O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Seguidores

domingo, 24 de julho de 2016

Mirtes Petri

Caros confrades/passageiros.
Com muito gozo apresento minha estimada amiga e parceira de ofício Mirtes Petri, que considero como se fosse uma irmã temporã.
Mirtes, sempre te amei, amo e amarei.
Caloroso abraço. Saudações fraternais.
Até breve...
João Paulo de Oliveira 
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

sábado, 23 de julho de 2016

Incertezas do acaso


Caros confrades/passageiros.
Fico sem chão quando reflito que minha insulsa existência não seria factível,  se incertezas do acaso, numa gélida noite do final do mês de julho de 1952 tivessem permitido que outro dos milhões de espermatozoides - que meu saudoso pai ejaculou - não tivesse fecundado o óvulo fértil da minha saudosa mãe, numa das incontáveis fornicações que eles tiveram ao longo da vida conjugal (1941-1997), principalmente no período que geraram seus sete bebezinhos (1942-1954).
Esta mesma incerteza do acaso, depois de um cataclismo cósmico
- ocorrido 65 milhões atrás - foi a causa da extinção  em massa dos seres vivos, incluindo os dinossauros, que permitiu a evolução dos mamíferos.
Max, traga meus sais centuplicado, diluídos numa xícara de perplexidade.
Caloroso abraço. Saudações atônitas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira 
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Miniconto


O dia 21 de outubro de 2001 foi memorável na minha insulsa existência, porque depois que fui eternizado nesta fotografia na cidade paulista de Campos do Jordão voltei ao hotel onde estava hospedado. Quando abri a porta do confortável quarto fiquei estupefato ao ver deitada na cama...

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Antônio Machado Filho (1922-1987)

Caros amigos.
O dia em curso é de ternas, mas também funestas reminiscências, porque neste fatídico dia do ano de 1987, a existência do meu estimado sogro cessou, após longo sofrimento advindo de insuficiência renal crônica, que o obrigava a se submeter a sessões de hemodiálise constantes.
Ele nasceu no dia 4 de março de 1922, na cidade mineira de São Brás de Suaçi e em meados da década de 40 imigrou para a cidade paulista de Guarujá, onde constituiu família, teve legião de amigos e era muito conceituado e conhecido na cidade. Ele era carpinteiro e depois, com um sócio, criaram uma firma de raspagem de tacos e aplicação de cascolac.
Ele foi eternizado nesta fotografia no auge da idade primaveril quando já residia na cidade de Guarujá e era garboso e vigoroso, no Foto Weise, que ficava na Rua General Câmara nº 11, telefone 2-5784, no centro da cidade de Santos.
A esposa dele faleceu no ano de 1971, com 45 anos, deixando-o desolado com duas filhas que então 21 e 17 anos respectivamente.
O conheci no ano de 1974 quando fui pedir-lhe consentimento para namorar minha amada Alice, que tinha neste ano 24 anos. No ano de 1977 ele anuiu também meu pedido e deu a mão da Alice em casamento para este agora caquético e insulso professorzinho primário e coordenador pedagógico aposentado, que deixou a Alice com cabelos grisalhos.
Quando contrai sarna, digo, matrimônio com a Alice ela já exercia os cargos de regente na municipalidade guarujaense e no Governo do Estado de São Paulo e, nesta época, eu era um reles escriturário, lotado na Secretaria de Segurança Pública de São Paulo e em exercício na agora extinta Delegacia de Estrangeiros e Passaportes. Nem preciso dizer que meus então parcos proventos não me permitiam dar uma vida confortável para a Alice.
Neste quesito meu sogro foi mais que um pai, porque com recursos próprios ampliou sua residência onde meses depois de casados fomos residir. Claro que tínhamos uma vida de classe média, graças aos proventos da Alice e da ajuda do Sr. Machado. Lembro que nesta época o então Governador Paulo Maluf dizia:
- As professoras não são mal remuneradas, mas sim mal casadas [sic]..Eu provei para este nefasto Governador que ele estava errado, porque depois de casado fiz faculdade de Pedagogia, na Faculdade Dom Domênico, no Guarujá e depois que ingressei no Quadro do Magistério das municipalidades diademense e paulistana minha vida pecuniária teve um rumo auspicioso.
Ché, como diria a saudosa tia-avó Carmem Pedroso Fabbrini (1909-2001), não é Silvia Fabbrini?
- o Joãozinho tenta prestar tributo para o saudoso sogro, mas começa discorrer sobre os primórdios da sua vida conjugal.
Folguedos à parte, estimado Sr. Machado, jamais o esquecerei e peço-lhe perdão se não fui um bom genro.
Enquanto eu não retornar ao nada o Senhor estará na minha memória.
Sempre o amei, amo e amarei.
Caloroso abraço. Saudações saudosas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Google+ Badge