O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Miniconto

Miniconto
Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Caros confrades passageiros. O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando. Caloroso braço. Saudações reflexivas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r
Todos a bordo... A viagem continua...

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Continuo a espera de Godot...

Continuo a espera de Godot...
Saudações dionísicas.

Saudações leitoras.

Saudações leitoras.

Seguidores

sábado, 25 de janeiro de 2014

Natalício da minha amada cidade de São Paulo



Caros confrades/passageiros!
O dia em curso é muito especial para os paulistanos e paulistas, porque comemoramos o 460º  natalício da nossa amada cidade de São Paulo, que na década de 50 e 60 do século passado tinha como slogan: "A cidade que mais cresce no mundo"!
Tenho grande apreço pelo imponente Palacete Riachuelo, que foi eternizado nestas fotografias da lavra do sempre pertinaz e arguto confrade/memorialista Eli K Hayasaka!
Sempre divago sobremaneira sobre o modo de vida de gerações de paulistanos que residiram nesta suntuosa edificação, que começou a ser construído na década de 20 do século passado!  
Também por conta desta auspiciosa data tenho a grata de trazer à baila reminiscências familiares do final da década de 50 e primeira metade da década de 60, quando eu era um petiz sonhador e  ficava aterrado com a possibilidade de soltar a mão da minha saudosa mãe (1923-2008), quando íamos visitar o meu também saudoso tio avô materno Ecelêncio Monteiro (1911-1990), que residia na rua Manoel Dutra nº 111, lá no bairro paulistano da Bela Vista, mais conhecido como bairro do Bixiga. Naquele tempo, quando amarrávamos cachorro com linguiça, ainda não existia a Radial Leste, que depois de construída mudou radicalmente a paisagem urbana paulistana.
Tínhamos duas opções para visitar o meu tio avô Ecelêncio, de ônibus ou trem de subúrbio. Quando a opção era o ônibus embarcávamos num coletivo da Viação Viripisa, lá no Ipiraguinha, em frente de uma fábrica de tecelagem Silva, Seabra & Cia, mais conhecida como Tecelagem Ipiranguinha e desembarcávamos no ponto final, que ficava no Parque Dom Pedro ou então - quando a opção era o trem de subúrbio - embarcávamos na estação da minha cidade de nascença - Santo André - que na contemporaneidade teve o nome alterado para Estação Prefeito Celso Daniel. As duas opções deixava-me concomitantemente fascinado/aterrado, porque para um petiz que residia na então pacata Vila Assunção, mais precisamente na Rua Javaés nº 182, era um grande acontecimento visitar o dileto tio da minha saudosa mãe e se deparar com a nossa já pujante capital onde a multidão tomava conta dos logradouros públicos. Quando íamos de trem de subúrbio desembarcávamos na Estação da Luz e minha mãe fazia uma parada obrigatória da Igreja da Santa Ifigênia para desfiar o Santo Rosário e ai de mim se desse um pio quando ela estava absorta na tediosa litania, porque o resultado era um beliscão daqueles... Também minha mãe ficava exasperada, porque eu queria porque queria embarcar num daqueles imponentes bondes, mas nunca fui atendido. Falando nos bondes uma das minhas frustrações é nunca ter embarcado num bonde paulistano.Também não me esqueço como ficava aturdido com o alarido do já intenso tráfego paulistano!
Quando chegávamos na casa do Tio Ecelêncio éramos recebidos de braços abertos por ele e sua esposa, a tia avó Gracia di Mauro Monteiro (1914-1969) e a filha única do casal, a ranzinza Rosa Monteiro (1940-1995) sempre dando aulas de piano. Falando na Rosa Monteiro ela era uma "chata de galocha". Um dia, também no meu tempo de petiz, tive a infeliz ideia de perguntar a idade dela... Até hoje não esqueço como ela ficou exasperadíssima e proferiu em alto e bom som que era um insulto fazer esta pergunta para uma donzela. Seus despojos mortais estão depositados no sepulcrário São Paulo, no jazigo da família da mãe dela. Se não fosse minha iniciativa - a ranzinza - não teria fotografia e nem placa de identificação.
Caloroso abraço! Saudações paulistanas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento

8 comentários:

  1. Já estive em São Paulo mas não vi esse edifício como tantos outros... Tenho um convite em aberto para lá regressar.
    Esse prédio é lindo.
    Bom fim de semana

    ResponderExcluir
  2. Gostava de conhecer essa grandiosa e belíssima cidade, fundada pelos Jesuítas no século XVI. Quem sabe um dia não satisfaça esse desejo...

    Abraço caloroso

    ResponderExcluir
  3. Cara confrade Catarina!
    Resido numa das 39 cidades que compõem a Região Metropolitana de São Paulo, que tem mais de 20 milhões de habitantes.
    Caso aceite o convite em aberto ficaria honrado em conhecê-la em carne e osso, bem como recebê-la na minha morada para conhecer meus entes queridos!
    Agradeço e retribuo os auspiciosos votos!
    Caloroso abraço! Saudações paulistanas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento

    ResponderExcluir
  4. Caro Amigo e parceiro de ofício JP!
    Quando este auspicioso dia chegar terei grande satisfação de conhecê-lo em carne e osso, além de ter a prerrogativa de recebê-lo em minha morada!
    Caloroso abraço! Saudações paulistas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento

    ResponderExcluir
  5. Estimado Confrade e Ilustre Prof. João Paulo,
    Meus sinceros parabéns pela passagem de mais este aniversário de sua amada cidade.
    Graças a Si conheço, embora virtualmente, a sua bela e magestosa cidade.
    Parabéns.
    Abraço amigo

    ResponderExcluir
  6. Caro Amigo António Cambeta!
    Grato pelas felicitações!
    Caloroso abraço! Saudações metropolitanas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento

    ResponderExcluir
  7. Caro Prof
    Tive o prazer de conhecer S.Paulo em 1988.Gostei imenso!
    Uma boa semana
    Um abraço
    Beatriz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara confrade Beatriz de Bragança!
      Folgo saber que gostou de conhecer a capital do estado que resido!
      Caloroso abraço! Saudações bandeirantes!
      Até breve...
      João Paulo de Oliveira
      Um ser vivente em busca do conhecimento

      Excluir

Google+ Badge