de longe têm ressonância na contemporaneidade.
    Apesar dos pesares foi graças a ele que foi possível a comunicação entre os nativos e os seus patrícios, bem como foi ele que fundou no dia 8 de abril de 1553 a Vila de Santo André da Borda do Campo, que foi extinta no ano seguinte com a fundação da Vila de São Paulo de Piratininga,.
    Caloroso abraço! Saudações esclarecedoras!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento

    ResponderExcluir

Google+ Badge