O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

O Todesca está na janela apreciando a paisagem...

Expresso do Oriente

Expresso do Oriente

Todos a bordo

Todos a bordo

Restauração e colorização de fotografias.

Restauração e colorização de fotografias.
Caros amigos sem véus e com véus. Com muito gozo divulgo os valiosos préstimos profissionais do meu estimado amigo Reinaldo Elias, que tornou-se um tarimbado especialista em restauração e colorização de fotografias. Pelo criterioso trabalho, que envolve pesquisa e arte os preços cobrados pela restauração e colorização são módicos. Para solicitarem os valiosos préstimos profissionais entrem em contato com o meu querido amigo através do endereço eletrônico: rjelias200@yahoo.com.br Meus outonais olhos estão em água ao lembrar do já distante ano de 1962, quando minha amada e saudosa mãe me levou a uma filial das Casas Pirani, que ficava na Avenida Celso Garcia, para que seu bebezinho nº 6 fosse eternizado nesta fotografia. Embarcamos num trem de subúrbio, um reluzente trem prateado, na Estação de Santo André e desembarcamos na Estação paulistana do Brás. Lembro como se fosse hoje que levei um beliscão da minha genitora, porque eu queria a todo custo embarcar num bonde para chegar as Casas Pirani. Como eram poucas quadras de distância fomos caminhando até o paraíso do consumo. Saudades das Casas Pirani... Ontem, contei ao meu dileto amigo Gilberto Calixto Rios da minha frustração de nunca ter embarcado num bonde paulistano, que para o meu profundo desencanto teve a última linha desativada no ano de 1968, quando estávamos no auge dos nefastos e malditos anos de chumbo. No ano que fui eternizado nesta fotografia fazia sucesso estrondoso na fascinante Arte das Imagens em Movimento a película "Rome Adventure", aqui intitulada "Candelabro Italiano": https://www.youtube.com/watch?v=yLqfxLPga2E que assisti no extinto Cine Carlos Gomes, na condição de vela zeloso das minhas amadas irmãs mais velhas, a Dirce Zaqueu, Jô Oliveira e Maria Inês. Também no ano de 1962 minha diletíssima e saudosa cantora Maysa (1936-1977) deixava sua legião de fãs enternecida com a canção: https://www.youtube.com/watch?v=BeJHOAbkJcg Mãe, sempre te amei, amo e amarei. Saudades... Saudades... Saudades... Caloroso abraço. Saudações emocionadas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo. PS - Apesar dos pesares acho que continuo um petiz sonhador e esperançoso de um novo dia aos moldes da inesquecível personagem Scarlett O' Hara... Max, traga meus sais centuplicado.

Miniconto

Miniconto
Depois que minha neta me eternizou nesta fotografia o telefone tocou. Ao atender a ligação fiquei aterrorizado ao reconhecer a voz de Hades...

Mimo da Monika

Mimo da Monika
O que nos espera na próxima estação?

A viagem continua

A viagem continua
O quie nos espera na próxima estação?

Lambisgoia da Agrado

Lambisgoia da Agrado
Caros confrades/passageiros sem véus e com véus. A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, me surpreendeu porque não a vi trepar (nem preciso dizer que ela adora o outro significado deste verbo principalmente no presente do indicativo) no topo da locomotiva para se exibir e me ofuscar. Caloroso abraço. Saudações exibidas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços e com muita imaginação.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.br
Caros confrades passageiros. O pertinaz duende Himineu, que trabalha - com muito afinco para o Todesca - captou e eternizou o momento que a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, estava reflexiva a apreciar a paisagem no vagão restaurante do Expresso do Oriente sob meu comando. Caloroso braço. Saudações reflexivas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r

Fonte: arqtodesca.blogspot.com.r
Todos a bordo... A viagem continua...

Blogs todeschinianos

Blogs todeschinianos
Fonte: arqtodescadois.blogspot.com.br "Sonhei que o vagão joaopauloinquiridor.blogspot.com havia caído de uma ponte que ruíra... Mas, foi só um pesadelo..." Caros confrades/passageiros! Não me canso de divulgar os imperdíveis blogs do Todesca: arqtodesca.blogspot.com.br arqtodescadois.blogspot.com.br que são Oásis num deserto de alienação cibernética. É louvável a pertinácia deste notável, tarimbado e erudito ser vivente, que brinda seus felizardos leitores com ecléticas publicações que deixam patente sua vasta erudição e bem viver. Caloroso abraço. Saudações todeschinianas. Até breve... João Paulo de Oliveira Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Continuo a espera de Godot...

Continuo a espera de Godot...
Saudações dionísicas.

Saudações leitoras.

Saudações leitoras.

Seguidores

domingo, 31 de janeiro de 2010

Anúncio de 1919!!!!!!...

 

A confrade Cristina enviou-me este anúncio dos idos anos de 1919, que me fez dar boas gargalhadas e divagar!!!!...
No meu viés seria preferível ser assecla de Onan, do que fornicar com estas senhoras retratadas no anúncio!!!!... Pobrezinhos dos consortes destas perniciosas senhoras de Santana, que certamente só levantavam a camisola, bem como recitavam versículos da bíblia, quando fornicavam com eles por obrigação!!!!... Não dá para entender quando tinham faniquitos ao descobrirem que seus maridos consumiam substâncias etílicas lícitas, no caso uísque, tinham amantes ou eram amancebados!!!!... Na verdade acredito que elas almejavam a devassidão, além de terem como escopo a Ordem das filhas de Maria sem calcinhas!!!!... Oxalá, tenham perecido na pandêmia da Gripe Espanhola, para o grande deleite dos seus esposos!!!!... Max!!!!... Traga meus sais centuplicado!!!... Onde está a lambisgóia da Agrado?!... Valha-me depravada Santa Efigênia dos Caracóis Desesperados!!!...
Posted by Picasa

sábado, 30 de janeiro de 2010

 

Caros(as) confrades!
Minha querida amiga e confrade Cristina Fonseca enviou-me esta mordaz e inquietante charge, onde o chargista trouxe à baila, com seu viés arguto, como as concepções de ensino sofreram radicais transformações nos últimos 40 anos!!!!...
Por conta do meu árduo/fascinante ofício de regente, sinto na pele estas transformações, porque tornou-se senso comum penalizar somente os professores pelas mazelas do ensino. Na contemporaneidade os preceitos Constitucionais que estabecem o atendimento pleno da demanda escolar, na faixa etária de 7 a 14 anos, atendem quase que plenamente esta demanda, convém ressaltar que está em impantação o ensino fundamental de 9 anos ( 6 a 14 anos)!!!... A questão cruciante está na qualidade de ensino oferecido pelo sistema educacional público, que devido a complexidade de gerenciamento e apesar de suprir praticamente toda a demanda, não atende a contento as necessidades dos usuários da escola pública. Os índices de avaliações externas atestam uma parcela significativa de alunos não alfabetizados, após anos de escolaridade, situação inaceitável numa sociedade em vertiginosa transformação, com inovações tecnológicas inimagináveis poucas décadas atrás, que necessita sobremaneira de cidadãos com domínio pleno das competências leitora e escritora!!!...
Fico desalentado quando o tema educação está em foco e somos acusados pelas desempenho pífio dos alunos nas avaliações externas. Reconheço que existem regentes sem qualificação, mas as causas do desempenho pífio dos regidos são múltiplas, como por exemplo, a escola pública lida com uma clientela, onde uma quantidade representativa de alunos é oriunda de famílias, onde a leitura e escrita não estão presentes no cotidiano familiar. Outro exemplo, a sintonia escola/família/escola deve ser plena!!!... O aprender exige rotinas de estudo e, no meu viés, um desejo intenso de aprender a aprender cada vez mais!!!!... O grande educador francês, Céslestin Freinet, já dizia nas primeiras décadas do século XX: "o aluno não vai à escola para tirar notas, mas sim para aprender, para se desenvolver"!!!!... Enfim, enquanto a educação, principalmente a educação pública, não for de fato considerada condição "sine qua non" para o pleno desenvolvimento da nossa amada Pátria, seremos considerados internacionalmente como uma nação, onde uma parcela preponderante da população é composta por indivíduos sem as competências leitora e escritora. Valha-me Lev Semenovitich Vygotsky!!!!...
Posted by Picasa

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Departamento Estadual de Ordem Política e Social - DEOPS, outros viéses...

Caros(as) confrades!
Ocupei o cargo de escriturário, lotado no Departamento Estadual de Ordem Política e Social - DEOPS, desempenhando as funções atinentes ao cargo ocupado na Delegacia de Estrangeiros e Passaportes, que ficava no Parque D. Pedro, de 1976 a 1980... Trabalhava na Seção de Protocolo, onde recebia pedidos de permanência definitiva no país, naturalização, que depois de circunstancialmente analisados na seção pertinente, eram encaminhados ao Ministério da Justiça em Brasília-DF para os devidos fins. Houve uma época, que não sei precisar com exatidão o período, que para viajarmos ao exterior tínhamos que pagar uma taxa de CR$12.000,00, depois de recolhida a referida taxa o pedido dava entrada também na seção de protocolo. Isto posto, fica patente que minhas atribuições naquele Órgão Público, então vinculado ao Governo do Estado de São Paulo eram meramente burocráticas, apesar do cunho de controle policial existente no local que trabalhava não me envolvia em questões que não fossem as burocráticas... Eventualmente tinha que ir a Seção de Pessoal, que ficava no DEOPS, no Largo General Osório. Numa destas idas tomei o elevador, no térreo, com destino ao 3º andar (o prédio tem quatro andares mais o subsolo). Ao entrar no elevador me deparei com o delegado, Dr. Sérgio Paranhos Fleury, que vinha do subsolo... Claro que naquela época este delegado já tinha a fama de liderar o "esquadrão da morte" e comandar as torturas ocorridas na carceragem, que ficava no subsolo (local que somente conheci depois que aquele então Órgão Público tornou-se mais um espaço da Pinacoteca)... Quando vi aquele homenzarrão na minha frente, gelei... Ele não disse uma palavra também inibindo minha iniciativa em cumprimentá-lo, apenas mirou-me de baixo para cima com olhar glacial e maléfico... Aquele exíguo período de tempo no elevador pareceu-me uma eternidade... Por pouco não tive incontinência urinária... Quando desci no elevador ele continuou até o 4º andar. Ao descer do elevador me dei conta que estava com a garganta seca e tremedeira... Quando cheguei a Seção de Pessoal, a então gentil chefe Maria Apparecida Montibeller (será que ainda está entre nós?!...) perguntou-me: - Nossa, você está tão pálido, está se sentindo bem? Claro que não relatei o motivo da palidez, que deixou-me apavorado. Com o passar o tempo comecei a me sentir incomodado, porque quando dizia que trabalhava no DEOPS, as pessoas ficavam lívidas e muitas se afastavam... Na época, minha mulher também sofria constrangimentos nas escolas que trabalhava, porque suas parceiras de regência, diziam: - Tome cuidado com que fala perto dela, porque o marido dela trabalha no DEOPS e certamente ela também é espiã do DEOPS... Enfim, a mídia sempre foca torturados/torturadores, esquecendo-se daqueles anônimos cidadãos, como este agora reles escrevinhador outonal, que embora trabalhassem num Órgão Público repressor, não tinham acesso aos porões da Ditadura... Um fato auspicioso aconteceu neste período trabalhado na Delegacia de Estrangeiros e Passaportes!!!!!... Conheci minha saudosa amiga Irene Soffner, R.G. 1.812.553/SSP/SP (20/12/1922/01/11/1998), que trabalhava comigo!!!... Quem quiser saber mais sobre esta nossa bela amizade, pesquise neste vagão do Expresso Oriente, no dia 04/08/2009, com o título "Missiva póstuma para minha querida e saudosa amiga Irene Soffner!!!!...", porque neste dia falei circunstancialmente sobre ela, que foi assassinada brutalmente a golpes de picareta...
Fico a divagar se os então torturados tivessem efetivamente tomado o poder, já naquela época, como seria nosso modo de vida na contemporaneidade?!...
Algumas pessoas das minhas relações dizem que devo omitir este período da minha vida funcional, o que não concordo, porque além de ter deixado marcas indeléveis na minha insulsa existência este período foi um fato.
Max!!!!!!!... Traga meus sais centuplicado!!!!... Onde está a lambisgóia da Agrado?!...

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Obra de arte do notável pintor holandês Rembrandt!!!!!...

 
Posted by Picasa
Caros(as) confrades!
Sempre fico em estado de deleite quando tenho a prerrogativa de divagar... Mirando as belíssimas obras de arte, que o notável pintor holandês Rembrandt nos brindou!!!!...
O que o retratado pensava, quando o brilhante pincel do Rembrandt o imortalizou?!... Quem ele era?!... Será que escrevia para sua amada, que morava no reino vizinho?!... Será que teve uma vida sexual profícua?!... Será que chegou na idade outonal?!... Que modo de vida levou?!...

Pessoas que levaram uma vida dedicada a fazer o bem!!!!!...

Caros(as) confrades!
Por favor, não vão reclamar para o Bispo, mas será que estes valorosos seres humanos retratados no vídeo, tendo como fundo musical um imperdível Canto Gregoriano, nunca tiveram pensamentos impuros?!... (ou seriam puros?!...) Como seria a contemporaneidade, sem estas pessoas que no seu tempo de vivência, dedicaram suas vidas ao próximo?!... Como ficarão os programas sociais voltados a crianças e idosos desvalidos sem a presença notável da Dra. Zilda Arns?!...
 
Posted by Picasa

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Cripta da Catederal da Sé!!!!...

Caros(as) confrades!
Apesar da minha incredulidade aprecio sobremaneira visitar locais sacros por conta das obras de arte ali encontradas, bem como, no caso da Cripta da Catedral da Sé, visitar jazigos de clérigos que deixaram marcas indeléveis por onde passaram!!!!... Considero uma visita imperdível para os(as) confrades que também têm o hábito de flanar no centro velho da minha amada capital paulista!!!!...
A seguir transcrevo uma reportagem, que versa circunstancialmente sobre a Cripta da Catedral da Sé, publicada no periódico Folha de São Paulo, na data apontada no final da reportagem.

Sob altar-mor da catedral da Sé, cripta exibe esculturas e tumbas
ROBERTO DE OLIVEIRA
da Revista da Folha
Seu morador mais ilustre tem um nome curioso: "príncipe da terra", em tupi. De terra, parece que entendia. Foi ele quem escolheu o terreno onde se ergueu um dos mais importantes símbolos de São Paulo, a catedral da Sé, antes mesmo da fundação da cidade. Nada mais justo que tivesse lugar cativo ali.
O cacique Tibiriçá acumulou ainda outros títulos em vida e pós-morte. Ele foi um dos primeiros índios a ser catequizado pelos jesuítas. E estreou, com seus restos mortais, a cripta subterrânea da catedral Metropolitana. Seu túmulo é o mais procurado por católicos, crentes de todas as religiões, agnósticos e ateus.
Arcos com tijolos no teto da cripta da catedral da Sé, que pode ser visitada com o acompanhamento de monitores de quarta a segunda
Arcos com tijolos no teto da cripta da catedral da Sé, que pode ser visitada com o acompanhamento de monitores de quarta a segunda
Escondida a alguns palmos abaixo, por onde passa a linha imaginária do trópico de Capricórnio, bem no coração da cidade, a cripta é uma verdadeira igreja subterrânea.
São duas entradas, à direita e à esquerda, praticamente escondidas, debaixo do altar-mor de um dos maiores templos góticos do mundo --a Sé tem capacidade para até 8.000 pessoas.
Mas apenas uma parcela pífia dos visitantes que circulam pela catedral diariamente (cerca de 5.000 fiéis e infiéis) se aventura em conhecer a cripta. Aproximadamente 70 pagantes, a expressiva maioria formada por turistas norte-americanos, asiáticos e europeus, percorrem o mausoléu diariamente, com exceção das terças, quando o local é fechado ao público.
Não importa a religião. Até mesmo os mais céticos dos visitantes acreditam que ali debaixo exista uma passagem secreta que liga a catedral a outras duas igrejas paulistanas, a de São Francisco e a de São Bento, alimentando uma das mais folclóricas lendas urbanas do centro histórico. "Tem gente que bate na parede para ter certeza de que ela não tem um fundo falso", conta a guia Vera Regina Gomes, 50.
Quatro anos atrás, quando começou a monitorar as visitas, Vera vivia com as canelas roxas, de tanto tropeçar na coluna localizada à frente do painel de iluminação da cripta. "Dava até um medinho", lembra ela. O caminho continua sendo feito às escuras, mas a guia já se adaptou à vida do salão subterrâneo.
Lá embaixo, as escadas, assim como as colunas, são de granito. O piso é de mármore de Carrara, em preto-e-branco. O teto, repleto de arcos com tijolos, segue o mesmo estilo gótico da Sé.
Câmara funerária construída no ano de 1700, vista a partir do altar da cripta localizada no subsolo da catedral da Sé, em São Paulo
Câmara funerária construída no ano de 1700, vista a partir do altar da cripta localizada no subsolo da catedral da Sé, em São Paulo
Bem atrás das escadas, há uma câmara funerária entre o mausoléu, em relevo de bronze, de Tibiriçá, e de Diogo Antônio Feijó, ministro da Justiça e regente do Império. Construída em 1700, ela foi usada na cerimônia de chegada dos restos mortais do "morador" mais novato da cripta, o padre Bartolomeu de Gusmão (1685-1724). O inventor de um tipo de balão conhecido como passarola foi transferido do Museu da Aeronáutica para lá, em 2004.
Em volta de toda a área das naves encontram-se as câmaras mortuárias de 16 sacerdotes que atuaram como bispos e arcebispos da cidade de São Paulo.
A grande maioria foi levada para lá na década de 30. Os túmulos estão dispostos de forma cronológica de falecimento. Nem todos os jazigos estão ocupados. Ainda restam 14 monumentos fúnebres vagos.
Nas duas laterais centrais da cripta, duas esculturas em mármore: Jó, o afligido do Senhor, e São Jerônimo, ambas assinadas por Francisco Leopoldo, irmão do arcebispo dom Duarte Leopoldo e Silva, responsável pelo início das obras da Sé. Dom Duarte também está enterrado no mausoléu.
A cripta quase foi destruída pela falta de conservação, umidade e infiltração, acumuladas durante anos. Até pichação tinha. Os restauradores encontraram os túmulos esverdeados, de tão sujos. As inscrições das lápides estavam ilegíveis, muitas letras foram roubadas. O salão foi recuperado durante o processo de restauração da igreja, entre 1999 e 2002.
Uma equipe formada por 12 profissionais passou dois anos cuidando do lugar. Foi naquela época que encontraram um Cristo de madeira, de 1773. Recuperada, a imagem está em frente à entrada esquerda da cripta, ao lado do altar-mor.
Muitos fiéis costumam acender velas em frente a ele, de costas para a cripta, ignorando que, a poucos passos dali, há uma outra igreja a ser descoberta.
Raio-X da cripta
Área: 619 m²
Pé-direito: 7 m
Abriga: restos mortais de 16 bispos e arcebispos de SP
Lugares (sentados): 56
Visitas monitoradas: de quarta a segunda, das 9h às 17h (suspensas quando há missas das 12h às 13h)
Duração: 30 minutos
Ingresso: R$ 4 (crianças até sete anos não pagam)
Onde fica: catedral da Sé, praça da Sé, s/nº
Informações pelo tel.: 0/xx/11 3107-6832

Reportagem publicada pela Revista da Folha, do jornal Folha de S.Paulo, em 27 de janeiro de 2008

 
Posted by Picasa

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Mais um ano letivo!!!!!...

 
Posted by Picasa
Caros(as) confrades!
No dia em curso reassumo minhas funções do cargo de Coordenador Pedagógico, que ocupo na municipalidade paulistana!!!...
Desejo intensamente ter muito vigor para enfrentar as atribuições e atribulações do meu árduo/fascinante ofício!!!!!... Também desejo intensamente cumprir com primor, na minha área de ação, as políticas públicas educacionais, que têm como função precípua, além de cumprir preceitos Constituicionais, dar formação e subsidiar o labor pedagógico dos regentes, com vistas a tornar hábeis os alunos, da municipalidade paulistana, nas competências leitora e escritora, contribuindo sobremaneira para torná-los cidadãos plenos, cônscios dos seus direitos e deveres!!!!... Valha-me Célestin Freneit!!!!...

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Museu Paulista mais conhecido como Museu do Ipiranga, localizado na cidade de São Paulo-SP!!!!...

 
Posted by Picasa
Museu Paulista nos idos anos de 1902!!!!!....

 
Posted by Picasa
Museu Paulista na contemporaneidade!!!!!...

Caros(as) confrades!
A minha amada cidade de São Paulo-SP tem espaços culturais supimpas, como por exemplo o Museu Paulista mais conhecido como Museu do Ipiranga!!!... Como hoje a nossa pujante capital paulista comemora seu natalício (456 anos!!!!...), resolvi trazer à baila, neste insosso vagão do Expresso do Oriente, este Museu que tantas reminiscencias trás aos paulistanos e paulistas!!!!!...Quando eu era pequenino o visitava na condição de "vela" das minhas irmãs mais velhas!!!!... Enquanto elas flertavam este agora reles escrevinhador outonal se deleitava e já divagava com as magníficas obras de artes expostas no seu suntuoso ambiente dedicado ao fascinante mundo do conhecimento!!!!... Na área externa tem um belíssimo Parque muito bem cuidado e frequentado por moradores das adjacências e visitantes do Museu!!!!... Fico a divagar como deve ter sido grandiosa a sua inauguração em meados da década de 90 do século XIX!!!!... Será que meus bisavós materno e paterno foram na sua inauguração?!!!... Em caso afirmativo, como eles moravam a aproximadamente 12 km daquele local, no então município de São Bernardo (atual Região do Grande ABC, composta de sete municípios), será que foram de charrete?

A seguir transcrevo um breve histórico do Museu Paulista, tendo como fonte o site do Museu!!!!...
Museu do Ipiranga
Célebre, em decorrência do famoso "grito" de independência proclamado por D. Pedro I, em 1822, a região em torno do rio Ipiranga (hoje Bairro do Ipiranga) sempre foi vista como um local que deveria retratar essa parte da história do Brasil.
Muito discutida durante o século XIX, a idéia de se criar no local um monumento comemorativo veio a concretizar-se em 1882, no momento em que foi escolhido o italiano Tommaso Bezzi para a execução de um projeto.
O edifício de grandiosas proporções, construído em dez anos (1885-1895), em estilo renascentista, seria antes de tudo um estabelecimento de ensino científico; no entanto, um acervo advindo, principalmente, da coleção pessoal de um coronel paulista (Joaquim Sertório) facilitou a instalação do museu no local. Junto a uma estátua em homenagem ao "grito", (projeto do italiano Ettore Ximenez, em granito, com adornos em bronze e, em cujo subsolo se encontram os despojos de D. Pedro I e suas duas esposas) o Museu do Ipiranga, como é carinhosamente chamado pelos paulistanos, faz parte do conjunto denominado Parque da Independência.
Elaborado por uma equipe de paisagistas especialmente contratada para a ocasião, um jardim une o museu e o monumento ao outros edifícios existentes no local (há um viveiro de plantas, um museu de zoologia e uma outra casa histórica, cujo valor patrimonial ainda é discutido). Em estilo francês, com repuxos e aléias em declive, o jardim está localizado em um terreno rebaixado, proporcionando assim, um maior destaque ao prédio do Museu. Buscando a compreensão da sociedade brasileira através de sua história, o Museu Paulista conta, em seu acervo de mais de 125 mil itens, com objetos indígenas, mobiliário, armaria, pinturas, ferramentas e outros instrumentos, muitos de uso pessoal, que retratam a vida no país, desde os idos de 1500 até 1950.
Com duas bibliotecas e secções que tratam de documentação arquivistica e iconográfica, o Museu ainda oferece laboratórios de conservação e restauro.
Informações:
Museu Paulista da USP
Endereço: Parque da Independência, s/n.º - Ipiranga - Caixa Postal 42.403 - Veja o MAPA
Telefone.: (011) 2065-8000
FAX: (011) 2065-8051/2065-8054
CEP 04218-970 - São Paulo - SP - BRASIL
EMAIL: mp@edu.usp.br
Visitação:
Terça a domingo, das 9:00h às 17:00h.
Telefone: 2065-8026
Valores: R$ 4,00 - Adulto - R$ 2,00 - Estudante (Meia entrada mediante apresentção de carteira escolar).
Fonte: Museu Paulista

Aniversário da minha amada cidade de São Paulo-SP!!!!!!...

 
Posted by Picasa
 
Posted by Picasa
 
Posted by Picasa
 
Posted by Picasa
Caros(as) confrades!
No longínquo ano de 1554, neste mesmo dia e mês começou a existência da minha amada cidade de São Paulo!!!!... Fico a divagar como o modo de vida dos seus primeiros habitantes deve ter sido de muitas privações!!!... Será que a valorosa nativa Bartira e seu destemido pai Tibiriça estiveram presentes na Missa que deu início a fundação da cidade, que teria nos séculos vindouros cidadãos ilustres, como por exemplo a distinta senhora Domitília de Castro Canto e Melo mais conhecida como Marquesa dos Santos?!...
A seguir transcrevo um relato dos primórdios da cidade de São Paulo-SP, tendo como fonte SampaArt!!!!...
Em 24 de dezembro de 1553, junto com um novo grupo de jesuítas solicitado por Manoel da Nóbrega, chega o irmão José de Anchieta, com 19 anos de idade. Mais tarde, este religioso viria a ser cognominado "Apóstolo do Brasil" e primeiro poeta da literatura luso-brasileira.
Logo depois do dia de Reis, o grupo sobe a serra de Paranapiacaba, em direção à Santo André da Borda do Campo, diretamente para a casa do João Ramalho, após 18 dias de jornada. No dia seguinte, tomam o caminho de Piratininga, na busca de um local para a fundação do Colégio dos Jesuítas. Escolhem uma colina chamada Inhapuambuçu, sobre o vale do Anhangabaú, e constróem um barracão que viria a funcionar como escola de catequese. Ainda na manhã de 25 de janeiro de 1554, Manoel de Paiva, que viria a ser o primeiro diretor do colégio, celebra, assistido por José de Anchieta, a missa campal que marca o início do funcionamento do Real Colégio de Piratininga.
O nome São Paulo foi escolhido porque no dia da fundação do colégio era o dia 25 de janeiro que a Igreja Católica celebra a conversão do apóstolo Paulo de Tarso, conforme informa o padre José de Anchieta em carta aos seus superiores da Companhia de Jesus:
-"A 25 de Janeiro do Ano do Senhor de 1554 celebramos, em paupérrima e estreitíssima casinha, a primeira missa, no dia da conversão do Apóstolo São Paulo e, por isso, a ele dedicamos nossa casa".

domingo, 24 de janeiro de 2010

Considerações sobre o artigo "Ciência, religião e o Haiti", que o notável cientista Marcelo Gleiser trouxe à luz na sua coluna dominical, publicada no periódico Folha de São Paulo, na edição do dia em curso!!!!...

 
Posted by Picasa
Caros(as) confrades!
Peço a gentileza de clicarem em cima do artigo de autoria do notável cientista Marcelo Gleiser para que possam ler seu imperdível artigo publicado no periódico Folha de São Paulo, na edição de hoje, onde com sua sempre brilhante e especialista pena, versa sobre os cataclismos naturais e em especial o terremoto de forte intensidade, que ocasionou grande destruição e mortandade no Haiti. Sou fã de carteirinha do arguto e erudito Marcelo Gleiser, porque seu interminável ofício tem como premissa desvelar ao invés de velar, além de não dar trégua ao obscurantismo!!!!... Seu artigo do dia em curso, entre outras reflexões trás à baila duas questões cruciantes:
1 - A ciência tem limites, e que existe muito sobre o mundo que ainda não sabemos.
2 - Aprendemos que a vida - e aqui estamos nos incluindo - é extremamente frágil e deve ser protegida a todo custo.
Me recuso a tecer comentários a respeito do motivo alegado pelo pastor envangélico americano Pat Robertson para o cataclismo que assolou o Haiti, porque considero o ápice do velamento, para não dizer obscurantismo.
Desejo intensamente muito vigor para o notável patrício Marcelo Gleiser, aguardando sôfrego seus próximos e sempre imperdíveis livros e artigos!!!!!!...
A lambisgóia da Agrado se derrete toda quando vê o garboso Marcelo Gleiser em ação!!!!!... Max, por favor, tente atenuar um pouco o "fogo eterno" da lambisgóia da Agrado e traga meus sais centuplicado!!!!!...

Universo - Macro Micro!!!!!!!!!!!!!!!!!!!...

Caros(as) confrades!
Encontrei este precioso vídeo no Youtube que nos permite refletir sobre o Universo na perspectiva Macro Micro!!!!... São tantas as perguntas que fazemos a respeito do Universo que não encontramos respostas!!!!!!!... Quanto mais perguntas fazemos mais perguntas surgem sem ao menos vislumbrarmos um resquício de resposta!!!!... Como somos insignificantes diante da grandiosidade do Universo Macro Micro!!!!!!...
Como, de acordo com a teoria do Big Bang, de um ponto infinitamente pequeno, houve em algum momento de um passado remotíssimo (13 bilhões de anos)um explosão inimaginável, que deu origem a tudo que nos cerca?!...
E se não houvesse ocorrido esta explosão inimaginável, teríamos o nada absoluto?!...
De onde surgiu este ponto extremamente pequeno e denso, que segundo a teoria do Big Bang deu origem ao Universo conhecido?!...
Será que este ponto extremamente pequeno e denso já existia a 500 bilhões de anos?!...
Como entender a medida de tempo em anos, antes da existência do Sol, tendo em vista que um ano corresponde o tempo que o planeta Terra leva para dar uma volta completa em torno do Sol?!...
Como quase 100 bilhões de neurônios existentes no meu cérebro podem fazer sinapses que me permitem fazer estas perguntas?!...
Como os cientistas chegaram a conclusão de que temos quase 100 bilhões de neurônios no nosso cérebro?!...
Quando eu era pequenino o mundo terminava na serra da Cantareira!!!!... Na minha concepção primaveril não havia nada além do Pico do Jaraguá (que fica na capital paulista)!!!!... Do quintal da minha morada na cidade de Santo André-SP passava horas e horas admirando a serra da Cantareira e seu magnífico Pico do Jaraguá!!!!!..Nesta época já ficava atordoado com perguntas que fazia não encontrando respostas, porque deixava atarantada minha adorada e saudosa mãe com tantas perquntas que ela não sabia respondê-las!!!!...
Por que pensamos?!...
Por que sou como sou?!...
Se um dos milhões de espermatozoides que meu pai ejaculou, numa noite invernosa do mês de julho de 1952, não tivesse fecundado um óvulo receptivo para fecundação da minha mãe, eu não estaria neste exato momento fazendo estas perguntas sem respostas!!!!... E se eu não tivesse sido concebido naquela noite invernosa?!...
E se nas noites invernosas seguintes tivesse ocorrido a fecundação, quem minha mãe teria concebido?!...
Por Dionísio estou ficando novamente atordoado!!!!!...
Que máscaras usarei hoje?!...
Max!!!!... Traga meus sais centuplicado!!!!!!...

sábado, 23 de janeiro de 2010

Ateísmo!!!!!...

Caros(as) confrades!!!!!...
Cheguei neste maltratado e fascinante mundo numa família que seguia os preceitos da Igreja Católica Apostólica Romana. Já discorri neste vagão do Expresso do Oriente o pavor que eu sentia, quando era pequenino, do pseudo inferno e da presença de um Deus Onipotente e Onisciente... Era aniquilante ter o sentimento de culpa pelo fato de ser "pecador" (que horror)... O que dizer então das "santas confissões"???!!!... (Max!!!!... Traga meus sais centuplicado!!!!!...) Como o passar do tempo, culminando com minha quarta década de vida, comecei a ficar profundamente inquieto e refletindo mais amiúde sobre os "dogmas" da Igreja Católica Apostólica Romana, bem como a ressonância que eles tinham na minha insulsa existência... Neste ínterim, meu adorado e saudoso pai ficou doente... Foi horrível vivenciar o sofrimento atroz que o abateu, chegando ao extremo de precisar de ajuda para necessidades básicas do cotidiano, como por exemplo higiene pessoal... Fiquei exasperadíssimo com esta situação, porque meu pai sempre foi um homem vigoroso e independente e no final da vida precisou da intercessão dos seus entes queridos (quem cuidou dele foi meu irmão e irmãs, porque não suportava vê-lo naquela dependência total)... A partir deste funesto fato, que o levou ao óbito, minha crença num Deus Onipotente e Onisciente também terminou... Não externava publicamente minha condição de incrédulo até a poucos anos atrás. Ultimamente não fico proferindo em alto e bom som minha incredulidade, mas quando inquirido a assumo publicamente!!!!... Não é fácil ser ateu num mundo, onde uma parcela ínfima da população declara esta condição... Todavia, cada dia que passa, me convenço mais da não existência deste ser supremo, que rege nossas vidas, como se fóssemos marionetes!!!!... Sinto frêmitos inefáveis, quando lembro das atrocidades cometidas ao longo da história em nome de Deus... Apesar desta minha condição respeito as pessoas religiosas, só não suporto a intolerância... No ano retrasado numa reunião pedagógica, na escola onde ocupo o cargo de Coordenador Pedagógico, surgiu o assunto de crédulos/incrédulos, quando externei minha condição de incrédulo, uma professora deu um grito de pavor, como se eu tivesse tido a pior blasfêmia que possa existir. Ela não se conformava, porque no viés dela era impossível uma pessoa, como eu, um exemplo de cidadão probo, dizer que é ateu!!!!!!... Esta melindrosa situação desvelou, sem vaselina, o que a maioria das pessoas pensa sobre o ateísmo, como se os seres viventes, que assim se declaram, fossem devassos, sem nenhum sentimento. Considero-me um cidadão cônscio dos meus direitos e deveres, com qualidades e defeitos, como qualquer representante da espécie Homo Sapiens!!!!... Continuo cada vez mais estupefato em saber que fatos completamente aleatórios, como por exemplo o desaparecimento dos dinossauros, possibilitaram o desenvolvimento dos mamíferos, a ponto de surgir uma espécie que produz tecnologia, que permite a comunicação cibernética entre seus semelhantes!!!!!!!...
Por que há existência quando poderia não haver nada?!...
Será que existem incontáveis universos?!...
Nos planetas similares ao nosso, como será que ocorreu, ocorre e ocorrerá a evolução das espécies?!...
Que formas físicas terão as outras formas de vida inteligente?!...
Por que consideramos sempre nosso modo de vida como o "normal"?!...
Quem sou eu?!...
O que é o nada?!...
Por que o Homem de Neanderthal foi extinto?!...
Como conseguimos sobreviver, apesar dos cataclismos e predadores vorazes, que nos aniquilavam no Continente Africano?!...
Até quando seremos belicosos?!...
Será que nossa espécie e muitas outras serão extintas devido a relação deletéria que temos com o Meio Ambiente?!...
Por Dionísio!!!!... A vida é um Cabaret, vamos todos atuar?!...
Max!!!!!!!!!!... Traga meus sais centuplicado!!!!... Onde está a lambisgóia da Agrado???!!!...

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Intolerância!!!!!...

Assisti a película "Cabaret", na época do lançamento, nos idos anos de 1972, no extinto Cine Vitória, que ficava no município de São Caetano do Sul-SP!!!... Por Dionísio, como têm películas que me marcaram sobremaneira, que até lembro do cinema que as assisti???!!!...
Este trecho musical me deixa em estado de comoção, porque é uma metáfora inquietante de como a intolerância e a arrogância de acharmos que somos os maioriais causam aniquilamentos. Quem somos nós para acharmos que o nosso modo de vida é o "normal"?!... Quem os odiosos nazistas (malditos...) pensavam que eram para se considerarem os supra sumo do Sistema Solar?!!!... Quem eles pensam que eram para dizimarem milhões de seres viventes?!... É por esta e por outras que me tornei incrédulo!!!!... Max!!!!... Traga meus sais centuplicado!!!!!...

O odioso regime nazista sob o viés da lambisgóia da Agrado!!!!...

Caros(as) confrades!!!...
O avô paterno da lambisgóia da Agrado foi preso na Berlim belicosa, porque foi flagrado fazendo felação num soldado nazista dentro de um cinema berlinense, que apresentava uma película da cineasta alemã Leni Riefenstahl, intitulada "Olympia".
Claro que nada aconteceu com o assecla do mandatário maior dos nazistas, mas o avô paterno da lambisgóia da Agrado foi enviado para um campo de concentração, sofrendo flagelos inenarráveis nas mãos do odioso e nefasto Dr Joseph Mengele, que o utilizou como cobaia nas suas experiências "científicas", com o escopo de verificar se aqueles que apreciam ostras e caracóis concomitantemente tinham a mesma resistência daqueles que só tinham preferência por ostras. Nem preciso dizer que o pobrezinho do avô paterno da lambisgóia da Agrado morreu em consequência dos flagelos sofridos no campo de concentração nazista. Quando a lambisgóia da Agrado conta esta pavorosa história, chora copiosamente... Depois, mais calma, relata que tem a quem puxar, porque os agrados da Agrado são conhecidos até nos confins do deserto de Gobbi!!!!!... Ualalaaaaaaaaaaaá!!!!... Em represália as sevícias sofridas pelo seu avô paterno, no campo de concentração nazista, que culminaram com seu óbito, a lambisgóia da Agrado selecionou os vídeos apontados e diz que o mandatário maior dos nazistas era um enrustido mor!!!!... Ela pediu especial atenção ao terceiro vídeo apontado, porque foi ela que ajudou na seleção do figurinos!!!!... Max!!!!... Traga meus sais centuplicado!!!!...

Belíssimas mulheres que ganharam Concursos de Beleza!!!!!!...

Caros(as) confrades!!!!...
Fico a divagar o modo de vida destas belíssimas mulheres depois que ganharam os disputadíssimos Concursos de Beleza nas suas várias etapas!!!!... Será que a notoriedade trouxe malefícios ou benefícios nas suas vidas?!... Será que foram felizes?!... E aquelas que ainda estão entre nós, o que diriam destes Concursos de Beleza?!... De uma coisa eu tenho certeza, elas deixaram gerações de patrícios com pensamentos impuros (ou seriam puros?!...Ulalaaaaaaaaaaaá)!!!!!!!... Max!!!!... Traga meus sais centuplicado!!!!!... Será que a lambisgóia da Agrado já participou de algum Concurso de Beleza?!...

Década de 20!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!...

Caros(as) confrades!
Tenho grande fascínio pela década de 20, do século findo!!!!... Os vídeos que selecionei nos possibilita vislumbrar um pequeno viés do que foi este período efervescente da idade contemporânea!!!... Quem me dera ser um dos almofadinhas retratados nos vídeos, de preferência dançando o Charleston com uma melindrosa daquela época!!!!... Max!!!!... Traga meus sais centuplicado!!!!...

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Livro: Crenças e Desavenças!!!!...

Caros(as) confrades!
Ontem, tive a gratíssima satisfação de "devorar" o livro "Crenças e Desavenças", que não consegui largar enquanto não terminei a instigante leitura!!!!...
A brilhante pena do autor, João Batista Gregório, fisga o leitor de tal modo, deixando-o encantado!!!... Ao final de cada crônica somos brindados com uma receita, que certamente deixaria a Babette morta de inveja!!!!...
Tem uma crônica "A Lurdinha", que fiquei convencido que a personagem Lurdinha é assecla ardorosa da Ordem das Filhas de Maria sem calcinhas!!!!!... Folguedos a parte, difícil dizer qual a melhor crônica, porque todas são imperdíveis!!!!... Não parava de rir ao ler o final da crônica "A comadre Luzia Mineira"
Infelizmente não consegui postar imagens...
A seguir transcrevo a resenha do livro e os dois primeiros capítulos, tendo como fonte a Editora Baraúna!!!!... Não deixem de ler!!!!...

Crenças e Desavenças
João Batista Gregório R$ 24.50

Obra despretensiosa, alegre e irreverente sobre o dia a dia de personagens comuns. Crônicas sobre seres humanos incógnitos e ao mesmo tempo pulsantes de vida, anseios, crenças e desavenças, sentimentos, estes, universais... Trocam-se os cenários, mudam-se as identidades, mas todas as situações aqui apresentadas são reais e poderiam ter acontecido com qualquer pessoa, por mais humilde ou notória que sejam. Certos relatos ou acontecimentos podem aparecer como absurdos aos olhos de algum leitor mais crítico. Entretanto, como comprova o autor, após longa convivência com pessoas, tudo é possível, em se tratando de seres humanos... Relata-nos, com humor sutil e direto, passagens de sua vida e de muitos outros personagens com os quais, de alguma forma, teve a sorte ou o azar de cruzar-se pelos meandros de sua vida profissional ou social. Habilmente, transforma pequenas tragédias e dramas do cotidiano em “causos” interessantes e, quase sempre, cômicos. Em todas as tramas, brinda os leitores com desfechos inesperados e, de quebra, ainda apresenta pequenas receitas de culinária simples e saborosa como seus relatos.



Crenças e Desavenças
João Batista Gregório
Copyright © 2009 by Editora Baraúna SE Ltda
Capa e Projeto Gráfico
Alline Benitez
CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE
SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ
______________________________________________________________
C869.5
Gregório, João Batista
Crenças e Desavenças / João Batista Gregório. - São Paulo : Baraúna, 2009.
ISBN 978-85-7923-075-2
1. Literatura Brasileira. 2. Contos. 3. Cronicas. I. Título.
11-5328.
CDU: 869.5
09.11.09 12.11.09 015367
______________________________________________________________
Impresso no Brasil
Printed in Brazil
DIREITOS CEDIDOS PARA ESTA EDIÇÃO À EDITORA BARAÚNA
www.EditoraBarauna.com.br
Rua João Cachoeira, 632, cj.11
CEP 04535-002 Itaim Bibi São Paulo SP
Tel.: 11 3167.4261
www.editorabarauna.com.br
“Dedico esta obra a meus filhos e netos.”

Sumário
A MORTE DE GILDA. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9
AS COMADRES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13
A LUZIA “BALAIO”. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17
A OFÉLIA. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21
A COMADRE LUZIA MINEIRA . . . . . . . . . . . . . . 25
IRENE E AS MÃOS DO MORTO . . . . . . . . . . . . . 29
SOMBRAS DA MORTE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33
O ZECA “LAVANCA” . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37
A TIÚCA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41
A LURDINHA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 45
D. THOMAZ . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49
O PASTOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53
A ELZA CAMACHO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 57
O SÍLVIO LUIS. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 61
O SACO DO PADRE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 65
A DRA. ENEIDA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 69
O DR. BRÁULIO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 73
O Doctor Steeve . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 77
O DR. LUCCA. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 81
A DRA. VIRGÍNIA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 85
O DR. OLAVO DANTAS BARAÚNAS. . . . . . . . . . 89
O OVÍDIO. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 93
A GLORINHA. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 97
O CIRO NEY. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 101
O FRANCISCO. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 105
A NAJLA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 109
A LUBIANA. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 113
A (O) YASMIN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 117
A RAINHA DO CONGO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 121
A 1ª DAMA E O MENDIGO . . . . . . . . . . . . . . . . 125
O “SEU” PEDRO FARINHEIRO - I. . . . . . . . . . . 129
O “SEU” PEDRO FARINHEIRO - II . . . . . . . . . . 133
O “SEU” GUERINO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 137
O “SEU” AVELINO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 141
O ADOLPHO POLACO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 145
E LA NAVE VA... . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 149
TRÊS MULHERES DE MINHA INFÂNCIA . . . . 153
CAFÉ DE BUGRE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 157
A TIA MARINA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 161
“’CHÉIRO ÓBSCENO NO AIRE”. . . . . . . . . . . . 165
9
A MORTE DE GILDA
A Gilda morreu por volta das 3 horas da manhã de
um domingo. Havia dançado a noite inteira no forró da
velha guarda e, a pé, subiu o morro do São Lázaro até
chegar a sua casa. Não teve tempo nem de remover a pesada
maquilagem ou de tirar o vestido de soirée.
A Zilda, por sua vez, morreu por volta das 7:30 da
manhã daquele mesmo domingo. Havia rezado bastante
na missa das seis e, a pé, subiu o morro do Perpétuo Socorro
até chegar a sua casa. Não teve tempo nem de lavar a
louça do café ou de tirar o discreto vestido de “ver Deus”.
Gilda casou-se muito jovem, levada pelo “furor uterino”
que sempre a acompanhou, desde a menarca (lembram-
se dessa palavra?). Após o nascimento de seu quarto
filho, o marido faleceu, eletrocutado em cima de um poste,
pois que trabalhava na “Cia. de Força e Luz”. Nunca
mais arrumou outro marido, mas teve vários amantes até
a sua morte, aos 82 anos.
O último deles, o Dodô Goiaba (vendia goiabas na rua,
com um carrinho de pedreiro) era um pouco mais novo e
alcoólatra, batia nela e ainda torrava toda a pensão que a
mulher recebia do finado marido. Os filhos viviam brigando
com a mãe e a enxotar o velho safado da casa deles.
10
Tanto fizeram que Gilda largou tudo e foi morar
com o amante numa casinha de dois cômodos.”Faço de
tudo mas não vivo sem homem”, dizia ela.
A Zilda, por sua vez, demorou muito para se casar.
Seu desejo era ser freira, porém, lá pelos 25 anos, cedeu
à insistência de seu Jacinto, viúvo com três filhas e dono
de um pequeno açougue. Tiveram mais quatro filhas e
ela deu um duro danado na vida para criar as 7 meninas,
cuidar da casa e ainda ajudar o marido no açougue. Pior
ficou quando “seu” Jacinto morreu ao levar uma chifrada
de boi que lhe furou o pâncreas. A mulher resolveu tocar
o açougue sozinha e assim, levantando todo dia às três da
matina, destrinchando bois, enchendo linguiças e fazendo
torresmos conseguiu criar as filhas até o ponto em que
elas conseguiram ajudá-la também.
Bom, mas as duas senhoras morreram no mesmo dia
e foram vizinhas de velório.
Na sala onde estava o esquife de Gilda, tudo era gritaria
ou choro exagerado. Só se ouviam imprecações contra Deus
e discussões entre os 4 filhos e netos, os quais quase derrubaram
o caixão em demonstrações exageradas de desespero.
Na sala onde estava o esquife de Zilda, tudo era silêncio
e respeito. Apenas se ouvia de vez em quando um murmurejar
de orações, um suspiro ou choro calmo de alguma
das 7 filhas e netos, os quais não desgrudaram do caixão.
De repente, irrompe na sala de Zilda o velho Dodô
Goiaba, tão bêbado que nem percebeu que entrara no
velório errado. Abraçou o caixão de Zilda e desandou a
gritar: “Gilda, meu amor! O que aconteceu com você,
11
minha velha?! Ainda ontem nós dançamos pra burro e
agora tá aí, branca como um bicho de pau-podre!” As
filhas da santa defunta ficaram pasmas, quase que sem
ação. A mais velha recuperou-se mais rapidamente e disse,
de uma forma educada, ao bebum: “Meu senhor, essa
defunta é a Zilda, minha mãe. O velório da Dona Gilda
é na sala ao lado.”
O velho, num olhar estrábico-etílico contestou, babando:
“Como não é a Gilda? Se fui amigado dela por
cinco anos não vou reconhecer?! É ela sim; só falta o batom
de puta. Passa batom nela prá ver se melhora essa cara de
coruja.” A platéia ficou silente (gosto desta palavra) até que
um dos parentes conseguiu colocar o Dodô prá fora.
Entrou na outra sala e recomeçou: “Ahá, te achei,
sem vergonha! Queria ser enterrada sem me ver, né?” E
deu corda à falsa cantilena de desespero até que um dos
filhos da Gilda deu um sopapo no homem, vociferando:
“O que você veio fazer aqui, seu safado? Já não chega o
tanto que explorou minha mãe?!”
O velho pensou um pouco e arrematou: “Olha
aqui... eu não gostava dela mesmo e vocês vão todos a
merda! E... ó, vejam se enterram logo essa velha nojenta
que ela morreu sem tomar banho!.” Deu as costas e saiu
cambetiando, não sem antes levar um pontapé na bunda.
Já que falei em goiabas, segue a receita de:
Goiabada com Casca - 3 Kg de goiabas vermelhas
e maduras; 1 litro de água; 1 e 1/2 Kg de açúcar cristal;
alguns cravos-da-Índia. Lave e retire os pontinhos pretos
das goiabas. Corte-as ao meio e retire todas as sementes
12
(bata as sementes no liquidificador com um pouco de
água, passe-as na peneira até separar toda a polpa e reserve).
Coloque as goiabas para cozinhar na água com alguns
cravos-da-Índia por mais ou menos 1 hora e depois
acrescente o açúcar e a massa peneirada, sem as sementes.
Mexer sempre até dar o ponto de seu agrado (para comer
às colheradas ou para cortar).
Obs: - Se preferir fazer geleia com a massa obtida das
sementes, acrescente açúcar e cozinhe à parte.
13
AS COMADRES
As comadres, Gilda e Laura (minha tia), eram íntimas
amigas e vizinhas de muitos anos. Eram tão amigas
que quando foi inaugurada a segunda etapa do cemitério
local, resolveram comprar túmulos vizinhos. Três: um
para a Gilda, outro para a Tia Laura e o terceiro para
o Tio Joaquim. Mandaram construir uma espécie de altarzinho
(com nichos para as fotos) nas cabeceiras dos
túmulos, encimado por uma cruz.
Mas, como não há mal que sempre dure e nem bem
que não se acabe, certo dia essa forte amizade acabou-se e
de forma trágica. Surgiu, não me lembro como, na casa
de meus tios, um novo morador chamado de Toniquinho.
Parece-me que era um conhecido antigo que ficou
sozinho na vida e sem ter onde morar, foi acolhido pelo
meu tio e adotado pela família. Era muito educado, fino
mesmo e nem tão velho assim...
Para compensar a boa acolhida, ele fazia de tudo
na casa, inclusive ajudava minha tia, que era costureira,
a arrematar as roupas: cerzia os bolsos nas camisas,
pregava os botões e caseava (fazia aqueles buracos de
enfiar os botões). Tanta eficiência acabou por despertar
ciúmes na comadre Gilda que começou, maldosamente,
14
a espalhar no bairro que sua comadre e o Toniquinho
eram amantes...
Tamanha “fofoca” girou rapidamente e logo chegou
aos ouvidos de minha tia. Pra quê!! De repente, aquela
santa mulher virou um serial Killer e armada de uma
enorme foice, foi tirar satisfações com a vizinha. Gilda estava
na janela, aliás, ao que parecia, ela nunca tinha nada
para fazer pois, se não estava na casa dos outros, ficava de
braços cruzados na janela.
Minha tia, da calçada, riscava o corte da foice no
cimento até soltar faíscas e chamava a outra para fora:
“Vem cá, sua vaca, eu vou cortar tua língua! Saia aqui
fora, se for mulher.” A Gilda, de lá, respondia: “Vaca és
tu... Vaca de dois touros!”
Tia Laura azulou... Pulou o muro, disposta à carnificina.
A mulher fechou a janela, apressadamente, mas
minha tia conseguiu estraçalhar a madeira com a foice.
Enquanto tentava pular a janela, meu tio e mais
alguns vizinhos tentaram segurá-la, mas ficaram com
as saias nas mãos. Tia Laura entrou, e lá de dentro só
se ouviam gritos desesperados. Quando conseguiram
conter minha tia, encontraram a Gilda esparramada no
chão, deitando sangue pelo rosto. Fora atingida com o
cabo da foice, num golpe tão forte que lhe abriu um
“rombo” na testa.
Chamaram a perua do SAMDU (ambulância da
época) e levaram a Gilda que voltou mais tarde, com vários
pontos e um curativo enorme na testa. As duas nunca
mais se falaram.
15
Morreu minha tia, morreu o Toniquinho e alguns
anos mais tarde, foi-se também o meu tio Joaquim. A
Gilda sobreviveu, ainda, por mais de trinta anos e morreu
daquela maneira que eu relatei na crônica anterior.
Fui ao seu enterro e o que me chamou a atenção, além
do episódio do velório, foi o fato de que seu túmulo fora
transformado: O altarzinho saiu da cabeceira do túmulo
e foi reconstruído nos pés, de costas para as fotos de seus
antigos desafetos.
Como receita de hoje, em homenagem às sopas que
minha tia fazia para “seus velhos”, vou passar a:
Sopa-Creme de Abóbora : 2 kg de abóbora madura
e picada; 2 cubos de caldo de galinha; 1 peito de
frango; 2 colheres (sopa) de margarina; 1 cebola picada;
1 lata de creme de leite (sem o soro) e folhas de couve
rasgadas. Cozinhe o peito de frango em 1 litro de água
e 2 tabletes de caldo de galinha. Desfie, grosseiramente,
e reserve. Na água do caldo, cozinhe os pedaços de abóbora
(10 minutos na panela de pressão). Bata a abóbora
no liquidificador, com um pouco do caldo e volte ao
fogo. À parte, refogue o frango desfiado com 2 colheres
(sopa) de margarina e a cebola batidinha. Junte o refogado
de frango ao caldo de abóbora. Rasgue algumas
folhas de couve e misture na sopa. Acrescente mais sal,
se necessário e quando a couve estiver cozida, acrescente
o creme de leite. Misture levemente e sirva com torradas
ou queijo ralado. É divina!!!

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Furico li furico la!!!!...



Este vídeo de uma maneira bem hilária relata os casos reais atendidos pelos hospitais de pessoas que estavam com objetos introduzidos nos seus corpos!!!!...

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Beldades do tempo dos meus bisavôs e avôs!!!!!!!!...

Imagino como os contemporâneos dos meus bisavôs e avôs se deleitavam apreciando sorrateiramente estas beldades!!!!...

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Documentário: "Almas em Corpos Nus!!!!!!...

Apreciei sobremaneira este documentário do criativo diretor e ator Jefferson Cardoso, que com seu viés arguto foca a diversidade e a questão de gênero, tornando-os hábeis a encararmos com outros viéses esta temática!!!...

domingo, 17 de janeiro de 2010

Reminiscências do meu tempo de pequenino!!!!!...




REMINISCÊNCIAS  DO MEU TEMPO DE PEQUENINO





 A foto que ilustra esta matéria foi tirada no Foto Muito Bom, na minha cidade de nascença Santo André-SP, no dia 26/05/1963, quando cumpri o rito católico da Primeira Comunhão.


Na verdade gostaria de ter nascido numa família judia!... Se este auspicioso fato tivesse ocorrido, minha lembrança seria três anos depois com o Bar Mitzvá!

Fico a divagar, se tivesse a prerrogativa de chegar, neste maltratado e fascinante mundo, numa família judaica e não numa que seguia os preceitos da fé católica, como teria sido meu modo de vida? Lembro de uma vez, quando eu era pequenino, que passei na Rua Coronel Agenor de Camargo esquina com a Rua Siqueira Campos, no centro da cidade de Santo André-SP, onde tinha uma Sinagoga... Vi alguns meninos com quipá, claro que na época não sabia o nome, e disse para minha adorada e saudosa mãe que queria igual, bem como entrar naquele local. Nunca tinha visto antes minha mãe tão exasperada, porque além do beliscão que levei, que até hoje o sinto, ela disse que quando chegasse a casa, que esperasse as palmadas! O que de fato aconteceu. Cada sopapo que eu levava, ela dizia: Nunca mais diga uma blasfêmia desta! Claro que só aguçou minha curiosidade primaveril, porque logo depois descobri que tinha um programa televisivo chamado "Mosaico na TV", que sempre que podia assistia sorrateiramente e fiquei mais intrigado ainda, porque o que via na televisão eram pessoas, que levavam um modo de vida corriqueiro, mas que professavam outra fé! Sinto frêmitos inefáveis ao lembrar o pavor que tinha do pseudo inferno e de outros males que a perniciosa religião católica, além das odiosas confissões e o olho de Deus onisciente e onipresente, causava na mente de um inquieto pequenino, que não entendia e ainda não entende, porque estamos aqui!!!!...

Quatro meses e onze dias, após o celuloide ter eternizado este momento carola, o presidente John Fitzerrald Kennedy foi assassinado em Dallas, nos Estados Unidos, causando comoção mundial! Nunca me esqueço da cena do assassinato, repetida incontáveis vezes na televisão! Como era lindíssima a primeira dama americana Jacqueline Kennedy!
Nós também tínhamos uma primeira dama de fechar o comércio, a distinta cidadã Maria Teresa Fontela Goulart! 
Também me deleitava, assistindo na televisão a série "Papai Sabe Tudo"! Que família adorável era a do Sr Anderson, que sempre ao chegar a casa, dizia: “Margareth cheguei”! Então sua sempre sorridente e impecavelmente vestida esposa, o recebia calorosamente. Seus irriquietos filhos: Beth, Buddy e Cathy tambem o veneravam. Nunca me esqueço de um episódio, onde a esposa e filhos do Sr Anderson, reclamavam que sua confortável casa, típica de classe média americana, precisava de reparos e novos utensílios domésticos! A seguir vão passar um final de semana num local remoto, onde as acomodações eram precaríssimas. Claro que não veem a hora de retornarem para sua então criticada residência. Ao chegarem ficam deslumbrados com sua casa e percebem que ela não precisava de tantos reparos e nem utensílios domésticos novos!
 Naquela época eu não entendia o motivo da religião deles não ter padre. Em pensar, que enquanto me deleitava com este enlatado americano, a realidade era bem hostil e belicosa, porque o nosso maltratado e fascinante mundo vivia sob a égide da guerra fria e sob a ameaça iminente de uma guerra atômica! Fico a divagar as reações do Sr e Sra Anderson, na contemporaneidade, na hipotética cena do Sr Anderson confortavelmente na sala de estar lendo o jornal, acompanhando a Sra. Anderson bordando! Neste ínterim, chega a casa o Buddy e diz: - Papai, mamãe, este é o Fred, meu namorado, ele dormirá aqui hoje! Logo a seguir entra a Beth: - Papai, mamãe, vou dormir na casa do Henry! Ah... Quase ia me esquecendo de dizer! Estou grávida... Finalmente entra a Kathy: - Papai, mamãe, o que é felação?!...




Max! Traga meus sais centuplicados! Onde está a lambisgóia da Agrado?!...


sábado, 16 de janeiro de 2010

Película: "Na senda do crime"!!!!!...


"NA SENDA DO CRIME"



Esta produção da Companhia Cinematográfica Vera Cruz, do ano de 1954, nos brindou com a segunda atuação na fascinante Arte das Imagens em Movimento da grandiosa atriz Cleyde Yáconis!!!!... A primeira foi nos idos anos de 1952, na película "Veneno"!!!!... Aprecio esta película, porque o celuloide imortalizou uma atuação da atriz Cleyde Yáconis no início da sua profícua carreira!, personificando a inesquecível Jurema!!!... Temos a oportunidade de vê-la em ação no cinema em poucos filmes!!!!... Nos últimos anos tive o deleite inefável de vê-la atuando no palco em duas peças imperdíveis: "Cinema Eden", "A louca de Chaillot" e "Caminho para Meca"!!!!... Até hoje estou de castigo no milho, porque não assisti sua certamente supimpa atuação na peça "Longa jornada noite adentro", em virtude dos ingressos sempre esgotados... (Max!!!!!!!!... Traga meus sais centuplicado!!!...) Também é uma oportunidade de ver o ator Miro Cerni atuando  num filme na sua curta carreira cinematográfica, que terminou no ano de 1956. Ele era muito garboso e considerado o galã da época!!!... Outro fato que merece destaque é a oportunidade de ver a minha amada cidade de São Paulo na primeira metade da década de 50!!!!... Até hoje não consegui descobrir o nome do edifício em construção, na região central de São Paulo-SP, onde passa a ação da parte final do filme. Algum(a) confrade pode ajudar-me neste intento?!... Enfim, uma película que merece ser vista e cultuada!!!!... Felizmente tenho uma cópia deste precioso filme no meu modesto acervo cinematográfico em DVD!!!!!... LUZES, CÂMERAS, AÇÃO!!!!!...

A seguir transcrevo a sinopse e outros dados do filme, tendo como fonte MEU CINEMA BRASILEIRO:
Sérgio é um rapaz com vocação para milionário, acostumado ao ambiente rico e luxuoso de alguns parentes próximos, inconformado por ter que lutar honestamente pela fortuna. Busca uma oportunidade para se tornar rico de um momento para outro. O salário que recebe pelo seu trabalho no banco não é suficiente para manter o padrão de vida que ele deseja. O banco em que trabalha é assaltado e Sérgio identifica os ladrões. Encontra a oportunidade que buscava: associa-se a eles. Conhece Jurema. Os dois se apaixonam enquanto planejam e executam assaltos.

Ficha Técnica
Título original: Na Senda do Crime
Gênero: Policial
Duração: 75 min.
Lançamento (Brasil): 1954
Estúdio: Vera Cruz
Distribuição: Columbia Pictures do Brasil
Direção: Flamínio Bollini Cerri
Roteiro: Flamínio Bollini Cerri, Fábio Carpi, Alinor Azevedo e Maurício Vasques
Música: Enrico Simonetti
Fotografia: H.C. Fowle
Desenho de produção: Túlio Costa
Edição: Edith Hafenrichter e Oswald Hafenrichter

Elenco 

Cleide Yáconis (Jurema)

Miro Cerni (Sérgio)

Marly Bueno
Nelson Camargo
Renato Consorte
Salvador Daki
Alcides E. de Souza
Henri de Zeppelin
Angelo Dreos
Sílvia Fernanda
Ari Ferreira
Antonio Fragoso
Isaurinha Garcia
Gerald George
Mira Giorgi
Joseph Guerreiro
Wanda Hamel
Vicente Leporace
José Mercaldi
Adélia Mercandeli
Joaquim Mosca
Erich Nakonechnyj
Lima Neto
Paulo Paes
Geraldo Santos Pereira
Carlos Pes
Pedro Petersen
José Policena
Geraldo Faria Rodrigues
Eduardo Santiago
Enrico Simonetti
Walter Tomaz
Maurício do Valle

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Película "Floradas na Serra"!!!!!...



 "F L O R A D A S  N A  S E R R A"



Aprecio sobremaneira esta película, produzida pela Companhia Cinematográfica Vera Cruz, nos idos anos de 1954, onde temos a prerrogativa de ver a grandiosa e inesquecível atriz Cacilda Becker em ação na fascinante Arte das Imagens em Movimento!!!... Convém destacar que esta é a única película em circulação, onde a notável atriz foi imortalizada, numa atuação sensível e marcante!!!... Ela atuou também em outro filme produzido no Rio de Janeiro, em 1947, intitulado "Luz dos meus olhos"!!!... Infelizmente esta película chegou incompleta na contemporaneidade. O Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro preserva esta cópia incompleta no seu acervo!!!...Infelizmente a película "Floradas na Serra" foi a última produzida sob os auspícios da Companhia Cinematográfica Vera Cruz, que deixou marcas indeléveis na filmografia brasileira!!!...

A seguir transcrevo a sinopse do filme, tendo como fonte MEU CINEMA BRASILEIRO:


Lucília, cansada dos prazeres do mundo elegante, resolve descansar em Campos do Jordão. Entretanto, ao fazer a visita de controle médico, descobre que está com tuberculose. Mas não consegue suportar o tratamento na clínica. Enquanto esperava para voltar a São Paulo, conhece Bruno, que a faz perder o trem e começam um romance. Porém a paixão de Lucília consome rapidamente sua saúde, enquanto Bruno vai se recuperando e começa a se interessar por Olívia, outra paciente da clínica. Lucília termina sozinha, na clínica, com suas lembranças.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Luz del Fuego!!!!!...




Esta destemida mulher Dora Vivacqua, que ficou conhecida como Luz del Fuego, deixou marcas indeléveis por onde passou. Lastimo sua morte trágica e prematura...
Tomei a liberdade de transcrever a biografia da inesquecível Luz del Fuego, que graças a brilhante pena do escritor FERNANDO KITZINGER DANNEMANN tivemos a prerrogativa de conhecer mais amiúde a vida deste ser vivente radiante que causou comoção no seu tempo de vivência:





LUZ DEL FUEGO


Dora Vivacqua, ou Luz Del Fuego, como se tornou conhecida, nasceu em Cachoeiro do Itapemirim, Espírito Santo, em 21 de fevereiro de 1917. Sua família mudou-se para Belo Horizonte, Minas Gerais, no início dos anos 20, mas em agosto de 29, devido ao assassinato do pai, ela foi morar com um irmão no Rio de Janeiro, onde iniciou, em janeiro de 1936, um romance não aceito pelos familiares. Por isso mandaram-na de volta para Belo Horizonte, aonde logo depois a apanharam praticando sexo com o cunhado, um rico empreiteiro da capital mineira, na própria cama do casal que a hospedava. Considerada esquizofrênica, foi internada por dois meses no hospital psiquiátrico Raul Soares, daquela cidade, abrigando-se, ao sair, na fazenda de outro irmão.

Lá ela desfrutou de relativa liberdade até o dia em que apareceu diante de um filho do administrador da propriedade, e dos demais empregados, com três folhas de parreira cobrindo-lhe os seios e sexo, e duas cobras-cipó enroladas nos pulsos, à guisa de braceletes. Repreendida pelo irmão, atirou-lhe um vaso de cristal na testa.  Novamente Internada, dessa vez na famosa clínica psiquiátrica Doutor Eiras, no Rio de Janeiro, fugiu de lá antes de decorrido um ano, retornando a Cachoeiro do Itapemirim, levada por outra irmã. Mas permaneceu pouco tempo na sua terra natal, porque logo procurou reencontrar o primeiro namorado carioca e reiniciar com ele, em 1937, o relacionamento amoroso que lhe havia sido proibido.

 Foi então que fez um curso de dança, e em 1944 tornou-se atração nos picadeiros de circos, sendo anunciada como a única, a exótica, a mais sexy e corajosa bailarina das Américas: Luz Divina e suas incríveis serpentes, às quais ela chamava de Cornélio e Castorina, na verdade, duas jibóias, cobras não peçonhentas. Em 1947, por sugestão do palhaço Cascudo, mudou o nome para Luz del Fuego, marca de um batom argentino recém-lançado no mercado, sendo contratada pelos donos de um pequeno teatro para apresentar o espetáculo Mulher de Todo Mundo, que fez grande sucesso. Daí em diante Dora dedicou-se inteiramente ao chamado show business, fazendo apresentações no teatro Folies, em Copacaba, e rivalizando, na atenção do público, com grandes vedetes do teatro musicado da época, como Mara Rúbia, Virgínia Lane e principalmente Elvira Pagã, que também expunha o corpo, tinha idéias bastante avançadas para os anos 50, e disputava com ela o espaço nos noticiários da época.  

Entusiasmada com o seu sucesso ela resolveu publicar trechos picantes de seu diário, como a sedução pelo cunhado e fatos que aludiam a uma prostituição assumida, anunciando na orelha da capa dos livros um segundo volume com o sugestivo nome de Rendez-vous das Serpentes.

Em 1950, Luz Del Fuego começou a reunir grupos de amigas em uma praia que se mantinha deserta devido ao difícil acesso, mas a polícia foi lá e levou todo mundo para a delegacia. Percebendo que o nudismo lhe asseguraria evidência, publicou o livro A Verdade Nua, e com a renda obtida em sua venda arrendou da Marinha a ilha Tapuama de Centro, com oito mil metros quadrados, nas proximidades de Niterói, rebatizada por ela como Ilha do Sol, onde instalou a sede do Clube Naturalista. Brasileiro, o primeiro desse gênero no Brasil. Dessa forma ela se tornou conhecida em todo o país, chegou a ser capa de revista nos Estados Unidos, e seus shows eram garantia de bilheteria certa. A partir da segunda metade dos anos 50 a Ilha do Sol, apesar de não estar incluída nos roteiros turísticos oficiais, transformou-se em uma das grandes atrações do Rio de Janeiro, sendo visitada até mesmo por astros e estrelas do cinema americano, como Errol Flynn, Lana Turner, Ava Gardner, Tyrone Power, César Romero e outros. A nudez era obrigatória e total na Ilha do Sol, e ninguém, nem mesmo autoridades e personalidades importantes, podiam desembarcar nela sem deixar no píer as peças de roupa que trajavam, porque seu pensamento e lema era o de que “o nudista é uma pessoa que acredita não ser a indumentária uma peça necessária à moralidade do corpo. Não é concebível aceitar-se que o corpo tenha partes indecentes, que precisam ser escondidas”.

Nos anos 60, Luz Del Fuego passou a viver na Ilha do Sol, e com isso suas reservas financeiras foram terminando. Ao mesmo tempo, como o avançar da idade começou a afastar de si os homens ricos e influentes, ela principiou a envolver-se com pescadores da região, homens rudes e analfabetos, e por isso seus amigos passaram a transmitir-lhe os temores que sentiam por sua segurança. Mas ela não os ouviu. Até que em 19 de Julho de 1967 foi vítima de uma emboscada armada por dois irmãos que pretendiam vingar-se de uma denúncia que ela fizera contra eles, e acabou sendo assassinada em um barco juntamente com seu caseiro.

O Jornal do Brasil, em sua edição de 2 de agosto de 1967, assim noticiou a ocorrência: “Foragido foi quem matou Luz del Fuego - O assassinato de Luz del Fuego e do vigia Edgar foi confessado ontem pelo pescador Alfredo Teixeira Dias, foragido do Presídio-Geral do Estado do Rio, e que disse ter praticado o crime com a cumplicidade do irmão, Mozart Gaguinho, ainda desaparecido. Os dois corpos foram retirados na tarde de ontem do fundo da Baía da Guanabara, a menos de cem metros da Ilha do Sol, pelos homens-rãs da Marinha. Os cadáveres permaneceram submersos durante 13 dias”.

            Até hoje ninguém sabe dizer com certeza o por quê do assassinato de Luz Del Fuego. Oficialmente foi Gaguinho o autor do crime, mas este cumpriu pena e foi assassinado logo depois que saiu da prisão. Extra-oficialmente, circulou durante algum tempo a versão de que a morte da naturalista fora determinada por motivos políticos, embora a explicação mais aceita para o caso seja a de que o pescador, que já era um fugitivo da polícia, a tenha matado por vingança, em virtude dela o ter delatado às autoridades após uma briga que os dois tiveram.

A vida e a carreira artística de Luz de Fuego, marcadas por escândalos com a polícia e com os políticos, serviu de tema para o filme “Luz Del Fuego”, lançado no Brasil em 1982. Lucélia Santos e Walmor Chagas, desempenharam os principais papéis na referida película, e por essa participação receberam os prêmios de melhor ator e melhor atriz no Festival de Gramado do mêsmo ano.




FERNANDO KITZINGER DANNEMANN


Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Google+ Badge