O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Miniconto

Miniconto
Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Caros confrades passageiros. O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando. Caloroso braço. Saudações reflexivas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r
Todos a bordo... A viagem continua...

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Continuo a espera de Godot...

Continuo a espera de Godot...
Saudações dionísicas.

Saudações leitoras.

Saudações leitoras.

Seguidores

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Primeira versão televisiva do "Sítio do Picapau Amarelo (1952-1962)


Caros confrades/passageiros!
Vou pedir a boneca Emília três pitadas do pó de pirlimpimpim e quando abrir os olhos serei novamente aquele menino andreense, que nem piscava quando os personagens da lavra do escritor Monteiro Lobato (1882-1948) apareciam ao vivo na primeira versão televisiva do "Sítio do Picapau Amarelo", brilhantemente adaptada para aquele meio de comunicação pelo saudoso casal Júlio Gouveia(1914-1988)/Tatiana Belinky(1919-2013).
Saudades... 

11 comentários:

  1. Olá colega e confrade,
    O Sítio do Picapau Amarelo é uma criação de Monteiro Lobato, escritor brasileiro mas que nós aqui muito gostamos pois atravessou a juventude de muitos.

    Passou muito tempo aqui e alegrou a criançada.

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Caro parceiro de ofício e confrade JP!
    Esta versão televisiva que me refiro é anterior a esta que certamente os habitantes do reino distante além-mar se encantaram.
    Caloroso abraço! Saudações emilianas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  3. Estimado Confrade e Ilustre Prof. João Paulo,
    Seus maravilhosos post me abrem sempre a curiosidade de conhecer algo mais da bela cultura brasileira.
    E, uma vez mais o Pardal lá foi saber algo mais sobre o Picapau Amarelo.
    Sítio do Picapau Amarelo é uma criação de Monteiro Lobato, escritor brasileiro.

    A obra tem atravessado gerações e é uma das mais amadas da literatura infanto-juvenil brasileira. O primeiro livro da série foi publicado em dezembro de 1920. A partir daí, Monteiro Lobato continuou escrevendo livros infantis de sucesso, com seu grupo de personagens que vivem histórias mágicas: Emília, Narizinho, Pedrinho, Marquês de Rabicó, Conselheiro, Quindim, Visconde de Sabugosa, Dona Benta, Tia Nastácia, Tio Barnabé, Cuca, Saci, etc. Os personagens principais moram ou passam boa parte do tempo no sítio pertencente à avó dos garotos, batizado com o nome de Picapau Amarelo, de onde vem o título da série.

    Em 1920, durante uma partida de xadrez com Toledo Malta, este contou a Lobato a história de um peixinho que, saído do mar, desaprendeu a nadar e morreu afogado. Lobato diz que perdeu a partida porque o peixinho não parava de nadar em suas ideias, tanto que logo sentou-se à maquina e escreveu A História do Peixinho Que Morreu Afogado. Este conto, deu origem ao livro A menina do narizinho arrebitado que não é nada mais, nada menos do que a origem do Sítio do Picapau Amarelo. Até hoje os pesquisadores buscam o conto, já que Lobato não se lembrava de onde o publicou.
    Adorei.
    Ao contrário de seu desejo, não irei pedir à boneca Emília algumas pitadas de pó de pirlimpimpim, já esses, nesta altura do campeonato, não me poderão transportar para a minha infâncis e jamais seria o tal menino que a cidade museu viu nascer, e mais se o fizesse lá estaria eu à pega com essa Lambisgoia que tudo sabe e tudo vê rsrsr
    Abraço amigo saudações pirlimpinpescas.

    ResponderExcluir
  4. A versão que passou em Portugal, e que acompanhei, já é posterior a esta.
    Aquele abraço!!

    ResponderExcluir
  5. Caro Amigo António Cambeta!
    O Detetive Pardal está sempre pronto para novas investigações!
    Sabia que também se encantaria com o Sítio do Picapau Amarelo!
    Caloroso abraço! Saudações lobatoianas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  6. Caro Amigo Pedro Coimbra!
    A primeira versão televisiva do Sítio do Picapau Amarelo que me refiro era transmitida ao vivo.
    Caloroso abraço! Saudações rabicoianas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  7. Saudades, ... nostalgia ! ... como era agradável acompanhar esta série ! :))

    Abraço ! :))
    .

    ResponderExcluir
  8. Caro Amigo Rui da Bica!
    A série que você se refere foi a segunda versão televisiva do Sítio do Picapau Amarelo, produzida pela Rede Globo.
    Caloroso abraço! Saudações saudosas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir
  9. Tive a sorte de estar a passar por cá uma versão mais recente, quando tinha 12 ou 13 anos e assim pude também crescer com a companhia da Emília do Pedrinho, da Narizinho, do Saci, do Visconde e de todas as suas aventuras e depois descobri entre os livros antigos da minha mãe um do Sítio do Picapau Amarelo, penso que importado do Brasil.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Cara confrade Redonda!
    Os personagens lobatianos deixaram marcas indeléveis na nossa existência!
    Caloroso abraço! Saudações emilianas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderExcluir

Google+ Badge