O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Miniconto

Miniconto
Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Caros confrades passageiros. O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando. Caloroso braço. Saudações reflexivas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r
Todos a bordo... A viagem continua...

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Seguidores

sábado, 30 de novembro de 2013

Pó de pirlimpimpim

Caros confrades/passageiros!
Depois que aspirei 5 pitadas do pó de pirlimpimpim, que a boneca Emília me deu, ao abrir meus outonais olhos estava no dia 7 de setembro de 1895 e pedalando em  direção ao Museu de História Natural, que foi inaugurado nesse dia. Tempos depois esse museu passou a ser chamado de Museu Paulista, mas é mais conhecido como Museu do Ipiranga. 
Caloroso abraço! Saudações pirlimpimpimianas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Memória

Caros confrades/passageiros!
Considero sempre auspicioso ser partícipe de grupos memorialistas, como o que é destaque no periódico "Folha do ABC", na coluna da elegantíssima Didi Bellinghausen!
Embora a maioria dos partícipes é de "batateiros", forma carinhosa como são conhecidos os antigos sãobernardenses, os encontros são abertos a todos os interessados em trazer à baila a memória local e regional.
Caloroso abraço! Saudações memorialistas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira

Um ser vivente em busca do conhecimento

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Reclame de 1951

Caros confrades/passageiros!
No meu tempo de petiz ficava exasperado quando minha saudosa mãe (1923-2008) passava nos meus cabelos este creme brylcrem, que tinha um odor nauseabundo...
Caloroso abraço! Saudações memorialistas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Oscar Niemeyer (1907-2012)

Caros confrades passageiros!
Sempre que trafego na Avenida Paulista, sentido Diadema, ao me aproximar a bordo da minha máquina rodante no início da avenida, por estar atento ao trânsito, não tinha observado que neste edifício tem uma preciosa obra de arte da lavra do artista plástico Eduardo Kobra, que homenageou o 459º natalício da minha amada e pujante capital paulista, com este primoroso grafite, que presta tributo ao nobilíssimo brasileiro, o inesquecível Oscar Niemeyer (1907-2012), que deixou marcas indeléveis em inigualáveis edificações!
Como deixei minha máquina rodante a duas quadras da Casa das Rosas e caminhei até a Avenida Paulista, quando no dia 24 tive a prerrogativa de ser um dos felizardos partícipes da performance da minha querida amiga Kiusam de Oliveira, na Casa das Rosas!
Caloroso abraço! Saudações oscarianas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Kiusam de Oliveira


Caros confrades passageiros!
Ontem, tive uma tarde inesquecível, porque fui um dos felizardos partícipes do imperdível evento cultural: "AFROCONTAÇÃO" de Histórias com Piquenique, que está circunstanciado na primeira fotografia deste álbum, onde a minha querida amiga Kiusam de Oliveira encantou os presentes desvelando os usos e costumes dos nossos ancestrais, que surgiram no Continente Africano!Infelizmente, por questões de mobilidade urbana, cheguei atrasado, todavia ainda tive a prerrogativa de vê-la em todo o seu esplendor irradiando energia poderosíssima! Como diz o meu amigo Neres José Geraldo, a Kiusam de Oliveira é uma DIVINDADE!!!!!!
Caloroso abraço! Saudações kiusonetes!
Até breve...
Kiusonete nº 1
Um ser vivente em busca do conhecimento

domingo, 24 de novembro de 2013

Mexericos da Joan Crawford II

Caros confrades/passageiros!
Trim... Trim... Trim... Trim... Trim...
João Paulo: Alô, quem fala?
Marilyn Monroe: Meu querido marilyano JP aqui quem fala não é a tosse, mas sim a MM, que o fez ter sonhos inefáveis comigo no tempo que ainda não era um senhor senil caquético. Estou te ligando para avisá-lo que num dia incerto e não sabido que, segundo a mexeriqueira da Joan Crawford, não está distante, você será mais um habitante olimpiano. Aproveito para avisá-lo que a de olhos enormes, isto mesmo a Joan, está uma fera, porque ela disse-me que você bateu o telefone no ouvido esquerdo dela, que estava cheio de cera! Ela está cogitando atiçar no seu encalço os leões da Metro acompanhados da Mulher da Colúmbia com o pito, digo, tocha acesa. Também estou te ligando para fazer-lhe uma proposta, ao meu ver irrecusável, para o marilyano do seu naipe. Que tal deixar de ser vassalo mor e fã ardoroso nº 1, daquela insulsa da Gene Tierney, quando chegar aqui no Olimpo, para servir uvas e vinhos e demais desejos da sua deusa das deusas de todas as deusas e me dar o privilégio de tê-lo como vassalo mor e fã ardoroso nº 1?!...
João Paulo: Apesar de ser também seu fã ardoroso, a minha amada imortal é inigualável! Como também se atreve chamar a minha adorada Gene Tierney de insulsa?!... Nunca, jamais, em tempo algum, nem em pensamento, penso trair a inigualável Gene Tierney. Passe muito bem.
Marilyn Monroe: Ó marilyano de meia tigela o JP me paga. Agora vejo que a Joan Crawford não é mexeriqueira. Vou pedir para o Dana Andrews dar-lhe uns tabefes, onde já se viu bater o telefone no meu ouvido sexy direito?!..
Fonte da fotografia onde E L A está fenomenal, um dos imperdíveis  blogs do Todesca, que eu recomendo sem titubear:

sábado, 23 de novembro de 2013

Natalício da minha amada irmã Maria Inês de Oliveira!


Caros confrades passageiros!
Ontem, cinco dos bebezinhos da Dona Matilde e do Sr. Benedito, se reuniram na Padaria Bella Vitória, localizada no bairro andreense da Bela Vista, para comemorar o natalício da  nossa querida irmã Maria Inês, que carinhosamente chamamos de Neis!
Tivemos uma tarde agradabilíssima, porque após o almoço fomos à casa dela para cantarmos parabéns e entregar-lhe mimos, quando chegaram meu cunhado Adair e minha querida sobrinha Rosi, que leu o tributo que prestei a Neis todos ficaram emocionados ao ver a Neis jubilosa com o tributo que lhe prestei!
Foi uma tarde memorável e até parecia o final feliz de uma película ou de uma telenovela, que deixou-me propenso a refletir, que apesar das rusgas familiares, por conta de conflito de opiniões, no final o amor fraternal vence, tornando letra morta as palavras exasperadas, que num momento de exasperação foram proferidas pelas partes, digo dois bebezinhos envolvidos e que motivaram as rusgas!
Estes encantadores momentos que, os bebezinhos da Dona Matilde e do Sr. Benedito, estão reunidos considero altamente auspicioso trazer à baila a memória familiar, lembrando de entes queridos saudosos e viventes, que deixaram marcas indeléveis entre nós, bem como de lugares do Grande ABC e da capital paulista, que passaram por transformações vertiginosas e estão somente na memória daqueles que tiveram a prerrogativa de vê-los imponentes!
Saudades, como por exemplo, da Fábrica de Tecelagem, que ficava no bairro andreense do Ipiranguinha, do Teatro de Alumínio, dos Cines Carlos Gomes, Tangará, Santo André, Tamoyo, das Casas Tókio, das Lojas Ducal, Eduardo e Pirani, do lago que tinha antes de chegarmos ao trevo do KM 18 da Via Anchieta, do ônibus tipo chaleirinha que ia da Estação de Santo André até a Vila Assunção, do cheiro de café torrado quando estava no trem de subúrbio de aço ao nos aproximarmos da Estação de trem de São Caetano do Sul, do alarido das porteiras da Estação de Santo André ao abrir e fechar, do trem de passageiros com destinho a cidade de Santos...
Saudades... Saudades... Saudades...
 
Caloroso abraço! Saudações memorialistas/familiares!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento
 PS - No final enfrentei um congestionamento para chegar a minha amada cidade de Diadema. Quando o tráfego flui o trajeto na passa de 30 minutos. Ontem levei 1h30 para chegar em casa. Ao adentrar no meu apartamento, minha amada esposa, com um olhar maroto, me entregou uma famigerada notificação da Prefeitura Municipal de Santo André, porque foi multado, quando a placa da minha máquina rodante individual foi fotografada na abusiva velocidade de 49 km/h num local que o permitido 40 km/h , no dia 4 do mês em curso. O que me deixa exasperadíssimo é que sigo rigorosamente a legislação de trânsito, mas para meu dissabor, neste ano já foi multado três vezes.
Somente me resta rogar: Max! Traga meus sais centuplicado!
PS II - Quem desejar ver mais fotografias desta comemoração familiar acessem minha página no facebook:
 

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Maria Inês de Oliveira







Caros confrades/memorialistas!
Hoje, é um dia muito especial para a minha amada família, porque no glorioso dia 22 de novembro de 1947, chegou à luz, neste maltratado e fascinante mundo que vivemos, mais precisamente na Rua avaés nº 182, localizada na Vila Assunção, no município paulista de Santo André, pelas hábeis mãos de uma tarimbada parteira, que infelizmente não sei o nome, o 5º bebezinho da Dona Matilde e do Sr. Benedito, que era mais conhecido pelo apelido de Pirapora, porque nasceu no bairro agora diademense de Piraporinha!
A minha amada irmã, Maria Inês de Oliveira, ficou na condição de caçula por um período de 5 anos, 5 meses e 6 dias, porque no dia 29 de abril de 1953 chegou à luz o 6º bebezinho da Dona Matilde e do Sr. Benedito, este agora reles escrevinhador outonal e insulso professorzinho primário aposentado.
A Maria Inês foi uma moça garbosa e vigorosa, como bem atesta a fotografia que a eternizou no dia 31 de agosto de 1967, quando ela foi no extinto Foto Paulista, localizado na Rua Coronel Fernandes Prestes nº 87 na nossa cidade de nascença, Santo André, que ficava a duas quadras do Ponto de Táxi Senador, que anteriormente era ao lado do Cine Carlos Gomes.
Apesar da década de 60 ter sido de muitas transformações e mudanças de usos e costumes, minhas amadas irmãs mais velhas não podiam sair sem a presença de um vela zeloso, no caso o 6º bebezinho da Dona Matilde, eu!
Acho que fui um vela tão zeloso, que afugentou os pretendentes a mão da minha irmã, porque ela não casou e nem teve filhos.
Minha amada irmã desde a infância teve a saúde combalida, que a impedia de ter uma vida plena, todavia na juventude e idade adulta exercia o ofício de manicure e atendia suas clientes nas suas residências.
Também sempre mimou o 6º bebezinho da Dona Matilde atendendo, sem titubear, seus rogos (Por Dionísio, como sou folgado)!
Ela viveu na companhia dos meus adorados e saudosos pais e foi ela que cuidou deles com amor, zelo e presteza quando eles ficaram combalidos e não tinham mais condições de terem vidas independentes.
Foi ela que teve a desgraça de vê-los dar os últimos suspiros, todavia não deixou a peteca cair.
Atualmente ela reside no Ipiranguinha, nas proximidades do Jardim Tamoio, localizado lá na nossa cidade de nascença e tem o apoio incondicional de 4 bebezinhos da Dona Matilde!
Enquanto a Maria Inês mamava, chorava e dormia e ficava sequinha graças ao zelo da nossa genitora, na fascinante Arte das Imagens em Movimento fazia sucesso estrondoso a película "Down to Earth", aqui intitulada "Quando os deuses amam"!
LUZES! CÂMERAS! AÇÃO!

Maria Inês, que carinhosamente chamamos de Neis, sempre a amei, amo e amarei!
Seu irmãozinho que não deixa de ser seu vela zeloso!
Afetuosíssimo e calorosíssimo abraço!
Saudações memorialistas/familiares!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Gabriela Maia

Caros confrades passageiros!
Hoje, uma hora antes de ficarmos sob a égide das sombras da noite, ao retornar da cidade paulista de Guarujá e passar por uma das cabines do pedágio da Ecovias, localizada na Rodovia Cônego Domênico Rangoni, que quando foi inaugurada a primeira pista no ano de 1970, era chamada Rodovia Piaçaguera Guarujá e o famigerado pedágio não era cobrado, alicerçado, décadas depois, em contratos draconianos, que nunca, jamais em tempo algum, é benéfico para os desvalidos usuários, não tive a prerrogativa de ver a radiante e garbosa arrecadadora Gabriela Maia,que tem um sorriso cativante e irradia energia altamente positiva, ao passar pela última cabine daqueles que não se sujeitam a pagar mais ainda para o "SEM PARAR", porque além do valor extorsivo do pedágio, ainda tem que arcar com uma taxa de manutenção mensal deste equipamento da laia do "Big Brother", digo, "Grande Irmão" [sic], porque a Gabriela estava exercendo o rol de atribuições atinentes ao seu árduo/fascinante ofício na penúltima cabine dos cordeiros, digo desvalidos usuários...
Caloroso abraço! Saudações extorsivas!
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Missiva publicada no prestigioso periódico "Diário do Grande ABC"

 
Caros confrades/passageiros!
Na edição de ontem, o prestigioso periódico "Diário do Grande ABC",   publicou uma missiva que enviei alusiva ao lançamento do livro "Sementes do ABC".
Caloroso abraço! Saudações memorialistas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Natalício da minha amada imortal, a inigualável atriz Gene Tierney (1920-1991)


Caros confrades passageiros!
Minha querida amiga, Gloria Policano, que carinhosamente chamo de gloriosa Glorinha, me lembrou que esqueci que o dia em curso é glorioso para a memória da fascinante Arte das Imagens em Movimento, porque foi neste inesquecível do longínquo ano de 1920, minha amada imortal, a inigualável atriz Gene Tierney (1920-1991), que este maltratado e fascinante mundo que vivemos teve a prerrogativa de vê-la chegar à luz!
Creio que o esquecimento foi por conta daquela insulsa de maiôs puídos, a mexeriqueira da Esther Willians (1921-2013), que morre de inveja da minha amada imortal e fez com que os anjinhos barrocos me distraíssem para não prestar tributo a minha deusa das deusas de todas as deusas!
Caloroso abraço! Saudações tierneyanas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento
LUZES! CÂMERAS! AÇÃO!
 

Dito popular: "Em casa de ferreiro o espeto é de pau"


No dia em curso lembrei do ditado popular:
"Em casa de ferreiro o espeto é de pau", porque tinha uma consulta agendada com a nutricionista, que dá diretrizes para que este reles escrevinhador outonal e insulso professorzinho aposentado mantenha uma dieta para manter o peso ideal para minha faixa etária e idade (que é de 69 quilos. faltam somente 3 quilos e 600 gramas para atingir este peso), patrocinada pelo convênio Santamália, mais precisamente na clínica do município paulista de São Bernardo do Campo.
A consulta foi cancelada, porque a nutricionista se apresentou no seu posto de trabalho sem condições de exercê-lo, porque estava com dores atrozes na coluna.
A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, disse-me que o marido da nutricionista é um "bolo fofo" e também confirmo, porque o vi em carne e osso o "bolo fofo", quando ele fui buscar sua esbelta esposa...
Caloroso abraço! Saudações dietéticas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento

Dia da Bandeira

 

Caros confrades/passageiros!
Hoje comemoramos o "Dia da Bandeira"!
Juro pela alma imaculada do petiz, o depois aclamado São Domingos de Sávio (1841-1847), que não sou Integralista. Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento




 



segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Benedito Edmundo de Oliveira




Caros confrades/passageiros!
Tenho uma terapia eficaz quando a dor da saudade vem com intensidade, que é escrever...
Minha querida amiga Nivia Andres intitulou minhas reles escrevinhações como “Epistolas Paulianas”!
Meu amado e saudoso irmão primogênito viveu apenas 4 horas do fatídico dia 18 de novembro de 1942.
Se o 1º bebezinho da Dona Matilde Pinheiro de Oliveira (1923-2008), estivesse entre nós, completaria no dia em curso 71 anos.
Para prestar-lhe tributo dediquei-lhe esta Epístola Pauliana:

EPÍSTOLAS PAULIANAS

CONVERSANDO COM BENEDITO EDMUNDO DE OLIVEIRA

Diadema, minha amada cidade, 18 de novembro de 2013.

Amado irmão!
Por Chronos, como o tempo urge!
Se você estivesse entre nós completaria, no dia em curso 71 anos...
Infelizmente, sua existência foi fugaz, porque durou apenas quatro horas do fatídico dia 18 de novembro de 1942.
Espero que esta missiva cibernética o encontre no berçário do Olimpo, agora sob os cuidados intensivos dos nossos amados pais!
Sabe, Edmundo, nosso querido pai sempre se referiu a você com muito carinho, mas a mãe ficava incomodada quando eu perguntava a seu respeito, porque dizia:
- Não podemos falar sobre aqueles que já foram, porque agora ele é um anjinho, mudando de assunto... Deve ter sido duríssimo para ela suportar o intenso sofrimento de perder o primeiro bebezinho. Creio que este foi um dos motivos pelos quais ela queria sempre que estivéssemos à sua volta.
Depois de um ano, um mês e dez dias da sua partida, chegou o segundo bebezinho da mãe, agora o chefe da família, porque o pai e a mãe estão aí, zelando por você... Juro pela alma imaculada do conquistador espanhol Francisco Pizarro (1471-1541) que não estou com inveja!
Quereria ser um “cavalinho de circo” para ver, se você não tivesse deixado de existir, como seria seu relacionamento, com o nosso amado irmão Raimundo, que chegou depois de você!
Fico a divagar como seria seu modo de vida na contemporaneidade...
Será que:
- teria numerosa prole?!...
- seria viúvo?!...
- seria solteiro?!...
- desquitou e casou novamente?!...
- foi torturado nos anos de chumbo?!...
- seria cinéfilo?!...
- também cultuaria as inesquecíveis atrizes Cacilda Becker e Gene Tierney?!...
- seria aposentado em qual ofício?!...
- apreciaria ostras e caracóis concomitantemente ou somente ostras ou somente caracóis?
- seria um beato zeloso?!... (O Senhor esteja convosco!)
- seria um padre?!... (Pobrezinho...)
- seia espírita?!... (Ché...)
- seria evangélico?!... (Max! Traga meus sais centuplicado!)
- seria incrédulo?!... (Por Dionísio eu tenho a quem puxar!)
- seria um político?!... (Certamente com o perfil dos saudosos Franco Montoro e Mário Covas!)
- seria um irmão amoroso?!... (Ulalaaaaaaaaaaaaaaá!)
- teria me protegido dos meninos malvados, quando eu era petiz?!...
- teria venerado os Beatles e os Rolling Stones?!...
- teria dançado chá-chá-chá e twist?!...
- teria superado o zelo exacerbado da mãe?!...
- seria o queridinho do pai e da mãe?!...
- seria ciumento como este seu penúltimo irmão e 6º bebezinho da mãe?!...
Ah, Edmundo, nunca, jamais, em tempo algum, terei respostas para minhas inquirições...
Nunca o vi, sempre o amei e o amarei sempre!
Afetuosíssimo e calorosíssimo abraço deste seu irmãozinho que nunca o esquece e o ama!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento

PS - Você é um felizardo, porque pode ser acalentado pelo pai e a mãe! Sempre visito o jazigo, onde repousam seus despojos mortais lá no Sepulcrário da nossa família, na Vila Euclides, em São Bernardo do Campo-SP. (apesar de ter ciência de que, provavelmente, não resta mais nenhum vestígio da sua curtíssima existência.)
No ano que você teve a fugaz existência de 4 horas fazia sucesso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película “Casablanca”, que deixou marcas indeléveis na filmografia mundial:
LUZES! CÂMERAS! AÇÃO!
                                                 

Foto: Penny Parker
Fotomontagem: Cristina Fonseca

domingo, 17 de novembro de 2013

Mimos que recebi da minha querida amiga Glorinha!


Caros confrades passageiros!
Depois de ficar exasperado, porque enfrentei um tráfego congestionado em toda a extensão do Rodovia Cônego Domênico Rangoni, quando retornei do município paulista de Guarujá, onde fui com minha esposa, filho e neta, para averiguar se a residência que temos lá não foi invadida, o tempo de viagem que leva 30 minutos para percorrê-la em toda sua extensão, desta vez triplicou.
Ao adentrarmos na Rodovia dos Imigrantes, que estava sob a égide da Operação Subida, apesar do tráfego intenso não tive o dissabor de ficar frente a frente com a lentidão e pior ainda congestionamento.
Quando chegamos no apartamento o interfone tocou: Trim. Trim... Trim...
Era o prestimoso porteiro Enedino, que fez a ligação para informar que recebi um SEDEX!!!
Estava na expectativa, porque sabia que minha querida amiga, a gloriosa Gloria Policano enviou mimos, através do estafeta do Imperador, digo, dos Correios!
Quando minha neta abriu os mimos e me apresentou o conteúdo fiquei jubiloso, porque fiquei encantado ao me deparar com dois preciosos porta lápis personalizados, onde a gloriosa Glorinha teve a deferência e sensibilidade de escolher primorosas fotomontagens, feitas habitualmente por ela, onde minha fantasia com minha amada imortal, a inigualável Gene Tierney (1920-1991) ficam factíveis, colocadas neste precioso mimo personalizado!
Minha amada neta pode tirar o cavalinho da chuva, porque nunca, jamais, em tempo algum, enquanto estiver no mundo dos mortais, darei os preciosos mimos recebidos!
O que pretendo fazer é deixar no meu testamento uma cláusula, que depois que minha insulsa existência cessar os mimos serão dela...
Caloroso abraço! Saudações policanoianas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento


sábado, 16 de novembro de 2013

Lançamento do livro "Sementes do ABC"



Caros confrades/memorialistas!
O dia 15 de novembro de 2013 foi também auspicioso, porque além de comemorarmos o natalício da Proclamação da República e termos a prerrogativa de saber que corruptos condenados pela deusa da Justiça e da Sabedoria, digo, Poder Judiciário, começaram a cumprir suas penas no xilindró, na Basílica Menor Nossa Senhora da Boa Viagem, localizada no município de São Bernardo do Campo-SP, mais precisamente no salão paroquial, da aludida Basílica Menor, às 17 horas, teve o lançamento do livro "Sementes do Grande ABC", da lavra do meu estimado amigo, o escritor e jornalista, o erudito e tarimbado Ademir Medici, um incansável paladino em prol da nossa combalida memória!
O lançamento do livro foi prestigiado com a presença do Bispo da Diocese de Santo André, Dom Nelson Westrupp, e demais autoridades eclesiásticas da Basílica Menor.
Convém enfatizar que este precioso livro, que tornar-se-á referência para a memória regional sacra, veio à luz graças ao empenho de dezenas de paroquianos abceanos e também devido ao apoio incondicional e irrestrito da valorosa Srª Ivete, esposa do Ademir, que não mediu esforços para que este livro sacro viesse à luz!
Caloroso abraço! Saudações memorialistas!
Até breve...
Um ser vivente em busca do conhecimento

PS - Também fiquei jubiloso, porque revi os meus queridos amigos Hida, que é uma das fundadoras do Grupo Cênico Regina Pacis, Jorge Magyar e José Bueno Lima!
A seguir transcrevo o endereço eletrônico da minha página do facebook onde publiquei mais fotografias deste imperdível evento cultural:

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Proclamação da República

Caros confrade/memorialistas!
Tenho a grata satisfação de divulgar que na edição do dia em curso, o prestigioso periódico "Diário do Grande ABC, publicou na página 4 do 1º caderno, uma reportagem de autoria do jornalista Rogério Bastos, intitulada "A Proclamação da República foi mesmo na data de hoje?", onde o comandante mor chefe deste grupo memorialista, o pertinaz e erudito historiador e doutorando Renato Alencar Dotta Dotta. é citado como fonte ao discorrer sobre algumas causas, que foram decisivas para a queda da Monarquia tendo como consequência a instauração da República!
Caloroso abraço! Saudações republicanas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento
LUZES! CÂMERAS! AÇÃO!

Google+ Badge