O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Miniconto

Miniconto
Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Caros confrades passageiros. O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando. Caloroso braço. Saudações reflexivas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r
Todos a bordo... A viagem continua...

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Continuo a espera de Godot...

Continuo a espera de Godot...
Saudações dionísicas.

Saudações leitoras.

Saudações leitoras.

Seguidores

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Crônica do Professor Pasquale Cipro Neto


PASQUALE CIPRO NETO

"Notícias de Portugal
É, caro Coutinho, navegar é preciso, naufragar não é preciso, mas parece que a tripulação da nau lusófona...
Na semana passada, em Lisboa, constatei, mais uma vez, que a maior parte dos portugueses ainda dá de ombros para o "(Des)Acordo Ortográfico". Como se sabe, entre nós 2012 é o último ano de "acomodação", ou seja, do período em que valem as duas grafias, a "velha" e a "nova" (o decreto 6.583, de 29.set.2008, deixa claro isso).
A observação que fiz no fim do parágrafo anterior se deve ao fato de que parte da nossa imprensa afirma, erroneamente, que a transição já acabou. Não acabou. Até o último segundo do ano em curso, pode-se escrever "tranqüilo" ou "tranquilo", "auto-regulamentação" ou "autorregulamentação", "pára" (forma verbal) ou a inacreditável "para".
Lá vai o que diz o texto legal: " A implementação do Acordo obedecerá ao período de transição de 1º de janeiro de 2009 a 31 de dezembro de 2012, durante o qual coexistirão a norma ortográfica atualmente em vigor e a nova norma estabelecida".
Mas voltemos a Portugal. Como bem disse nosso companheiro João Pereira Coutinho ("Naufragar É Preciso?", Ilustrada, 10.jan.2012), a barafunda ortográfica parece imperar na terra de Camões e Pessoa.
Peço licença a Coutinho para transcrever este trecho de seu artigo: "Em Portugal é outra história. E não deixa de ser hilariante a quantidade de articulistas que, no final dos seus textos, fazem uma declaração de princípios: 'Por decisão do autor, o texto está escrito de acordo com a antiga ortografia'. A esquizofrenia é total, e os jornais são hoje mantas de retalhos. Há notícias, entrevistas ou reportagens escritas de acordo com as novas regras. As crônicas e os textos de opinião, na sua maioria, seguem as regras antigas. E depois existem zonas cinzentas, onde já ninguém sabe como escrever e mistura tudo: a nova ortografia com a velha e até, em certos casos, uma ortografia imaginária".
Como exemplo do que diz Coutinho, cito o site da revista semanal portuguesa "Visão", em que há uma seção chamada "Actualidades" (note o "c"). O detalhe é que, no corpo da seção, a revista usa a grafia "nova", ou seja, escreve "atual", "atualidades" etc. A também lusitana "Sábado" parece ignorar por completo o "(Des)Acordo Ortográfico". Nas ruas de Lisboa e do Porto, nada de nada de nenhum sinal da "adopção" das normas do "(Des)Acordo". Anúncios publicitários, cartazes, panfletos, placas públicas etc. ignoram a lambança. O que vale mesmo é a velha grafia lusitana.
Enquanto isso, na TV, num boletim de dois ou três minutos, que conta com o apoio da importante Porto Editora, uma repórter vai às ruas e pergunta ao povo como se escrevem determinadas palavras. Num dos boletins, perguntava-se se "massagem" se escreve "com 'jota' ou com 'guê'". Sim, com "guê" (e não com "gê"), como diz a antológica canção "ABC do Sertão" (Luís Gonzaga e Zé Dantas). Sim, caro leitor, em algumas regiões do Brasil e em Portugal, o "g" pode ser "gê" ou "guê".
Ao dar a resposta, a repórter afirmou que "massagem" se escreve com "guê", mas... Mas disse que "massajem" (com "j") é do verbo "massajar". Lambança! A pergunta foi feita sem contextualização da palavra, portanto não faz sentido dar como correta a forma "massagem", se existem as duas... Bem, as duas existem em Portugal. No Brasil, os dicionários e o "Vocabulário Ortográfico" não registram "massajar" (registram o que se usa entre nós, ou seja, "massagear"; os dicionários portugueses registram as duas).
É, caro Coutinho, navegar é preciso, naufragar não é preciso. Só falta os passageiros e os tripulantes da nau lusófona saberem disso. É isso."



Caros(as) confrades!
Sou assinante do periódico "Folha de São Paulo"... Ontem tive a grata satisfação de me deparar com o imperdível artigo do nosso estimado Professor Pasquale Cipro Neto, que desvela sem titubear como os habitantes dos reino distante além-mar ignoram o Acordo Ortográfico, que no ano em curso está em transição. Não deixem de ler.

9 comentários:

  1. Estimado Confrade e Ilustre Prof. João Paulo,
    Em Macau podia ver a RTPi e confirmo o que escreveu o digno Prof. Pasquale Cipro Neto.
    Não só, muitos portugueses desconhecem ou não aceitam o novo acordo ortografico, mas mesmo o português, muitos termos os não sabem.
    Em Macau, muitos portugueses lá residentes também não aceitam o novo acordo, enfim, maneiras de pensar.
    Durante alguns séculos a escrita portuguesa sofreu alterações, esta é mais uma, e se a língua portuguesa continua a ser falada por mais de 200 milhões de pessoas, podemos agradecer ao país irmão Brasil, caso contrário, a língua de Camões ficaria simplesmente falada no ex-jardim à beira mar plantado.
    Eu falo por experiência própria não vi ainda em Macau, na única livraria portuguesa, um livro sobre o novo acordo ortográfico, eu o aceito, mas como estou bem longe daquele recanto europeu, vou aprendendo aos poucos, convosco, e corrigindo a escrita sempre que possa.
    Abraço amigo

    ResponderExcluir
  2. Caro Prof.
    Para quem como eu não se sente refém profissional do tipo de ortografia e das novas regras é reconfortante saber que pelo menos até ao fim deste ano não terei que ter qualquer tipo de preocupações nesse campo !
    O facto é que vou misturando as coisas ao correr da escrita sem ter que parar para pensa se é "assim ou sopas" :))

    Evidentemente que para quem tem "responsabilidades de ensino" as coisas já não p+oderão ser vistas com tanta leviandade !

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  3. O recém-empossado presidente do Centro Cultural de Belém (CCB), Vasco Graça Moura, fez distribuir ontem à tarde uma circular interna, na qual dá instruções aos serviços do CCB para não aplicarem o Acordo Ortográfico (AO) e para que os conversores - ferramenta informática que adapta os textos ao AO - sejam desinstalados de todos os computadores da instituição.

    Artigo publicado hoje, dia 3 de fevereiro, no jornal Publico, como poderá ver, existem resistencias fortes em Portugal e são quem deviam dar o exemplo e cumprir a lei....
    Abraço amigo

    ResponderExcluir
  4. Estimado confrade e amigo António Cambeta!
    Lamento saber que seus conterrâneos resistem em se adaptar as novas normas ortográficas.
    Caloroso abraço! Saudações adaptadas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  5. Caro confrade Rui da Bica!
    Reconheço que é difícil nos acostumarmos as novas normas ortográficas, mas precisamos ter pertinácia!!!
    Caloroso abraço! Saudações ortográficas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  6. MACAU BANGKOK O MAR DO POETA deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Crônica do Professor Pasquale Cipro Neto":

    O recém-empossado presidente do Centro Cultural de Belém (CCB), Vasco Graça Moura, fez distribuir ontem à tarde uma circular interna, na qual dá instruções aos serviços do CCB para não aplicarem o Acordo Ortográfico (AO) e para que os conversores - ferramenta informática que adapta os textos ao AO - sejam desinstalados de todos os computadores da instituição.

    Artigo publicado hoje, dia 3 de fevereiro, no jornal Publico, como poderá ver, existem resistencias fortes em Portugal e são quem deviam dar o exemplo e cumprir a lei....
    Abraço amigo

    ResponderExcluir
  7. Estimado confrade e amigo António Cambeta!
    A questão é que todos os países que falam a língua de Camões assinaram o acordo com as novas normas ortográficas...
    Caloroso abraço! Saudações resistentes!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  8. Caro Prof.

    Costumo dizer que "o que tem que ser tem muita força". Por isso já me estou a acostumar a escrever conforme o novo acordo ortográfico.
    Publiquei lá no meu "canto" um enigma que lhe é especialmente dedicado.
    Espero e desejo que não fique desta vez a comer pipocas na plateia, mas que "salte" imediatamente para o palco.

    Um abração, como dizem aí no Brasil.

    ResponderExcluir
  9. Estimada confrade e amiga Ju/Sonhadora!
    Parabenizo-a por estar a tentar a se acostumar com o novo acordo ortográfico!!! No ano de 1971, quando tinha 18 anos, tive que me acostumar uma pequena reforma ortográfica ocorrida entre nós. Até hoje quando escrevo as palavras: agosto, planeta, ele, penso em colocar o acento circunflexo...
    Muitíssimo obrigado pelo enigma que está em foco no seu blog!!! A famosíssima Maria merece este tributo no mês do seu natalício!!!!
    Caloroso abraço! Saudações paulistas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir

Google+ Badge